Michael Sullivan homenageia Cassiano ao lançar versão de “A Lua e Eu” gravada com o amigo em 1997 no streaming

Com vocais originais e produção assinada por Lincoln Olivetti, clássico da MPB traz à tona recordações do artista falecido em maio

 

“Mais um ano se passou / E nem sequer ouvi falar seu nome / A lua e eu…”. Esses são os primeiros versos de um dos maiores clássicos da MPB, “A Lua e Eu”, famosos na voz de Cassiano, autor da canção. E é em tom de homenagem que o cantor e compositor Michael Sullivan, outro grande nome da música popular brasileira, lança pela primeira vez a faixa nas plataformas de música – ouça aqui . Com produção assinada por Lincoln Olivetti e como se a existência desta gravação já não fosse um presente o suficiente, seu lançamento chega ainda acompanhado de um lyric vídeo em preto e branco, com elegantes imagens de Sullivan em estúdio – assista aqui .

 

Sullivan reflete a respeito das motivações para lançar a faixa neste momento, mais de 20 anos após a gravação original. “Chega uma época em que nos damos conta de que tudo o que fazemos se transformará em lembrança um dia. É a maturidade. Para alcançá-la, é preciso justamente já ter lembranças. E isso faz com que cada hora das nossas vidas seja bela e que as músicas ecoem”, conta o artista. “Eu e Cassiano sempre tivemos muito em comum: nordestinos, negros, pobres. Éramos perfeitos para os rótulos e nós fizemos de tudo para que isso não acontecesse. Olhando para trás, no ato daquela, nos sentimos vitoriosos diante dos preconceituosos. Essa gravação me diz muita coisa e volto a afirmar: o mínimo gesto que eu poderia fazer é deixar essa lembrança para o futuro. Por isso a minha homenagem ao mestre Cassiano”, completa.

 

A nova versão de “A Lua e Eu” é capaz de transportar quem ouve para a era de ouro do soul, do blues e da black music no Brasil, um movimento capitaneado por nomes como Sullivan, Cassiano e Tim Maia, que teve seu auge entre as décadas de 60 e 70. “Todas as emoções que tive com Cassiano, e também com Tim Maia, balizaram minha música ao longo de toda a minha vida. Nesta faixa, em que convidei Cassiano a cantar comigo essa composição dele, podemos ouvir ao final sua assinatura, na qual ele diz: ‘essa é com carinho para o nosso povão’. Porque ele sempre me disse que admirava a minha leitura plural, como era a dele, e a forma como busquei servir ao meu povo por meio da minha musicalidade. Meu entendimento é que a cultura de um país é formada pelo povo. A arte como resistência é fundamental. Mas a minha arte é sobre existência”, confidencia Sullivan ao trazer à tona recordações da época.

 

Questionado sobre a atual cena brasileira de soul e blues, o cantor e compositor se mostra antenado ao que está acontecendo e cita artistas da nova geração. “O cenário de hoje é propício, eu tenho escutado sonoridades, timbres e levadas incríveis. Estamos no tempo do som e seus experimentos. Tenho ouvido artistas completos como Delacruz, Liniker, Luccas Carlos. Vejo este tempo reunindo ingredientes perfeitos para casar com a melodia. Acho que esse encontro está vindo e será muito promissor para o blues e soul brasileiro. O que muito me toca é ver também artistas que não são necessariamente do gênero, mas trazem as influências ‘blacks’ para seus álbuns, expandindo e conquistando mais espaço. É um bom caminho!”, conclui.

 

“A Lua e Eu” – Michael Sullivan e Cassiano

Lançamento Som Livre – 25 de junho/2021

 

 

Sobre a Som Livre

 

A gravadora brasileira Som Livre foi fundada pela Globo em 1969 para o lançamento e divulgação de trilhas sonoras de programas de TV. Com todas as transformações no mercado musical, a Som Livre se tornou uma gravadora de vanguarda, refletindo o gosto musical do brasileiro. Com sua capacidade única de entender e antecipar preferências, aspirações e comportamentos dos brasileiros, a Som Livre é uma gravadora de música digital totalmente integrada com um modelo comprovado para identificar, desenvolver e promover a música e os artistas que os fãs continuarão a abraçar nas próximas décadas. A Som Livre tem forte atuação em eventos ao vivo, sendo produtora de festivais no país por meio de diversas marcas, como Festeja e Samba D+. Ela também tem sua plataforma de distribuição de música, a Fluve, e operações adicionais em sua editora musical.

 

Acompanhe a Som Livre nas redes:

 

somlivre.com

instagram.com/somlivre

facebook.com/somlivre

twitter.com/somlivre

youtube.com/somlivre

linkedin.com/somlivre

 

 

 

 

Com informações:  Assessoria de comunicação Som Livre – InPress Porter Novelli