Mercearia do Conde une gastronomia e música, dia 30/05 tem show de Bina Coquet

Restaurante lança “Música no Conde”, projeto que traz, em maio, pocket-shows de artistas consagrados como Nenê Kinteto, Irene Atienza e Bina Coquet

 

Música e boa gastronomia nas noites de quinta-feira na Mercearia do Conde. A colorida casa de esquina entre a Joaquim Antunes e a Sampaio Vidal, no Jardim Paulistano, abriga o projeto “Música no Conde”. Com a curadoria do baterista e produtor Carlos Ezequiel, o evento musical reúne grandes artistas nacionais e internacionais, grupos com diferentes formações, em pocket-shows, espetáculos intimistas, de diferentes gêneros e customizados para o espaço.

 

No mês de maio, acontecem os shows do gaúcho Nenê e seu Kinteto (dia 16), da cantora e compositora espanhola Irene Atienza (dia 23), em duo com violonista Douglas Lora, e do violonista carioca Bina Coquet (dia 30). Para o jantar musical, a chef Maddalena Stasi sugere o Pot-Pourri do Conde (R$ 49), um menu-degustação de entradinhas consagradas da casa, com diferentes sotaques, influências e sempre ingredientes e temperos brasileiros. No mix com até 3 opções, estão: bolinho de bacalhau com molho de pimenta (02 unidades); bolinho de risoto com queijo-meia cura (02 unidades); samosas de legumes e carne com chutney de manga; guacamole com beiju; ceviche da casa com suco de mexerica e chips batata-doce e bocaditos de salmão marinado no pão de miga integral com dip de queijo de cabra e raspas limão siciliano.

 

 

A cantora Irene Atienza e o violonista Douglas Lora: uma das atrações do projeto Música no Conde, na Mercearia do Conde, no Jardim Paulistano. Crédito: Luciana Aldegani

 

Para harmonizar, a nova carta da casa elaborada pelo chef de bar Ray Sousa tem 20 opções, dos clássicos aos autorais. O menu traz drinques aromáticos e refrescantes como: Veraneio (vinho rosé, suco de tangerina, Cointreau, Club Soda, R$ 31), Caipirinha do Sítio (cachaça, vodca ou saquês nacionais, caju com mexerica, R$ 30), Caipira do Engenho (cachaça, vodca ou saquês nacionais, limões cravo, siciliano e Taiti com mel de engenho, R$ 30), gim-tônicas, clericots e sangrias, em jarra, para brindar entre amigos e até opções sem álcool, como o soft-drink refresco de três limões com mel de engenho, gengibre e hortelã (R$ 23).

 

A arte sempre esteve presente na Mercearia do Conde. O restaurante, desde sua abertura em 1991, deu espaço para artistas plásticos, pintores e arte popular brasileira, com vários de seus objetos, artes e moda à venda. Fadas e trapezistas que parecem voar pelo ambiente, quadros, esculturas, relicários, panos de prato bordados, sacolas de feira, móbiles e artesanatos convivem em harmonia no salão principal e remontam às origens da casa, como um armazém de secos e molhados e venda de alimentos a granel.  Agora, jantares embalados por boa música.

 

 

O violonista carioca Bina Coquet, que se apresenta nesta quinta (30/maio), na Mercearia do Conde. Crédito: Rui Nagae.

 

Serviço:

O quê: Música no Conde – Shows de Nenê Kinteto (dia 16/05), Irene Atienza com Douglas Lora (23/05) e Bina Coquet (30/05)

Onde: Rua Joaquim Antunes, 217 – Jardim Paulistano – CEP: 05415-010 – São Paulo – SP

Quando: quintas-feiras, às 21h

Duração: 1h15 de show

Quanto: R$ 50 (couvert artístico). Estudante: R$ 25.

Informações e reservas: Tel. 11 3081-7204 e www.merceariadoconde.com.br

Capacidade: 110 lugares (sem área para fumantes)

Formas de pagamento: CC: Amex, MasterCard, Visa, Diners; CD: Visa Electron, Red Shop, Maestro. Aceita cheques.

