Bourbon Street Fest – 16ª edição chega a SP nos dias 30 e 31/08 e 1/09

A grande festa da música de New Orleans  em São Paulo 

 

Noites de shows no Bourbon Street e tarde de encerramento com shows gratuitos no Parque do Ibirapuera

 

Há mais de quinze anos, o festival, que tem em seu DNA a música de New Orleans, já trouxe à São Paulo ao longo de suas edições dezenas de artistas da cidade berço do jazz. Artistas que representam os mais variados ritmos: do traditional jazz ao moderno funk, das brass bands à música gospel das Igrejas, do jazz, da soul music, do rhythm blues ao zydeco, ritmo tradicional da cultura da Louisiana. E é nesse ritmo e neste clima que São Paulo mais uma vez receberá o Bourbon Street Fest, que chega este ano à sua 16a edição.

 

Sempre aguardado pelos paulistanos, o já consagrado festival volta a ocupar o Bourbon Street dias 29, 30 e 31/08 e o Parque do Ibirapuera, no dia 01/09, com entrada gratuita e shows ao ar livre na Arena de Eventos.

 

Nesta edição, três atrações internacionais preenchem o line up, sendo uma delas estreante no festival: a cantora Bobbi Rae, que vem acompanhada da Just Groove. A cantora, compositora, violonista e poeta é sem dúvida uma artista multi-talentosa que com apenas 25 anos é considerada uma das maiores promessas do rhythm & blues e neo soul norte-americano.

 

O segundo destaque é a Brass Band Bonerama, que retorna após as apresentações explosivas na festa dos 10 anos de festival. A banda formada por três trombones, bateria, baixo e guitarra traz o show Bonerama Plays Zeppelin: uma coleção de músicas da maior banda de rock de todos os tempos. É funk-soul-rock de primeira linha para ninguém ficar parado.

 

E a terceira atração internacional é Dwayne Dopsie, o furacão do acordeão retorna com sua banda The Zydeco Hellraisers. Seu estilo totalmente particular e passional entranha-se por todos os poros, letras e vocais, nas composições e texturas sonoras impregnadas de soul, blues e funk. Dwayne e seu acordeão misturam-se ao som da guitarra, baixo, bateria e a tradicional “frotoir” – avental de metal, semelhante ao washboard (tábua de lavar roupa) usado como percussão – e juntos incendeiam o palco com o Zydeco de New Orleans.

 

Nas apresentações gratuitas ao ar livre e nos shows noturnos do Bourbon Street quem dá as boas vindas é a Orleans Street Jazz Band, uma autêntica Street Band que circula entre a plateia e aquece o público antes das atrações principais. Na casa, nos shows noturnos, além das atrações internacionais, Dj Crizz abre a noite de quinta-feira com uma seleção especial feita para o festival, sexta é a vez de Sérgio Della Monica & Nola Jazz e no sábado,  Yuri Prado & Mardigras Brass-Zookas, trazem os metais ao melhor tempero e sabor de New Orleans, antes da atração principal da noite.

 

Criado e produzido por uma das melhores casas de jazz do mundo – o Bourbon Street Music Club, de São Paulo, que completou 25 anos em 2018 – o Festival conta com o apoio da Prefeitura de São Paulo e Secretaria de Cultura através do PRO-MAC – Programa Municipal de Apoio a Projetos Culturais.

 

Dia 29/08, quinta-feira, tem workshop para os estudantes de música

do Instituto Baccarelli, Heliópolis.

 Este ano será com Dwayne Dopsie & The Zydeco Hellraisers

 

Pelo social

 

Haverá ainda um workshop gratuito para jovens que estudam música no Instituto Baccarelli, em Heliópolis, São Paulo. Este ano acontecerá no dia 29 de agosto, às 14h30, com a banda Dwayne Dopsie & The Zydeco Hellraisers.

