FESTIVAL GRLS! ANUNCIA PROGRAMAÇÃO COMPLETA DO ESPAÇO GNT TALKS

Com curadoria da produtora cultural Ísis Vergílio, da jornalista Renata Simões e do GNT, o GNT Talks abre espaço para discussões e debates com as participações de Conceição Evaristo, Djamila Ribeiro, Linn da Quebrada, Astrid Fontenelle, Lovefoxxx e Linn da Quebrada, entre outros.

 

O festival acontece nos dias 7 e 8 de março no Memorial da América Latina e também conta com shows de Kylie Minogue, IZA, Gaby Amarantos, Tierra Whack, MC Tha, Mulamba e Linn da Quebrada

 

O evento traz ainda um espaço Conexões, envolvendo selos, coletivos e ONGs com oficinas, imersões e bate-papos.

 

Está aberta a venda de ingressos online.

 

A primeira edição do festival GRLS! preparou uma programação especial no GNT Talks para promover debates sobre temas contemporâneos que cercam o universo feminino. Para os dias 7 e 8 de março, a produtora cultural Isis Virgílio e a jornalista Renata Simões, com a curadoria do GNT, destacaram discussões que envolvem temas que permeiam nossa vida digital, corpo e mente, empreendedorismo com espaço para o público fazer perguntas para os participantes.

 

No dia 7 de março, a primeira atividade começa, às 10h30, com a aula “Conexão Corpo e Mente”, com a bailarina Camila Ribeiro. A proposta é despertar e estimular o corpo para preparar para a maratona que segue no Talks.

 

Na sequência, a discussão gira em torno das expectativas para a construção de um novo mundo, na mesa redonda “Amanhã Chegou: Construindo um Novo Mundo”, com a participação da líder indígena Alessandra Munduruku, da atriz e apresentadora Luana Xavier e das cantoras Lovefoxxx (Cansei de Ser Sexy) e Raquel Virgínia (As Bahias e a Cozinha Mineira).

 

A partir do meio-dia, o GNT propõe um “Salto Livre”, debate sobre o futuro das escolhas em uma sociedade livre, que conta com o apresentador Caio Braz, a sócia fundadora da Inesplorato Débora Emm e Camila Moletta (Head de Design F.oxi Consulting e Cofundadora MORE GRLS).

 

“A obrigação do textão” é o tema do debate que começa às 13h30 e conta com as participações da jornalista Cris Naumovs, do escritor Antonio Prata e da sócia e diretora executiva da plataforma Quebrando o Tabu, Fernanda Flandoli.

 

Para encerrar o dia, a partir das 14h25, tem o debate “Nos Leiam”, propondo a reflexão sobre a produção do conhecimento das mulheres e a necessidade de leitura, conhecimento e valorização, com a participações da atriz, pesquisadora e produtora cultural Roberta Estrela D’Alva, da apresentadora Astrid Fontenelle e das escritoras Conceição Evaristo e Djamila Ribeiro.

 

No dia 8 de março, a partir das 10h30, o GRLS! reúne um time de peso para debater a questão “Amamos o que Fazemos e Precisamos Pagar Nossos Boletos”, com as participações da influenciadora digital Jout Jout, do fotógrafo Cartiê Bressão, da head de conteúdo da Ogilvy Samantha Almeida e das integrantes do grupo Mulamba.

 

A partir das 11h30, o tema gira em torno de um assunto pertinente nas plataformas digitais: “Cancelar e ser Cancelado”, com as participações da cantora Linn da Quebrada, do babalorixá e antropólogo Pai Rodney, da assistente social e escritora Carla Akoritene e do apresentador João Vicente Castro.

 

A “Conexão Corpo e Mente” é tema do talk que acontece, às 12h40, com as presenças da Monja Coen e da apresentadora Fernanda Lima.

 

Logo em seguida, a partir das 13h35, é vez da “Plateia Entrevista”, com mulheres pioneiras em suas áreas abrindo espaço para serem entrevistadas pelo público presente, com as presenças da cantora Pitty, da astróloga Madame Broona e da apresentadora Didi Couto.

 

O encerramento fica por conta do debate “Ageless x Etarismo”, com as participações da apresentadora Astrid Fontenelle, da atriz Mônica Martelli e da arquiteta e urbanista Joyce Berth.

 

A programação completa com horários estão disponíveis no serviço abaixo.

