Gabrre estreia com tocar em flores pelado

Obra retrata a vida de um jovem contemporâneo com seus afetos, relacionamentos, cotidiano e conflitos 

 

Gabrre, cantor e compositor gaúcho de 22 anos, de Gramado, na Serra Gaúcha, lança o seu álbum de estreia tocar em flores pelado (isso, tudo em letras minúsculas mesmo), pelo selo Honey Bomb Records, no dia 23 de outubro. São 10 faixas nas quais o universo do artista é revelado. Sua música é o resultado da fusão entre violões e pianos recheados com echo e reverb, percussões pulsantes e vocais etéreas. Ouça aqui.

 

Três faixas já foram apresentadas para o público em videoclipe, com atmosfera retrô, dando o tom do artista: mula sem cabeça, lançado em Abril, de noite eh dia de sair, lançado em Setembro, e elephants, lançada no início de Outubro. Além delas, Gabrre já revelou defender, que também está no álbum e hoje revela o clipe da música boris – assista aqui. “No disco, se desenrola uma breve narração dos meus anos como jovem no extremo sul do país. Noites de festas em casas aleatórias, passeios diurnos em todos os lagos possíveis, amor e carinho pelos meus animais, amigos e família e lamentos otimistas são alguns dos temas da obra”, explica Gabrre.

 

Faixa a faixa

 

A faixa que abre é verão de novo. “Essa eu fiz em 2018, em uma tarde quente no primeiro dia do verão, de saco cheio dos ciclos infinitos de tédio em Gramado, pensando no dia em que partiria para algo novo e mais interessante”, explica ele que em breve se muda para Portugal. “Penso também nas pessoas que continuam por aqui, assistindo a mais um verão que se passa e o eterno status quo da serra. Por outro lado, estar em Gramado faz com que a dor da mesmice seja aliviada, pelo menos no verão”.

 

Em seguida, Gemutlichkeit. Instrumental mais suave, “seus timbres saturados remontam uma live session em uma fábrica abandonada de Berlim na década de 90”. Terceiro single apresentado do disco, de noite eh dia de sair ganhou clipe. “Foi a primeira faixa que trabalhei pensando especificamente no seu formato: melodia, arranjo e estrutura pop de rádio. A letra é sobre sair e encontrar as mesmas pessoas, nos mesmos lugares, fazendo as mesmas coisas, geralmente banais e autodestrutivas”.

 

mula sem cabeça foi o segundo single revelado para o público e o primeiro a ganhar videoclipe, cuja canção o artista define como “idealizações adolescentes in a nutshell”. E a instrumentação ele encara como “um aceno debochado aos grandes jargões do pop”. O amor ao próprio quarto, onde os adolescentes constroem seus próprios universos, é traduzido em no meu quarto. “A maior parte das vezes, enjoado das mesmas pessoas e das mesmas coisas, saia de casa já almejando o momento da volta”, conta.

 

elephants retrata as dores de um relacionamento instável. “É uma música esquecida da Urso Polar, minha antiga banda de adolescência. Às vezes, quando brigamos, não queremos acertar as coisas, apenas deitar e abraçar calados”. Inspirado na simplicidade do olhar do seu gato, boris fala como se comportar diante das adversidades, apesar de raramente Gabrre seguir seus próprios conselhos. “Olhar nos olhos do meu gato sempre me faz olhar para dentro de mim, e a simplicidade que neles encontro, em mim sinto falta”. A faixa é a destaque do lançamento e ganhou clipe – assista aqui.

 

sapinhos fala sobre superar desilusões amorosas. “Condensei todos os sentimentos ruins  de anos de decepções, majoritariamente amorosas e criei o cenário mais frustrante  possível para, finalmente, externalizar tudo isso e seguir em frente”. Já defender foi o primeiro single apresentado para o público e fala sobre lealdade. “Defender é uma declaração para todas as pessoas que você mais ama, jurando que você as defenderá a todo custo, independentemente de suas inseguranças”.

 

Encerrando o álbum, faz bem, faixa na qual o artista reúne todas as características sonoras apresentadas na obra. “Estar perdido na vida e atolado de incertezas, a única coisa que me deixa seguro é pensar que nada disso importa porque eu tenho pessoas que estarão sempre ao meu lado”.

 

OUÇA O DISCO AQUI

 

FICHA TÉCNICA

 

“tocar em flores pelado”

 

Ano: 2020

Duração: 50 minutos

Composição, produção, arranjos e mixagem: Gabriel Fetzner

Masterização: Gabriel Gobbi de Oliveira

Participações especiais: Lucca de Castro Moura, baixo nas faixas 3, 4, 6, 7 e 9;

Ariel Bordin, letra e melodia na faixa 6.

Fotos: Samyra Locateli

 

LINKS

 

Instagram

Facebook

Spotify

Amazon

Deezer

 

CLIPES

 

“mula sem cabeça” (2020)

“de noite eh dia de sair” (2020)

“elephants” (2020)

 

SOBRE GABRRE

 

Aos 16, lançou seu primeiro EP como baterista no grupo Urso Polar, um ato extinto de indie rock autodepreciativo da serra gaúcha (Canela e Gramado).

 

Já em novembro de 2019, aos 21, estreou como artista solo com seu primeiro single “…e parabéns”, selecionado pela Natura Musical e Honey Bomb Records para a coletânea “Sons que Vem da Serra”.

 

E, no início de 2020, compôs uma série de outras músicas que acabaram virando um disco intitulado “Tocar em Flores Pelado”, que será lançado pelo selo Honey Bomb, em outubro.

 

 

 

Com informações: Thais Pimenta – Café 8