 

www.bourbonstreetfest.com.br

 

* PROGRAMAÇÃO *

 

BOURBON STREET MUSIC CLUB

 

29/08 Quinta-feira

 

20h30 – Dj Crizz

21h30 – Orleans Street Jazz Band

22h30 – Bobbi Rae & Just Groove feat Igor Prado

 

30/08 Sexta-feira

 

21h30 – Orleans Street Jazz Band

22h30 – Sérgio Della Mônica & Nola Jazz

23h30 – Bonerama (Bonerama plays Zeppelin)

 

31/08 Sábado

 

21h30 – Orleans Street Jazz Band

22h30 – Yuri Prado & Mardigras Brass-Zookas

00h00 – Dwayne Dopsie & The Zydeco Hellraisers

 

 

PARQUE DO IBIRAPUERA – SHOW GRÁTIS

 

01/09 Domingo

 

12h30 – Dj Crizz

13h00 – Orleans Street Jazz Band

13h30 – Bobbi Rae & Just Groove feat Igor Prado

14h30 – Orleans Street Jazz Band

15h00 – Bonerama (Bonerama plays Zeppelin)

16h30 – Dwayne Dopsie & The Zydeco Hellraisers

 

Saiba mais sobre as atrações

 

BOBBI RAE feat Igor Prado

 

(C)Raph Gleason

 

Pela primeira vez no Brasil, acantora, compositora, violonista e poeta, Bobbi Rae é sem dúvida uma artista multi-talentosa e com apenas 25 anos é considerada uma das maiores promessas do rhythm & blues norte-americano.

 

Bobbi, natural de Slidell, cidade no interior da Louisiana no sul dos EUA, de onde sairam artistas como Louis Armstrong, Ella Fitzgerald, Buddy Guy.

 

Sua música é considerada uma mistura do rhythm & blues com o neo soul similar a artistas como Amy Winehouse, Erykah Badu, Joss Stone e Alicia Keys.

Bobbi também exerce forte ativismo nas áreas pobres da Lousiana fazendo um trabalho de músico-terapia em hospitais carentes.

 

Em 2015, lançou um EP chamado “Bobbi Rae Unplugged” que foi um fenômeno de receptividade dentro das plataformas digitais.

 

Bobbi acredita que ser um artista independente e alcançar números como ocorreu em 2015 não é por acaso. “Eu acredito que quando a música e a mensagem vem do coração e pega as pessoas em cheio nada pode parar isso e pra mim isso é o verdadeiro sucesso…”, diz a cantora.

 

Bobbi está em negociação com um grande empresário nos EUA e promete um álbum de inéditas para 2020.

 

Bobbi Rae & Just Groove- formação : Bobbi Rae: voz, Igor Prado, guitarra, Jesiel Oliveira: guitarra, Rael Lúcio: baixo elétrico, Juninho Isidoro: Bateria. Direção musical: Igor Prado

 

https://youtu.be/FqtsHgxLDwg

https://www.youtube.com/watch?v=IBOsc5Rp7os

https://www.youtube.com/watch?v=Gqa7lTGcMNM

 

IGOR PRADO

 

C Marcelo Pretto

 

Guitarrista paulistano Igor Prado com 16 anos de carreira, recentemente teve o album mais tocado dentro no gênero nos EUA (Living Blues Charts) e em 2016 se tornou o único artista sul-americano indicado ao 34th Blues Music Awards, considerado o “Oscar” do blues americano, já tocou nos principais festivais do no mundo. Recentemente, em 2018, está produzindo seu mais novo projeto com renomados músicos do circuito de Soul, Funk & Gospel paulistano misturando elementos da música brasileira com o Blues, Soul e Funk do Sul dos Estados Unidos.

 

O guitarrista tem em sua bagagem diversas excursões com renomados artistas americanos como Kim Wilson (Fabulous Thunderbirds), Wee Willie Walker, Rod Piazza, Mud Morganfield (Filho do lendário Muddy Waters), Curtis Salgado, Rick Estrin, Lynwood Slim, Sugaray Rayford, Sax Gordon, Junior Watson, James Wheeler, Deitra Farr entre outros.