 

CONEXÕES
Somada à programação dos Talks, uma área do festival envolvendo selos, coletivos e ONGs com oficinas, imersões e bate-papos. Confira a programação:

 

SÊLA:
Espaço dedicado ao encontro de profissionais que buscam respostas sobre o futuro de seus projetos.Consultoria gratuita oferecida ao público por Camila Garófalo, idealizadora da SÊLA. Cobertura da atividade nas redes sociais da @selamusical (stories do instagram e matéria no site mulhernamusical.com.br).

 

GIRLS ROCK CAMP:
O projeto feminino montou um set de ensaio com 2 guitarras, baixo, bateria, teclado e voz, onde meninas e mulheres visitantes poderão experimentar tocar em uma banda fazendo jams com as instrutoras e demais visitantes que estiverem na atividade teremos uma instrutora para cada instrumento pronta para dar as primeiras dicas no instrumento. escolhido.

 

Oficina História Das Mulheres Na Música: Música é lugar de todxs! A representatividade e porque ela é importante. A música como palco de protesto reivindicação e expressão de mulheres. As pioneiras, as girlbands, as instrumentistas.

 

Oficina Guitarra Para Meninas: A proposta da oficina é desmitificar o instrumento a partir do aprender fazendo, sem exigências de técnicas ou virtuosismo, mas sim sentir o instrumento como forma de expressão. Num clima descontraído são ensinadas noções básicas do instrumento e brincadeiras com pedais de efeito. Para meninas de de 7 a 17 anos

 

RAMA:
Durante os dois dias do GRLS! voluntárias da RAMA, em sistema de rodízio, irão receber os participantes e conversar, com xs interessadxs, sobre a agrofloresta e a relação mulher/agrofloresta.Além dessas conversas espontâneas, serão oferecidas rodas de conversa, em horários pré-definidos, sobre os seguintes temas: Vivendo em harmonia com a Natureza; A floresta que cura, e a transformação pela relação com a terra; Ciclos da vida: Mulheres na Agrofloresta; Agroflorestas e hortas urbanas; Mulheres Nômades.

 

 

GRLS!

O mais novo festival brasileiro pretende reconhecer, valorizar, transformar e celebrar o papel das mulheres na cultura. Com curadoria da POPLOAD, em dois dias, o evento irá mesclar palestras, oficinas, rodas de conversa e muita música! Tudo feito, composto e estrelado por elas, mas destinado a todes*.

 

“Pensamos em um festival feito por mulheres e não-binários, mas que crie uma discussão para todos os gêneros. Queremos fazer pensar, refletir e também conectar todas as pessoas. A mulher sempre tem que se esforçar mais, se impor mais e conquistar mais para ser respeitada. Temos muitas mulheres fortes em todos os setores da indústria da música, tanto no palco como atrás dele, fazendo tudo acontecer. Queremos amplificar essas vozes e ser um marco neste sentido. Celebrar tudo o que já foi conquistado e abrir caminho para o que ainda precisamos melhorar, criar e conquistar”, afirma Paola Wescher, diretora artística da T4F e sócia da Popload.

 

Para inserir o público na essência de GRLS!, até os dias do festival, serão produzidos podcasts pela Popload Radio e matérias exclusivas sobre as artistas e as ativações em um portal feito especialmente para GRLS!.

 

*todes: para promover uma inclusão na linguagem de GRLS!, a palavra “todes” será utilizada para se referir ao público de forma a respeitar a diversidade das identidades.

 

CONCEITO

Inspiração, reflexão, transformação e ação são os ideais que compõem o festival GRLS!, que irá proporcionar um espaço onde as pessoas possam ser ouvidas, passar suas mensagens adiante, ganhar visibilidade e ser reconhecidas adequadamente.

 

A música é uma das formas mais profundas de conectar as pessoas e fazer acontecer. Para unir essa energia com a força e o empoderamento feminino, o festival se compromete a ter uma escalação 100% composta por artistas mulheres, internacionais e nacionais, representando vários estilos musicais como pop, MPB, indie, R&B e hip-hop.

 

Mas a força de GRLS! vai além. O diálogo é uma das ferramentas mais poderosas de promover mudanças e ampliar vozes, por isso, o público terá a oportunidade de vivenciar essas transformações nos dois dias do festival. Talks será um espaço dedicado a palestras, oficinas e de muita conversa e com a pretensão de fazer com que as discussões geradas dentro de GRLS! se amplifiquem para outros espaços e outros grupos de pessoas.