Serviço de valet: R$ 25.

Instagram: @merceariadoconde

Facebook: /merceariadoconde

Twitter: @mercearia_conde

 

Sobre os artistas:

 

O gaúcho Realcino Lima Filho, mais conhecido como Nenê, é um dos mais experientes músicos brasileiros em atividade. Seus 50 anos de carreira incluem atuações como baterista em discos históricos de artistas como Hermeto Pascoal, Elis Regina e Egberto Gismonti e também uma brilhante trajetória como compositor à frente do Nenê Trio. A música de Nenê tem uma sonoridade única, marcada por uma especial adaptação de elementos polirrítmicos aos ritmos tradicionais brasileiros, bem como por harmonias e melodias sofisticadas. O quinteto é formado também por Fabio Leandro (piano), Jakson Silva (contrabaixo), Rodolfo Guilherme (trompete), Gustavo Benedetti (sax). O show na Mercearia do Conde faz parte dos lançamentos do artista para este ano, dois novos discos autorais, Verão, 14º. álbum de sua carreira solo, e Pantanal, com seu novo grupo Nenê Kinteto.

 

Cantora e compositora, Irene Atienza é natural da Espanha onde iniciou sua carreira unindo o flamenco a ritmos brasileiros como o samba, a bossa nova e o choro. Em 2011, começou a vir regularmente ao Brasil. Em 2013, integrou o elenco da novela Flor do Caribe, da TV Globo, cantando em cena e gravando faixas musicais. Em 2015, é convidada para gravar a música “Años” do compositor cubano Pablo Milanés, que faz parte da trilha da novela Sete Vidas, também da TV Globo. Hoje com residência em São Paulo, coordena o “Samba da Gringa” onde convida diversos músicos da cena paulistana para uma roda. Em 2018, lança “Salitre”, primeiro álbum solo autoral, que conta com a participação especial de Lenine.

 

O carioca Vinicio Dutra Coquet, mais conhecido como Bina Coquet, apresenta sua versão única do Jazz Manouche, que surgiu na França na década de 1930 nas mãos do cigano Django Reinhardt, unindo repertório característico do gênero com a música brasileira. O primeiro brasileiro a tocar esse estilo fora do país em festivais de Jazz Manouche, Bina já trabalhou com artistas diversos como Seu Jorge, Wilson Das Neves, Céu, Anat Cohen, Arismar do Espirito Santo, entre muitos outros. Em 2017, se apresentou como artista convidado no Django Reinhardt Gypsy Jazz Festival de Amsterdã, passando também por Paris, Bruxelas e Berlim. Atuou outras vezes fora do Brasil, em países como Colômbia, Chile, Argentina, e no maior festival do gênero nos EUA, o Django Northwest Fest, em 2018.

 

Sobre a Mercearia do Conde:

 

Criada em 1991, a Mercearia do Conde era originalmente uma mercearia e vendia mantimentos a granel, queijos, cereais e massas. A colorida casa de esquina na Joaquim Antunes, no coração do Jardim Paulistano, zona oeste de São Paulo, ainda guarda resquícios do antigo armazém, com azulejos brancos e objetos pendurados pelo teto. Fadas e trapezistas parecem voar pelo ambiente lúdico e acolhedor. Quadros, relicários, sacolas de feira e artesanato variado estão por todos os cantos. Pelo cardápio, também há a preocupação com essa viagem gastronômica e sensorial. Pelo menu variado da restauratrice Maddalena Stasi, há preferência pela culinária brasileira, com viagens pela Bahia, como vatapá, bobó de camarão e moqueca vegana de banana-da-terra; por São Paulo, com pasteizinhos caipiras e virado, sem abrir mão das massas artesanais e de sotaques picantes e orientais. Ingredientes que fazem com que cada visita ao restaurante seja uma nova e colorida viagem.

 

Informações à imprensa:

SG Comunicação & Imagem

#SIGA NO INSTAGRAM