 

Igor Prado também como produtor musical já produziu alguns álbuns (Flávio Guimarães, Prado Blues Band, Robson Fernandes, Denilson Martins & Donny Nichilo) lançados no Brasil pelo selo independente “Chico Blues Records” e simultaneamente nos EUA pelo conhecido selo “Pacific Blues” do produtor Jerry Hall que atuou na lendária Motown Records produzindo artistas como Marvin Gaye, Smokey Robinson & Stevie Wonder.

 

Hoje podemos afirmar que Igor Prado é um dos maiores orgulhos musicais do país tendo passado por mais de 40 países como Argentina, Áustria, Austrália, Bélgica, Chile, Dinamarca, Paraguai, México, Espanha, Itália, França, Alemanha, Noruega, Suíça, Luxemburgo e Estados Unidos.

 

https://www.youtube.com/watch?v=K6K3lSdx7Ts

“She’s Got It”, com participação de Mud Morganfield:

https://www.youtube.com/watch?v=9RHiMaP8XDI

 

BONERAMA PLAYS ZEPPELIN (foto destaque)

foto Braden Piper

 

“Bonerama é vista por alguns como uma das bandas mais genuínas, originais e interessantes da Crescent City, incorporando brass, funk, soul, rock, blues em seu estilo único. Três trombones, além de sousafone, guitarra e bateria, todos oferecem sons poderosos que você deve ouvir para acreditar.” – Relix Magazine

 

Included in “New Orleans Jazz Fest 2018: The 7 Best Things We Saw” – Rolling Stone

Qualquer um que tenha estado um show ao vivo do Bonerama não estranha algumas versões funkeadas, cheias de metais para alguns clássicos do rock. Os fãs desses momentos são uma surpresa, porque a banda está presenteando o mundo com um álbum que não é nada além de covers  do Led Zeppelin.

 

Bonerama Plays Zeppelin é exatamente o que você pensa que é, uma coleção de suas músicas favoritas da maior banda de rock de todos os tempos, coberta pela maior banda de trombone de todos os tempos.

 

Se você tem alguma dúvida de que uma banda centrada no Trombone pode realmente fazer rock, escolha uma música aleatória deste lançamento e seja desafiado. Quer sejam os vocais em “Black Dog”, o trombone wah-wah distorcido substituindo o violão tradicional em “In My Time of Dying”, ou mesmo um surreal solo sousaphone relâmpago na versão funkeada de “Heartbreaker ”, Bonerama prova que eles podem balançar com os melhores deles.

 

Conhecido em todo o mundo por suas performances ao vivo incendiárias, o Bonerama vem trazendo sua marca especializada de música de New Orleans para as massas há mais de 20 anos.

 

Bonerama é atualmente composta por Mark Mullins (trombone, trombone elétrico e vocal), Craig Klein (trombone e vocais), Greg Hicks (trombone e vocal), Bert Cotton (guitarra), Matt Perrine (sousaphone e baixo elétrico) e Walt Lundy (bateria e vocal). O álbum foi lançado pelo selo de Nova Orleans, Basin Street Records, e produzido por Mark Mullins, Craig Klein e Tracey Freeman, gravado no Music Shed Recording Studios em Nova Orleans, e apresenta excelentes obras de arte originais recriando a simbologia clássica do Zeppelin por Molly Reeves.

 

O novo álbum “Bonerama Plays Zeppelin” (2019) foi o mais vendido durante o Festival de Jazz & Heritage de New Orleans deste ano e atualmente está em mais de 100 estações de rádio em todo o mundo.

