Gustavo Bertoni lança “Sit Down, Let’s Talk”, segundo single de seu próximo álbum solo

A faixa, que chega às plataformas nesta sexta-feira (10), é um apelo à autorreflexão e teve as imagens do clipe captadas por drones

 

Um convite desapegado. Com calma. É assim que “Sit Down, Let’s Talk“, música lançada nesta sexta-feira (10), é descrita pelo cantor e compositor brasiliense Gustavo Bertoni. Segundo single do seu próximo trabalho-solo, “The Fine Line Between Loneliness and Solitude”, que tem lançamento previsto para agosto, a faixa – um lançamento do slap, selo da Som Livre – sugere uma pausa para conversa, um espaço de fala e escuta, e já está disponível no aplicativos de streaming – ouça aqui.

 

O videoclipe, disponibilizado na mesma data, pode ser conferido no canal do artista no YouTube – assista aqui .

 

Com referências minimalistas, “Sit Down, Let’s Talk” – produzida por Lucas Mayer – propõe espaços vazios tanto sonoramente quanto em no registro audiovisual. “A música, por ser bem repetitiva, usando apenas dois acordes, pede certa calma para emergir nela”, explica Gustavo Bertoni. “Ela não fica te vendendo, estimulando ou convencendo a escutá-la, ela convida sem pedir nada, é um convite desapegado”, comenta.

 

Gravado entre Berlim e São Paulo, o disco “The Fine Line Between Loneliness and Solitude” traz inspirações de tais locações. “O Minimal Trash é uma vertente estética que descobri enquanto estava em Berlim. Tem um pouco de influência de música eletrônica ambiente também, que é uma outra faceta que eu gosto, então foi legal poder levar o folk da faixa para dentro desse lugar”, diz o artista, que também atua à frente da banda Scalene há 10 anos.

 

O videoclipe de “Sit Down, Let’s Talk” teve as suas cenas captadas por meio de drones. O registro foi feito em período de quarentena, o que colaborou no que Gustavo gostaria de passar pelas imagens. “A gente quis mostrar lugares normalmente movimentados, vazios. Eu acho que é uma metáfora boa para os vazios dentro de nós. Algo que a gente teve e estamos tendo que lidar durante a quarentena”, finaliza.

 

Junto a “Waves”, primeiro single lançado do disco, “Sit Down, Let’s Talk” contorna traços do terceiro álbum de estúdio de Bertoni, que visa refletir sobre os espaços de solitude, de solidão e enxergar a linha tênue entre as duas coisas.


“Sit Down, Let’s Talk” – Gustavo Bertoni

Lançamento slap/Som Livre – 10 de julho/2020

 

Letra:
Composição: Gustavo Bertoni

Sit down, let’s talk
What’s the rush?

Empty corners and alleys
Haven’t seen them in a while

Can’t hear myself think
Can’t feel myself here

Sit down, let’s talk
Why the blush?

Trippy colors and patterns
Are all I have to rely

Can’t hear myself think
Can’t feel myself here

 

Ficha técnica:

Direção: Mateus Augusto Rubim
Edição e Montagem: Dex Magalhães
Produção Executiva: Bruna Salgado
Timelapses: Naira Mattia
Imagens de drone do Rio de Janeiro: Bernardo Britto e Antonio Neri
Imagens de drone de São Paulo: Henrique Mello e Drone Birdun
Imagens de celular: Gustavo Bertoni
Design Gráfico: Sometimes Always e Giovanna Colagrossi

 

Sobre Gustavo Bertoni

 

Gustavo Bertoni começou a rascunhar as suas ideias no papel ainda criança. Mas foi a sua experiência junto à banda Scalene, que está há 10 anos na estrada, que ele – vocalista do grupo – lapidou a sua escrita e processo de composição, além de ter ampliado as suas referências e repertório. São quatro discos lançados com o Scalene e shows em importantes festivais, entre eles Lollapalooza, SXSW e Rock in Rio. Mesmo gostando do trabalho coletivo, Gustavo Bertoni sente a necessidade de voltar o seu olhar pra dentro de tempos em tempos. Ele desenvolve em paralelo à banda, uma elogiada carreira-solo que contabiliza dois discos lançados. Agora, ele se prepara para apresentar mais uma peça da sua construção individual, o novo álbum “The Fine Line Between Loneliness and Solitude”, com lançamento previsto para o mês de agosto.

 

Sobre slap

 

O slap faz parte da vida de quem busca novas experiências musicais e orgulha-se de, desde 2007, fomentar a cena indie e abrir as portas do mercado para novos artistas. Sua missão é potencializar e empoderar a cena musical independente do país, incentivando o midstream e fazendo com que novos sons, originais e arrojados, cheguem a cada vez mais pessoas. O slap carrega em sua história grandes lançamentos de nomes como Maria Gadú e Silva. Seus representantes têm todos a autenticidade como característica, e entre eles estão Ana Vilela, Céu, Luthuly, Marcelo Jeneci, Maria Gadú, Scalene e Silva.

 

@slapmusica

 

Assessoria de comunicação slap – InPress Porter Novelli