Isabel Fillardis lança carreira solo na música, com influências do soul e afrofuturismo

“O Meu Lugar” é o primeiro single da artista, que integra seu futuro EP “Bel, Muito Prazer”

 

OUÇA AQUI    https://dashgo.co/blqqoae

 

Com uma relevante trajetória na teledramaturgia, teatro, moda e cinema, Isabel Fillardis agora também dá lugar a sua antiga paixão: a música. Após apresentar o show “Refeita” no festival online Afrofuturistic Lab, no último mês, a cantora consolida sua estreia com o lançamento do single “O Meu Lugar”, que chegou recentemente às plataformas digitais, seguido de um especial lyric vídeo no YouTube, com estreia programada para o dia 16.

 

Com uma combinação de afrobeat e ijexá, a música reflete sobre a ressignificação e a busca por um novo horizonte, criando uma atmosfera de esperança e renascimento. A faixa é assinada pelos compositores Renato Gues e Sérgio Souza e irá compor o futuro EP da cantora “Bel, Muito Prazer”, que promete trazer muitas referências do soul, jazz e R&B.

 

“O Meu Lugar” é uma música que, inicialmente, tinha um significado muito pessoal para Isabel, pois simbolizava sua história e seus diversos renascimentos como mulher – como a própria cantora define. Porém, nesta nova realidade após a pandemia, a letra ganhou pluralidade e um novo significado. “A música fala sobre o abraço, o sorriso, a importância do afeto, resgatar as coisas que foram perdidas, que foram colocadas de lado, como a empatia, o amor. É sobre a busca por esse lugar que as pessoas querem encontrar. Todo mundo que escutar, com certeza vai se encontrar nela”, comenta a artista sobre a composição.

 

A música está enraizada na história de Isabel e se faz presente nos primeiros capítulos de sua carreira artística, que completa quase 30 anos. A cantora foi uma das vocalistas do trio de sucesso “As Sublimes”, na década de 90, e sempre manteve o canto presente em sua trajetória, atuando em diversos musicais. Mas, após enfrentar e vencer um câncer na língua em 2014, que poderia ter comprometido sua habilidade de fala, Isabel decidiu não conter mais o dom de cantar e hoje o considera uma verdadeira dádiva: “a arte escolhe a gente e eu vou exercer tudo aquilo que agrega ao meu coração e minha alma. E a música, definitivamente, não largo mais”, afirma.

 

Simultâneamente a sua carreira musical, Isabel lidera o movimento “Afrofuturistic”, idealizado pelo produtor Tony Prada e também manager da cantora. Baseado nos princípios afrofuturismo, o projeto tem por objetivo ressignificar, viabilizar e fortalecer a produção da música negra no Brasil, englobando gêneros como trap, soul, jazz, R&B e bossa nova. Artistas como DJ Hum, Thulla Melo, Klyn, Arape, Banda Ultra Soul, Ellen Oléria, Bebé Salvego, Tony Gordon e Izzy Gordon – já integram o movimento, que recentemente lançou sua primeira edição do festival de música Afrofuturistic Lab e prevê realizar futuras turnês pelo país, além da produção de uma série online sobre economia, sob o aspecto da cultura negra.

 

Em breve, Isabel anunciará o próximo single de seu EP “Bel, Muito Prazer”, que consiste em quatro faixas. A cantora já assegura que continuará dedicando-se a sua carreira na atuação, a qual ama tanto quanto a música. Entre seus próximos trabalhos na televisão e no cinema estão: a novela “Gênesis”, da Record TV, e o filme “O Faixa-preta – A Verdadeira História de Fernando Tererê”.

 

Foto por Thaís Monteiro

 

Letra – “O Meu Lugar”:   Renato Gues e Sérgio Souza

 

Estrangeira nesse mundo

Tenho muito pra dizer

Se caso você não entender

A tradução tá no seu coração

Saiba que esse não é o fim

Você pode viver bem mais

A vida não é tão ruim

Um dia a gente encontra a paz

A solução tá num sorriso fácil

A esperança mora num abraço

Coloco amor em tudo que eu faço

E deixo acontecer

 

Onde eu vou chegar

Onde eu vou chegar

Eu vou buscar o meu lugar Ih laiá lá Ih laiá lá

Estrangeira nesse mundo

Tenho muito pra dizer

Se caso você não entender

A tradução está no seu coração

Saiba que esse não é o fim

Você pode viver bem mais

A vida não é tão ruim

Um dia a gente encontra a paz

Eu já estive no chão

E agora estou aqui

Tocando pra te ver dançar

Cantando pra te ver sorrir

As luzes de neon

Enfeitam a cidade

Eu vou buscar nossa felicidade

 

 

Sobre Isabel Fillardis:

 

Aos 48 anos, Isabel Fillardis é sem dúvida uma das principais referências para o atual momento do empoderamento negro feminino, devido a sua representatividade exercida no universo audiovisual, principalmente na teledramatrurgia. Perto de completar 30 anos de carreira artística, Isabel é ex-modelo, atriz, cantora, produtora, roteirista, diretora artística, e a lista continua… Ou seja, uma completa e apaixonada artista. Na década de 90, foi vocalista do trio “As Sublimes”, lançado pela Sony Music e inspirado no grupo de sucesso “The Supremes”, liderado por Diana Ross. O canto sempre esteve presente em sua trajetória, atuando em diversos musicais de destaque, entre eles: “A Turma do Pererê de Ziraldo” (2003) de Stella Miranda, “Orfeu” (2008) de Aderbal Freire Filho, “Ivone Lara – O Musical” (2018) de Elísio Lopes Júnior, entre outros. Em 2018, com o apoio do produtor Tony Prada, Isabel começou a planejar seu retorno ao mundo da música, mas desta vez, em carreira solo. Sua  estreia teve que ser adiada por conta da pandemia, mas foi efetivada neste ano em grande  estilo, através de seu show “Refeita”, apresentado ao vivo durante o festival de música online Afroturistic Lab, em 25 de agosto. Agora, Isabel lança seu primeiro single “O Meu Lugar”, canção que faz parte de seu EP “Bel, Muito Prazer”, que integrará mais três faixas inéditas.

 

Redes Sociais: Instagram Facebook YouTube

 

 

 

 

 

 

Com informações:  ASSESSORIA DE IMPRENSA –  MAIC Comunicação