 

https://www.youtube.com/watch?v=HPAKr8ZLUgg

https://www.youtube.com/results?search_query=BONERAMA+PLAYS+ZEPPELIN+

 

Dwayne Dopsie & The Zydeco Hellraisers

 

Dwayne Dopsie & The Zydeco Hellraisers, o acordeonista de New Orleans volta ao Brasil para mostrar seu zydeco moderno e incendiário.

 

“Revelação musical” para a OffBeat, “O acordeão mais quente da América” para a Associação Americana dos Acordeonistas torna o cantor e acordeonista Dwayne Dopsie, o mais brilhante astro da nova geração, é o representante do Zydeconesse Fest, estilo fundamental para se compor o painel musical de New orleanse, que promete ganhar ainda mais fãs por aqui.

 

O zydeco é um estilo musical super dançante, criado por volta dos anos 50 pelos créoles–descendentes dos colonizadores franceses da Louisiana, no sul dos Estados Unidos. Ele funde várias influências, como a música francesa, o blues e a música cajun–espécie de country music da Louisiana.

 

O acordeão desempenha um papel central nos grupos de zydeco, que também incluem guitarra, baixo, bateria e a tradicional “frotoir”–avental de metal, semelhante ao wash board (tábua de lavar roupa) usado como percussão.

 

Nascido em 1979, Dwayne seguiu os passos do pai, o famoso Rockin’ Dopsie, conhecido como “Rei do Zydeco”. Graças as suas vigorosas performances, tem colecionado vários prêmios.

 

Em 2018, foi indicado ao Grammy Awards como Best Regional Roots Music Album, com o CD “Top of the Mountain”, e foi eleito o melhor artista de Zydeco, pela revista Offbeat, pela sétima vez consecutiva.

 

Dwayne Dopsie and the Zydeco Hellraisers está no ranking nº 29 no LouisianaTravel.com , como “TOP 100 REASONS TO VISIT LOUISIANA.

 

Ficha Técnica: Dwayne Dopsie: voz e acordeom, Brandon David-guitarra,  Dondrell Fleming- bateria, Christopher Lafluer – washboard, Damond Sonnier -saxofone,e Dion Pierre – baixo.

 

https://www.youtube.com/watch?v=1MkDaU7E5Xs

https://www.youtube.com/watch?v=QpfzLJ3Imdk

 

Yuri Prado & Mardigrass Brass-Zoocas

 

Da embolada ao jazz, essa mistura de feijoada com jambalaya da o maior caldo. Brasil + New Orleans: uma mistura musical de muitos sabores e temperos.

 

Yuri Prado, baterista com mais de 20 anos de carreira, sempre teve o pioneirismo acompanhando os seus trabalhos. Nesse novo projeto, não vai ser diferente. Através do grande know-how que adquiriu fora do país, durante anos de vivência com grandes músicos internacionais, participando dos grandes festivais dentro e principalmente fora do Brasil e atingindo a inédita marca de ser o primeiro artista sulamericano a ser indicado ao Blues Music Awards ,Grammy do Blues nos USA, com o álbum Way Down South, decidiu juntar o seu sotaque musical gringo com a música brasileira, com o seu sangue latino e suas origens para lançar o seu primeiro disco solo entitulado: “Jamboada”

 

O nome Jamboada foi criado da junção dos nomes dos pratos Jambalaya, um dos pratos mais tradicionais de New Orleans, com a nossa Feijoada. Os dois pratos foram criados quase que da mesma forma: classes mais pobres, para aproveitar as sobras, juntavam tudo num panelão, caprichavam nos temperos e acabaram, por pura necessidade, criando uns dos pratos mais famosos do mundo até os dias de hoje.

 

“Nas minhas passagens em New Orleans, comecei a perceber que o acento dos rítmos de rua de lá, lembravam a nossa música do nordeste. Pra mim foi uma revelação.” Diz o baterista.

