Dores e amores no lançamento do single “Vem me Curar” da dupla brega João Pedro & Abelardo

Em clima de descontração, a dupla brega João Pedro & Abelardo, lança seu primeiro single, “Vem me Curar”, pela Tal e Tal Records. A canção brinca com a sofrência amorosa a partir de uma via lúdica, brincando com situações e sintomas típicos da dor subjetiva. Vagar a esmo, sentindo-se nauseado e confuso,  consultar forças cósmicas e receitas populares até achar a fórmula mágica da paz. É desse jeito, que João Pedro & Aberlado promovem essa celebração do amor em sua forma sofrida e venturosa, dialogando com as dores sentimentais que deixam feridas na alma de todas pessoas em algum momento de suas vidas.

 

Link to Spotify: https://bit.ly/3uzZE6H

 

Sobre a dupla:

 

Depois de muitos projetos alternativos, cults, passeios pelos sons experimentais, beats e outros afazeres que já não satisfaziam seus corações, João Pedro Cé (Trabalhos Espaciais Manuais) e Diego Abelardo (Agnostic Orchestra) iniciam um novo projeto e o encontro de artistas versáteis é um ingrediente primordial para trilhar o caminho do sucesso. Como o sucesso é relativo a realizar uma tarefa do início ao fim bem sucedida, podemos dizer que João Pedro & Abelardo já nasce um sucesso: fazer canções românticas com um certo tom de humor, sem perder a seriedade necessária para falar de amor.

 

Diego Abelardo é músico, compositor, produtor, videomaker e professor. Criador dos três volumes do projeto Agnostic Orchestra. Ganhador do concurso internacional “Broken Orchestra Remix” em 2018. Tem seu estilo focado nos processos eletroacústicos de arranjos e mixagens, explorando sonoridades e texturas através da experimentação composicional. Indo da MPB ao Jazz e ao Hip Hop, misturando com sua poesia e samples tudo que consegue expressar de suas intenções artísticas e existenciais.

 

Músico e Produtor Musical, João Pedro Cé atuou em diversos projetos em Porto Alegre (Bel Medula, Pretago, Trabalhos Espaciais Manuais) como arranjador e guitarrista, tendo experiência em produção executiva de grupos e curadoria Festival Porto-Alegrense de Bandas Instrumentais. Ganhou o Prêmio Açorianos de melhor trilha sonora em 2015 por “Qual a diferença entre o charme e o funk” e foi indicado para o mesmo prêmio em 2016, pelo espetáculo “Afrome”.Também é Psicólogo e mestre em Psicologia Social focada nos processos culturais e execução de políticas públicas de cultura com foco nas trajetórias de vida.

 

 

 

Com informações:  Tal & Tal Records