Projeto que revisita obra de Rita Lee & Roberto de Carvalho, “Classix Remix”, fecha trilogia de álbuns com vocação para as pistas

Homenagear minha mãe e meu pai com esses remixes foi umas das realizações mais importantes e especiais que tive na vida. A jornada foi intensa, demorou para se materializar, mas não poderia estar mais feliz com o resultado. Um agradecimento especial a todos os envolvidos, à Universal Music pela parceria e, acima de tudo, aos produtores e produtoras, queridos amigos e amigas, pela dedicação, pelo carinho, pela magia e por terem embarcado comigo nessa celebração”. João Lee

  

Projeto que revisita obra de Rita Lee & Roberto de Carvalho, “Classix Remix”, fecha trilogia de álbuns com vocação para as pistas

 

Por Guilherme Samora

 

Classix Remix” – com releituras da obra de Rita Lee & Roberto de Carvalho – chega ao final da trilogia com o lançamento do último volume, no dia 25 de junho. João Lee, que capitaneou o grandioso projeto, fecha com chave de ouro ao entregar um álbum parrudo, o maior deles, com 17 músicas.

 

O mais “pista” de todos, “João Lee presents: Rita Lee & Roberto – Classix Remix Vol. 3”, promete agitar. E mostra, desde o início, uma vocação para invadir festivais mundo afora (Vem, vacina!). E nem sempre as escolhas são óbvias. “Só de você”, clássico romântico do disco “Rita Lee e Roberto de Carvalho” (1982), vem marcada, cheia de ritmo e com uma roupa completamente nova. A proposta de Coppola transforma a canção com beats, mas ele não se esquece do sapateado e do piano da original, aqui e ali, capturando o ouvido de fãs mais atentos.

 

“Pega rapaz” (do disco “Flerte Fatal”, 1987) é uma surpresa deliciosa. Não perdeu a essência 80’s, pelo contrário: Gui Boratto se junto a Junior C e carregaram nas tintas da década, com uma produção impecável. Com a voz da Rita lá no alto, reafirma também, para além da genial compositora, o motivo de ela ser uma das maiores intérpretes do Universo. Ave, Rita!

 

“Banho de espuma” (de “Saúde”, 1981), de Fatnotronic & Emmo, finca – e sublinha – as raízes no discorock-carnaval para não deixar ninguém parado. “Nem luxo nem lixo” (de “Rita Lee”, 1980, também conhecido como “Lança Perfume”), mistura orquestra, batuque e estalos com trechos praticamente A cappella. Uma das favoritas dos fãs, “Tatibitati” (do “Saúde”, 1981) ganha remix pelas mãos de Renato Ratier feat Tqt. A vocação dançante sempre esteve na música: um dos maiores hits de Rita & Roberto na Europa, que conquistou as pistas de dança por lá nos anos 80.

 

Falando em favoritas dos fãs, “Shangrilá” (do disco “Rita Lee”, 1980) ganha releitura de Elekfantz numa levada cool, fluida e calcada nos vocais perfeitos de Rita. E por falar no disco de 1980, “Lança Perfume”, claro, não pode faltar e aqui se faz presente em dois remixes: o primeiro com o DJ Axel Boman e o segundo do Filhos do Rock. E não podiam ser mais diferentes. O primeiro mais eletrônico e o segundo uma joia dançante produzida por João Lee, Vivi Seixas e Kryptus Gomes.

 

“Saúde” (de “Saúde”, 1981) vem remodelada por DEE:VISION. É para dançar, mas também marca o atual desejo crescente para gritar que o essencial da vida é saúde. “Agora é moda”, canção delícia de “Babilônia” (1978), tem o groove funky misturado a uma levada jazzy por Cobblestone Jazz. E ouvir a música nesse momento nos mostra que essa letra é daquelas que a Rita poderia ter feito hoje, de tão atual!

 

“Mania de você” (de “Rita Lee”, 1979) e seu mormaço sexy (no melhor estilo Rita & Roberto) chega às pistas com uma roupagem jazz/ eletrônica de Guti, com teclados requintados e levada chique. Do mesmo disco de 1979, a clássica “Chega mais” tem remix assinado por Diogo Accioly & Nuven.

 

Por falar em clássicos calientes de Rita & Roberto, “Caso sério” (de “Rita Lee”, 1980) tem os gemidos e vocais retrabalhados na versão de L Cio & Tessuto. “Corre corre” (outra atualíssima, do disco “Rita Lee”, de 1979) é de Ney Faustini.  E por falar em clássico, “Atlântida” (de “Saúde”, 1981) ganha roupagem techno de Alex Justino.

 

Um lado B dos melhores (e que acabou se tornando lado A ao virar trilha sonora de novela 10 anos após seu lançamento), “Vítima”, do álbum “Rita e Roberto” (1985), está no disco em remix de Morganna.

 

E a gente termina de ouvir o “Classix 3” chacoalhando o corpo, cantarolando vocais e grato pela viagem nessa máquina do tempo que conecta passado, presente e futuro. Obrigado, João!

 

E, para Rita & Roberto, a gente deixa registrada uma certeza: o rock/ pop planetário não seria o mesmo sem vocês. Nosso casal favorito. Na cama, no chuveiro, no trampo ou nas pistas, vocês estarão sempre presentes na trilha sonora de nossas vidas.

 

Guilherme Samora é jornalista e estudioso do legado cultural de Rita Lee

 

 

“O João Lee encerrou sua missão entregando o terceiro e último volume deste lindo projeto, no qual ele assina a curadoria e produção. Ele ainda nos brindou novamente com um incrível remix do hit ‘Lança Perfume’, ao lado da Vivi Seixas (filha do Raul Seixas) e do Kriptus Gomes (filho de Baby e Pepeu Gomes), com quem ele tem o projeto ‘Filhos do Rock´. Sabemos que foi muito difícil selecionar o repertório tendo um acervo com tantas músicas incríveis. Agradecemos muito a participação e colaboração de todos os djs e produtores que se dedicaram a este projeto único. Viva a música brasileira, viva Rita Lee e Roberto de Carvalho!

Paulo Lima (Presidente da Universal Music Brasil)

 

 

 

 

 

Com informações:  www.universalmusic.com.br

 Universal Music Brasil :: Departamento de Imprensa e Comunicação / PR