 

Dá gíria “Brazuca” surgiu o nome Brass-Zookas. Uma banda com um novo conceito de show e sonoridade, trazendo as influências do Blues, Soul, Jazz, Funk, com uma roupagem diferente em um time composto somente de instrumentos de sopro. Guitarras elétricas e amplificadores dão lugar ao peso sonoro do ar que, magicamente, passa dos bocais às campanas dessas maravilhas acústicas.

 

Yuri Prado traz suas influências da Roots American Black Music e mescla com novos arranjos de grandes nomes da música brasileira e internacional, como Tim Maia, Luis Gonzaga, Chico Science, Bob Marley, The Meters e etc. Além de versões, o baterista se lança como produtor, arranjador e compositor, em temas compostos, originários dessa fusão da cultura tupiniquim e latina com os rítmos mais dançantes da Frenchman Street em New Orleans. É balanço para não deixar ninguém parado!

 

O projeto também traz de volta o conceito dos “Drummers Leaders”, que foi extremamente popular nos USA nos tempo áureos do Swing Jazz com Gene Krupa, Buddy Rich e Chick Web.

 

Yuri Prado toma a frente do palco, tocando uma bateria chamada Cocktail Drum, na qual, o baterista toca o instrumento de pé, levando outra dinâmica de palco para a apresentação. Enquanto comanda os tambores e instrumentos típicos de percussão tanto de New Orleans quanto de terras verde-amarelas, conduz o time da metaleira formando uma verdadeira bazuca sonora:

 

Formação: Yuri Prado- bateria, percussão e voz, Denílison Martins-saxophone e backing vocals, Joabe Reis- trombone e backing vocals, Fábio Oliva- trombone e backing vocals, André Levy- trumpete e backing vocals, Mauro Oliveira- saxophone e backing vocals

 

https://www.youtube.com/watch?v=tsH7kv0PzmQ

https://www.youtube.com/watch?v=COcsGyHlPys

 

Sérgio Della Mônica & Nola Jazz

 

O baterista Sergio Della Monica é um dos mais respeitados e consagrados músicos da música brasileira. Possui um currículo invejável, tendo tocado e gravado com artistas como Ney Matogrosso, Elis Regina, Marina Lima, Gal Costa, As Frenéticas e Cazuza ,só para citar alguns nomes em sua extensa e admirável ficha corrida de serviços prestados à música nacional. Além disso, foi o grande baterista da parceria entre a cantora Rita Lee e a banda Tutti-Frutti, tendo gravado os discos “Entradas e Bandeiras”, “Babilônia” e o ao vivo “Refestança” com o cantor Gilberto Gil.

 

Della Monica possui uma forma única e muito particular de tocar, sofrendo  influências do rock, jazz, funk, soul, música latina e, claro, do samba e da bossa nova.

 

Entre suas várias contribuições como músico de estúdio, Della Monica trabalhou  ao lado de grandes produtores brasileiros, entre eles, Lincoln Olivetti, Marco Mazzola, Mayrton Bahia e Liminha. Além disso, gravou alguns dos maiores clássicos do pop rock nacional como “Ideologia” (Cazuza), “Jardins da Babilônia” (Rita Lee e Tutti-Frutti) e “Virgem” (Marina Lima).

 

Ao vivo, participou de grandes festivais nacionais e internacionais, incluindo o prestigiado Montreux Jazz Festival, onde acompanhou Gal Costa e Ney Matogrosso.

 

Tendo feito parte da banda oficial do Bourbon Street Music Club – uma das maiores casas de jazz e blues do mundo – ao longo de 20 anos, Della Monica fez a abertura para shows de grandes lendas da música mundial, como BB King, Mike Stern, John Pizzarelli, Scott Henderson, Marcus Miller, Jane Monheit, Ivan Lins, João Donato e Milton Nascimento.

 

Para o Bourbon Street Fest, virá acompanhado da Nolla Jazz Band para mostrar o melhor da música instrumental, unindo o jazz ao rock, com tempero latino e pitadas de R&B, funk e soul, ao maior público possível.