 

Isis Vergílio e Renata Simões serão responsáveis pela curadoria do Talks. Produtora cultural, Isis Vergílio é atualmente colunista do site da revista Marie Claire e produtora da filósofa Djamila Ribeiro. Renata Simões é diretora, repórter e mediadora em debates. Hoje, ela brilha falando sobre música e cultura como ninguém nos programas Escala Musical e Metrópolis da TV Cultura.

 

Para conhecer a realidade de quem trabalha efetivamente em prol das mulheres, GRLS! também contará com a presença de coletivos que englobam todas as causas relevantes do universo feminino ao quebrar barreiras e defender a representatividade.

 

ESTATÍSTICAS

 

GRLS! entende que há questões muito importantes a serem discutidas e questionadas na indústria musical e do entretenimento. Apesar da sensação de que as mulheres vêm conquistando um espaço bem mais significativo, os números mostram que ainda há muitos desafios pela frente.

 

Em eventos e festivais de música, 87% das escalações são compostas por homens. Neste cenário, os cachês das artistas mulheres são 28% menores que os dos homens, uma diferença que aumenta com a idade. Os levantamentos foram feitos pela BBC Reality Check e União Brasileira de Compositores.

 

A desigualdade vai além da esfera dos eventos. Da composição à produção, o ambiente musical é dominado por eles: oportunidades, premiações, facilidade de ascensão, aceitação e até de reconhecimento.

 

Em 2018, 83% dos artistas mais populares da música foram homens, e apenas 12% das 600 músicas mais populares do mundo foram feitas por mulheres. De acordo com dados publicados pela Official Charts Company. E quando pensamos em produtores, a disparidade é ainda mais chocante: a proporção de produtores homens para mulheres nas 400 músicas mais populares de 2018 foi de 47 homens para 1 mulher.

 

Segundo dados da União Brasileira de Compositores, no Brasil os homens ainda detêm 90% do valor total distribuído e as mulheres ganham em média 28% a menos. Em 2017, entre os 100 artistas que mais faturaram apenas 17 eram mulheres.

 

Uma campanha internacional iniciada pela PRS Foundation (fundação inglesa que apoia e financia novos talentos musicais pelo Reino Unido) desafiou festivais do mundo todo a igualarem suas escalações em 50/50 até 2022. Até o momento, 45 festivais já toparam o desafio. E em 2019, o espanhol Primavera Sound se tornou o primeiro grande festival a cumprir a promessa!

 

Com isso, GRLS! surge para ser um marco na história de festivais do Brasil ao cumprir esse desafio e criar um evento capaz de promover empoderamento, transformação e ação. Tudo feito por elas, mas para todes!

 

FESTIVAL GRLS!

Realização: TIME FOR FUN

 

MEMORIAL DA AMÉRICA LATINA
Datas: 07 e 08 de março de 2020 (sábado e domingo)
Abertura das portas do espaço Talks: 9h30
Abertura das portas do espaço Shows: 14h00
Local: Memorial da América Latina (Av. Auro Soares de Moura Andrade, 664 — Barra Funda, São Paulo — SP – CEP: 01156-001).
Capacidade: 18.000 pessoas por dia
Classificação etária: Todas as idades. A partir de 16 anos desacompanhados. Até 16 anos somente acompanhados de um responsável legal. Este evento requer autorizações específicas, acompanhe a atualização da expedição de alvarás através do site oficial.

 

Todos os ingressos dão acesso ao Conexões.
O desconto no ingresso da entrada social será efetivado mediante o pagamento do valor de R$ 10,00 que será repassado para uma ONG a ser confirmada.
Parcelamento em 3 vezes.
Limite de 4 ingressos por CPF.
Vendas a grupo com taxa de conveniência e desconto de 10% para grupos acima de 10 e 20% para grupos acima de 20.
http://premier.ticketsforfun.com.br/shows/show.aspx?sh=atend#noss_pdr

 

Visite as redes socias de GRLS!
http://www.instagram.com/festivalgrls/
http://www.facebook.com/festivalgrls/
http://twitter.com/festivalgrls

 

Visite a página oficial de GRLS!
http://festivalgrls.com.br

 

ASSESSORIA DE IMPRENSA — T4F