28 anos de Bourbon Street é comemorado com show de Gary Brown

De B.B.King a Diana Krall e Zaz passando pelos maiores nomes da música brasileira, um pouco da história do Bourbon

 

+ de 7.500 shows realizados

+ de 1.500 artistas

+ de 50 ganhadores de Grammy

+ de 10 premiações (Veja/Downbeat)

+ de 2.000.000 de pessoas na casa

+ de 50 turnês de artistas internacionais

+ de 40 edições de festivais e shows ao ar livre

 

O Bourbon Street Music Club foi inaugurado em dezembro de 1993 com show de ninguém menos que B.B. King. O projeto, inicialmente dos amigos Luís Fernando Mascaro, Edgard Radesca, Clóvis de Cerqueira César e Edmilson Santilli, levou quatro anos para ser concluído. Não só a música, mas toda a arquitetura e a decoração do clube seguem o padrão típico de New Orleans, com muita sofisticação. O casarão em uma esquina do notívago bairro de Moema foi inteiramente construído com esse proposito, seguindo o projeto de um arquiteto especialmente enviado a New Orleans para pesquisar a arquitetura local.

 

Ao longo desses quase vinte e oito anos de atividade, passaram pelo palco mais de 500 artistas internacionais, entre eles os maiores nomes do jazz, do blues e da soul music, como Ray Charles, Nina Simone, Betty Carter, George Benson, Diana Krall, Wynton Marsalis, Brad Mehldau, Joshua Redman, Koko Taylor, Dr. John, Taj Mahal, Junior Wells, Pat Metheny e B.B. King, que veio quase dez vezes ao Bourbon, e o considerava sua segunda casa. Os músicos de New Orleans sentem-se tão à vontade na casa que criaram uma expressão para ela: “New Orleans fora de New Orleans”.

 

Em 2013, o Bourbon Street Music Club foi considerada pela revista Veja Comer e Beber 2013 como a Melhor Casa de Música ao Vivo de São Paulo e pela americana Downbeat, dentre as melhores casas de jazz do mundo em 2013, 2014, 2015, 2016 e 2017, além de ser também uma das melhores opções para se dançar. A fama internacional do clube atraiu até famosos roqueiros como Ron Wood (Rolling Stones), Peter Tork (Monkees) e integrantes do Focus, que, durante turnês ou passeios pelo Brasil, apareceram lá e acabaram dando canjas antológicas. Os maiores nomes da MPB, do jazz e do blues nacionais também tocam com frequência na casa.

 

A programação varia entre shows de nomes nacionais e internacionais, com repertório eclético, sempre de qualidade, muitos focando o jazz, blues, soul, mas também a música nacional na apresentação de projetos, como o Na Roda, Jazz. Br, entre outros.

 

De quinta a domingo, a pista do Bourbon Street acolhe um público adulto, acima de 25 anos, para dançar ao som das melhores bandas e variados estilos, que vão do funk, R&B, soul, disco/flash back dos anos 60 aos 90, passando pelos ritmos latinos como a salsa e merengue. A casa está entre as boas escolhas para quem quer a comodidade de encontrar num só endereço uma noite completa.

 

Desde 2017, a casa tem programado matinês para pais e filhos em datas como Carnaval, Dia das Mães, Dia dos Pais, Dia das Crianças, Halloween, com muito sucesso. Nesses dias, a partir das 13h, a casa abre com o seu cardápio “adulto” e com outro especialmente criado para a garotada, onde não faltam hamburguinhos, batatas fritas – os clássicos mais apreciados por eles, mas com o toque originalíssimo que sua cozinha oferece. Como atração principal, bandas com repertório apropriado fazem a festa: Beatles para Crianças, F.E.F.S, Kiss For Kids, entre outras.

 

Gastronomia

 

Boa música combina com prazer à mesa e no Bourbon Street não poderia ser diferente. Um cardápio especialmente desenvolvido e inspirado na culinária cajun e créole (típicas da Lousiana), baseada na mistura das culturas negra, francesa, espanhola e indígena. Sua mistura de ingredientes e temperos – aqui apresentada com toda a qualidade e sabor, ganha ainda o toque originalíssimo do tempero brasileiro.

 

As opções do cardápio vão desde os drinks exclusivos, caso do Hurricane, run oro, hurricane mix (mix de frutas vindo de New Orleans), suco de limão e açúcar, ou o Mojito, cervejas, chopp e uma boa carta de vinhos, que acompanham a seleção de petiscos especiais, como o Sweet Poison – pasteizinhos especiais, recheados de queijo brie, acompanhados de chutney de frutas vermelhas. Como sugestão de jantar, quem quiser continuar desfrutando da cozinha com influência créole e cajun, não pode deixar de provar o Jambalaya, uma paella típica de New Orleans, com camarão, frango e linguiça, temperada à moda créole.

