Conheça o “Afrochoque” de Monkey Jhayam

Novo single do artista versa sobre o empoderamento das comunidades negras. O clipe que o acompanha é inspirado no filme “Jumanji”.

 

 

Monkey Jhayam volta à cena com um novo single de sonoridade glocal. Este termo – neologismo resultante da união de global e local – descreve bem a faixa “Afrochoque”. É o choque de culturas genuínas e tradições locais com o que há de mais globalizado.

 

“Na Angola, o kuduru; na Nigéria, o afrobeat; na República Dominicana, o denbow; na Jamaica o dancehall; no Brasil, o funk. ‘Afrochoque’ une todos esses estilos como uma pangeia musical. É a diáspora africana se reunindo, se reencontrando, se levantando e expressando a sua voz”, explica Monkey Jhayam.

 

Para chegar nesta sonoridade ímpar (lançada em 11 de setembro) o cantor e compositor se uniu aos produtores Dudu Marote e DJ B8.

 

Arte: @shiron_the_artist <https://www.instagram.com/shiron_the_artist/>

 

O clipe, dirigido por Premier King, tem um roteiro inspirado no filme hollywoodiano Jumanji, mas em versão afro. Um misterioso jogo aparece na vida de um cidadão comum que anda descontente com as notícias da TV. A cada manipulação que faz no tabuleiro, o jogo faz aparecer Reis e Rainha africana(os) pela cidade. Esses personagens se reúnem e lhe dão um “afrochoque”, que faz com que ele perceba a força que tem.

 

“O afrochoque é o impacto da transformação de uma pessoa padrão, que vive nos moldes da sociedade, para quem ela realmente é. É a volta às raízes, o empoderamento do povo preto, a força para assumir sua identidade sem medo”, explica Monkey Jhayam.

 

Assista: http://bit.ly/afrochoque

 

O protagonista do clipe é Robertrix (Roberto Marcondes), artista, performer e dançarino referência em pirofagia.

 

O “Afrochoque” de realidade que Monkey Jhayam propõe aqui é uma ode ao existir, ao questionar e ao direito de festejar, numa linguagem urbana e direta.

 

No dia 17 de setembro Monkey Jhayam estreia um novo formato de show, com banda, no webshow ao vivo que acontecerá às 18h no Estúdio Showlivre. Além de “Afrochoque”, o artista também executará as seis novas faixas que lançou em 2020.

 

Serviço Monkey Jhayam ao vivo no Showlivre:
17 de setembro (quinta-feira)

 

18h
www.showlivre.com
Grátis!

 

Afrochoque  (Monkey Jhayam)

 

Afrochoque chegou pra combater,
Na batida que veio Afrontar,
Afrochoque de realidade,
Para resistir e questionar
Afrochoque chegou pra combater,
Na batida que veio Afrontar,
Afrochoque de realidade,

Quando o barril de pólvora explodir,
E a sua consciência expandir,
Afrochoque chegou pra fazer,
O corpo todo se mexer,

Pois quem dança seus males espanta, por isso que vim aqui pra cantar, e pra quem pratica a maldade, deixa que a natureza vai cuidar, o kaos é uma necessidade, é preciso desorganizar, Afrochoque é a diversidade, é amar o que se é sem duvidar.
Abre espaço pra roda formar, da licença quem não quiser dançar,
Quando o toque do tambor começar, eu quero ver o baile todo borbulhar.
O caldeirão vai ferver, o clima vai esquentar, quero ver o chão tremer.

Afrochoque chegou pra combater,
Na batida que veio Afrontar,
Afrochoque de realidade,
Para resistir e questionar.
Afrochoque chegou pra combater,
Na batida que veio Afrontar,
Afrochoque de realidade.

Quem tem sede pode vir para beber, essa fonte faz rejuvenescer,
A verdade no âmago do ser,
No tempo natural vai florescer,

Chega mais que o storo é aqui,
Vem pra se libertar, se divertir,
Quero ver o suor escorrer, sem parar até o amanhecer,

Quem tiver no caminho sai da frente, raggamufin radicado no repente, lhe trazendo uma proposta diferente, ainda desconhecida no ocidente,

Para dançar, chega para dançar,
Não quero ver ninguém parado aqui nesse lugar, se libertar, para se libertar, lutar pelo nosso direito de festejar.

O caldeirão vai ferver, o clima vai esquentar, quero ver o chão tremer.

Afrochoque chegou pra combater,
Na batida que veio Afrontar,
Afrochoque de realidade,
Para resistir e questionar.
Afrochoque chegou pra combater,
Na batida que veio Afrontar,
Afrochoque de realidade.

 

Ficha Técnica Música:

 

Artista: Monkey Jhayam
Nome da Música: Afrochoque
Produção: Dudu Marote e DJ B8
Produção Executiva: Rafael Rosa
Mixagem: Dudu Marote
Masterização: Icy Sasaki
Músicos: Marcos Mauricio: Teclas | Beto Malfati: Flauta transversal e sax tenor | Bio Bonato: Sax Barítono | Victor Rodrigues Fão: Trombone | Marco Stoppa: Trompete | Danilo Tael: Baixo | Vinicius Sampaio: Guitarra | Luciano dos Santos: Percussão e cuíca | Ubunto: Programações bateria
Arte: Shiron The Iron

 

Ficha Técnica Clipe “Afrochoque”

 

Direção: Premier King
Produção Executiva: Rafael Rosa
Produção: Rafael Rosa e Monkey Jhayam
Roteiro: Monkey Jhayam, Premier King e Rafael Rosa
Produtora de Campo: Yumi Novais
Assistente de Direção e Fotógrafo: Fernando Tavares
Lettering: Shiron The Iron
Produtor de Elenco: Monkey Jhayam e Rafael Rosa
Motorista: Didier Quintino
Maquiagem: Dri Chepezan e Maya Rove
Cabelo: QueerHair Stylist
Figurino: Nicole Simon, Lucas Fidelis e Mosca
Elenco: Roberto Marcondes como “Buiu” e “Robertrix”
Marcus Vieira como “Seu Ticão”
DJ B8 como “Thiago Thomaz”
AfreeKa-Du como “Rei 1”
Bárbara Terra como “Rainha”
Fábio Kabral como “Rei 2”
Pedro como “Pedrinho”
Locações: Kurube (Casa do Gu) | Pandora Produtora Casa Estúdio
Apoio: Fila, Converse e Okan

 

 

Distribuição Digital Ditto Music
www.dittomusic.com

 

 

 Assessoria de Imprensa | Catto Comunicação