Bruna Caram canta Gonzaguinha em turnê nacional

Do Sudeste ao Nordeste, homenagem ao cantor e compositor  ganha roteiro assinado por Jean Wyllys. 

 

Os shows de “Afeto e Luta” começam a partir de abril e antecedem o lançamento do disco.

 

“Afeto e Luta” era para ser só uma live, mas foi abraçada pelo público e transformada em projeto por Bruna Caram.  Em pleno 2022, ano muito importante e decisivo para o Brasil, a multiartista revive em turnê, a partir do mês de abril, a obra de Gonzaguinha transbordando amor e reivindicando a liberdade por cidades do Sudeste ao Nordeste.  O repertório é assinado por Jean Wyllys.

 

Gonzaguinha era mestre em juntar afetividade com a luta para cantar sobre a realidade brasileira. O clássico “O Que É, O Que É?”, por exemplo: “Viver e não ter a vergonha de ser feliz | Cantar a beleza de ser um eterno aprendiz| Eu sei que a vida devia ser bem melhor e será |Mas isso não impede que eu repita: É bonita, é bonita e é bonita!”. O ritmo contagiante até hoje faz a gente encher os pulmões e cantar bem alto, mas também é uma letra com sentido político. E foi no reencontro com o trabalho do artista e enxergando o passado e o presente tão comum, que Bruna Caram viu a necessidade de criar o projeto “Afeto e Luta”.

 

Tive a oportunidade de cantar Gonzaguinha e percebi o quão pertinentes são as canções dele até hoje e como é importante que o artista se coloque, dê suas opiniões, e tente transformar o mundo com a sua arte. Acho que foi isso que me trouxe.” conta Bruna.

 

Gonzaguinha fez parte de sua adolescência e juventude com a mãe e o irmão ouvindo dentro de casa. Quando começou a tocar sanfona, Bruna passeou mais para o lado de Gonzaga pai. E após surgir a oportunidade de cantar em uma live realizada em 2020 que a cantora se emocionou com as lembranças e com as letras que se encaixam tanto com o momento atual.

 

São 15 anos de carreira contabilizando seis discos lançados, um DVD, dois livros e um papel na TV. Este é o projeto mais político de Bruna Caram que decidiu usar a sua arte para transformar o mundo após tornar-se mãe e trabalhar na campanha “Ninguém Mexe Comigo” contra o abuso de crianças e adolescentes. E como a própria mencionou: “a gente precisa estar abastecido de afeto para lutar”.

 

Escute:  https://www.youtube.com/watch?v=r_C596eo8ss

  

Para a turnê, o político, jornalista e professor universitário, Jean Wyllys, reescreve o repertório e será diferente do acompanhado pelos fãs em 2020. As cidades de São Paulo e Pernambuco terão a chance de desfrutar do espetáculo antes do lançamento do disco Afeto e Luta: Bruna Caram canta Gonzaguinha, que sai este ano e terá direção de interpretação de Nanan Gonzaga, filha do Gonzaguinha. Outras cidades ainda estão em negociação e em breve terão mais datas.

 

Agenda Turnê

 

10/04 – São Paulo (SP)

 

Bruna Caram canta Gonzaguinha
Local: SESC Belenzinho
Data: 10 de Abril (Domingo)
Horário: 18h
Endereço: Rua Padre Adelino, 1000 (próximo ao metrô Belém)
Ingressos: R$ 40,00 (inteira) | R$ 20,00 (meia-entrada)
Disponíveis na semana do evento pelo site:
https://www.sescsp.org.br/unidades/belenzinho/
Capacidade: 394

 

14/05 – Recife (PE)

 

Bruna Caram canta Gonzaguinha
Local: Teatro do Parque
Data: 14 de Maio (Sábado)
Horário: 20h
Endereço: Rua do Hospício, 81, Boa Vista
Ingressos: R$ 50,00 (inteira) | R$ 25,00 (meia-entrada)
Compra: https://www.sympla.com.br/evento/afeto-e-luta-bruna-caram-canta-gonzaguinha/1511060
(Sujeito à taxa)

 

Sobre Bruna Caram 

 

Conhecida por sua presença de palco e contato com múltiplas artes, Bruna Caram é cantora, compositora, instrumentista (toca piano, acordeon e violão), poeta, atriz, ativista, sócia-fundadora das empresas Cor e Voz e Essência Cor e Voz, e preparadora vocal.

 

Formada em Música pela Unesp (2010), ela tem em sua discografia 6 álbuns: Essa Menina (2006, com lançamento no Japão), Feriado Pessoal (2009), Bem-Vindo (2012), Multialma (2015), Alívio (2019) e Alívio Ao Vivo (2021).

 

Nas outras artes, Bruna atuou como atriz, em um dos papéis principais na minissérie Dois Irmãos (2017), na Rede Globo, como a personagem Rânia, irmã dos gêmeos vividos por Cauã Reymond. Também fez uma participação na série Os Dias Eram Assim, da Rede Globo, em 2018.

 

Em 2021, Bruna passou a integrar também o júri do programa Canta Comigo, em sua terceira temporada, na Rede Record, disponível também no Netflix.

 

Como poeta, Bruna lançou em 2021 o livro Pequena Poesia Presente, pela Ed Cândido, com texto de contracapa de Cassia Kis. Este é seu segundo livro lançado: o primeiro, Pequena Poesia Passional, é de 2015 e foi lançado de forma independente. A ideia de Bruna é lançar uma trilogia de poesia de bolso até 2025.

 

Bruna também é ativista na campanha de proteção à criança Ninguém Mexe Comigo, e compõe as canções de conscientização para a campanha, que recebeu apoio de Cassio Scapin, Marcelo Jeneci e Tv Cultura. A primeira canção-tema da campanha foi traduzida em várias línguas, ganhou vídeo musical com mais de 20 cantores, e matérias na imprensa de diferentes países.

 

Como preparadora vocal, Bruna é referência na área, pela empresa Cor e Voz, fundada por ela e pela fonoaudióloga Ana Terra Pompeu. Hoje a Cor e Voz atende mais de 80 cantores por semana e já assinaram a preparação vocal de artistas brasileiros importantes como Emicida, Luedji Luna, Marina Lima, Rashid, BNegão.

 

Como compositora, Bruna é parceira de Chico Cesar, Roberta Sá, Zeca Baleiro, Pedro Luís e Paulo Novaes.

 

Em 2022, Bruna prepara o lançamento de seu sétimo disco, em homenagem a Gonzaguinha: Afeto e Luta: Bruna Caram canta Gonzaguinha conta com pesquisa de repertório de Jean Wyllys e preparação de interpretação de Nanan Gonzaga.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Com informações: Assessoria de imprensa  Carolina Martins