 

Em 2020, enquanto a pandemia obrigava todos a ficarem em casa, que vários endereços de entretenimento cerravam as portas, o Bourbon Street aproveitou para dar uma nova opção de gastronomia e música para a cidade, inaugurou o Bourbon Street Jazz Café.

 

O BSJazz Café é um novo espaço diurno e vespertino, integrado à calçada e à rua, no Bourbon Street Music Club. E, como não poderia deixar de ser, um espaço com música ao vivo, leve e agradável, para combinar com a proposta, com repertório de jazz, blues e a boa música brasileira, em duos e trios ao vivo e sem cobrança de couvert artístico.

 

A opção perfeita para o happy hour, com drinks inspirados em New Orleans e na efervescente coquetelaria mundial. Perfeito também para a cerveja artesanal, o queijo garimpado de pequenos produtores e para aqueles irresistíveis petiscos que caem tão bem antes de um agradável almoço de sábado ou num happy hour.

 

Produtora de festivais e turnês

 

Através de sua produtora, o Bourbon passou a organizar grandes festivais, o Bourbon Street Fest, que já existe há 17 anos, em São Paulo, e já se estendeu para o Rio de Janeiro, Brasília, Goiânia, Porto Alegre e Curitiba; o Bourbon Festival Paraty, que chegou a 10ª edição, e o Paraty Latino, com 3 edições, ambos na cidade histórica fluminense. Também no litoral norte paulista, assina os festivais Folk & Blues Ilhabela e a o Ilhabela Bossa & Choro. Levou, ainda, mais de 130 shows a parques públicos de São Paulo (o de Ray Charles no parque do Ibirapuera, em 1995, atraiu 160 mil pessoas), e organizou mais de 50 turnês pelo Brasil, a Argentina, Chile e Uruguai.

 

E pra comemorar hoje (10/12), tem show do cantor Gary Brown

 

O grande hit do 544 Club da Bourbon St. de New Orleans

 

Gary Brown, saxofonista, tocou por mais de 20 anos no 544 Club, uma das mais prestigiadas casas noturnas da Bourbon Street de New Orleans.  Seu trabalho é centrado nos vários ritmos da música negra: jazz, blues, funk, soul e rhytm& blues – passando pelo reggae e o gospel.

 

Ele estudou na escola de saxofonistas do lendário Edward “Kid” Jordan, seu grande mentor. Tocou com grandes nomes da música internacional como Otis Redding, Professor Longhair, Marvin Gaye, Big Joe Willians, Dr. John e The Neville Brothers. Além dos shows, tocou em álbuns de Wilson Pickett, Dionne Warwick, Joe Cocker e Bee Gees. Trabalhou também na trilha sonora do filme “Grease” e fez o show de encerramento do Heritage Jazz Festival de 2003, o maior festival de música de New Orleans, famoso pela grandiosidade e qualidade dos artistas que apresenta.

 

O músico aponta como suas maiores influências: John Coltrane, Gene Ammons e SonnyStitt. Nesta temporada, Gary Brown vai mostrar clássicos como “Let’sgroovetonight”, “Wonderful world”, “No woman no cry”, “Purplerain”, “Buffalo soldier”, “Myheaven”, homenagens à música brasileira que sempre gosta de apresentar em seus shows (Gilberto Gil, João Bosco e Djavan), e à sua New Orleans pós Katrina, presentes no disco, “Comin’Home”, como “Louisiana” e “Youngerdays”, além de “Walkingto New Orleans”, “Do youknowwhat it meanto miss New Orleans”, “Rainynight in New Orleans”.

 

Youtube

 

https://www.facebook.com/bourbonfestivalparaty/videos/1699461616799016

https://www.youtube.com/watch?v=5vRq7J6IE6k

https://www.youtube.com/watch?v=1c4MWTN-r4A

 

Serviço

 

*** É exigido o comprovante de vacinação completa para entrar na casa

 

Local: Bourbon Street | Rua Dos Chanés, 127 – Moema – SP

Reservas na casa: Rua dos Chanés 194 – de 3ª.f a sábado das 12h às 19h, Domingos das 12h às 17h – Sem taxa de conveniência

Fone para reservas: (11) 5095-6100

WhatsApp para reservas (somente texto): +5511 9 7060-0113

Data: 10/12/2021 – 6ª. feira

Horário: 21h

Abertura da casa: 18h (no Jazz Café)

Duração: 80 minutos aproximadamente

Couvert Artístico: R$ 95,00 antecipado

Venda – Sympla

Classificação indicativa: 18 anos e 16 anos acompanhado de responsável

Capacidade: 350 pessoas

Estacionamento/ Valet: Não haverá serviço durante a pandemia

Aceita todos os cartões de débito e crédito.

Acessibilidade motora

Ar condicionado e Ventilação natural

Wi-fi – solicitar senha na casa

Homepage: http://www.bourbonstreet.com.br/

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Com informações: MAIC COMUNICAÇÃO