 

O grupo, que virá em uma formação de sexteto, é constituído por grandes músicos da noite paulistana, sendo Ary Holland nos teclados, Nilton Leonarde no contra-baixo, Tatiana Pará na guitarra, Théo Anzelotti nos vocais e Chiquinho Oliveira que, ao longo de muitos anos, foi o trompetista da banda do Programa do Jô na Rede Globo.

 

 

Orleans Street Jazz Band

 

 

Inspirada nas famosas street bands de New Orleans, que são a marca registrada da cidade americana, a Orleans Street Jazz Band tem na interação com o público o seu grande diferencial.

 

Seu estilo irreverente aproxima o público e a sua formação inusitada chama a atenção por onde passa. O entrosamento do naipe de metais composto por trompete e trombone, com o banjo, a sousafone e o washboard resulta numa feliz composição.

 

O repertório traz uma mistura deliciosa de ilustres temas do jazz com o tempero brasileiro. “Mercy, Mercy, Mercy”, por exemplo, se junta a “País Tropical” e o público canta junto; “Bourbon Street Parade” ganha um sotaque especial e até o tema dos “Flintstones”entra na brincadeira.

 

Com mais de 10 anos de carreira, a banda é marca registrada nos principais festivais do país, como Rock in Rio, Bourbon Festival Paraty, Rio das Ostras Jazz & Blues, Bourbon Street Fest, Festival BB Seguros de Blues & Jazz, entre muitos outros.

 

Formação: William Barros – trombone, Alexssandro Da Silva –tuba, Renato Correa- washboard,  Washington Barros – trompete, Alessandre Rodrigues – banjo.

 

https://www.youtube.com/watch?v=xqdhQMB8is0

https://www.youtube.com/watch?v=GPNDZr7jt_4

 

DJ Crizz (Brasil)

 

DJ profissional desde 2003, Crizz vai fechar as noites noites do festival com folk, blues e música brasileira. É uma verdadeira máquina de hits, acumulando a responsa adicional de ser o DJ oficial da casa de shows paulistana Bourbon Street Music Club, além de discotecar em diversos tipos de festivais de jazz e outros eventos – entre eles, a festa particular de Paul MacCartney.

 

 

SERVIÇO BOURBON STREET:

 

Local: Bourbon Street | Rua Dos Chanés, 127 – Moema – SP

Bilheteria Bourbon Street: Rua dos Chanés 194 – de 2ªf.a 6ª.f das 10h às 20h, sábado e feriado das 14h às 20h

Fone para reserva: (11) 5095-6100 (Seg. a sexta) das 10h às 18h

Abertura da casa: 20h30 quinta-feira e 21h00 na sexta-feira e sábado

Show: 21h30 primeiro show da noite

Duração: 70 min. aproximadamente

Couvert  Artístico:

  • 29/8- R$ 50,00 (1º lote )Na compra de 2 dias do Fest, desconto de 20% para cada dia
  • 30/8 e 31/8 – R$ 85,00 (1º lote) Na compra de 2 dias do Fest, desconto de 20% para cada dia

Venda também pela  Ingresso Rápido – 11 4003 1212  www.ingressorapido.com.br

Capacidade: 580 pessoas

Estacionamento/ Valet: R$ 25,00

Aceita todos os cartões de débito e crédito.

Acessibilidade motora

Ar condicionado.

Wi-fi ( solicitar senha na casa)

Homepage: http://www.bourbonstreet.com.br/

 

 

SERVIÇO PARQUE DO IBIRAPUERA:

 

01/09 – Domingo – Encerramento –  Parque do Ibirapuera – GRÁTIS

Local :Parque do Ibirapuera – Portão 10 – Av. Pedro Álvares Cabral s/n – Arena de Eventos, próximo Museu Afro Brasil

Horário: 13h às 18h

 

Realização: Bourbon Street Music Club

  

Assessoria de  imprensa – Bourbon Street Fest

 

#SIGA NO INSTAGRAM