Super Só & Outros Videoclipes, espetáculo sobre solidão com trilha pop rock, faz curtíssima temporada no Centro Cultural São Paulo

Aos 21 anos de idade, a brasiliense Supersônica Cia. de Teatro chega a São Paulo depois de ter circulado pelo Teatro Sesc Paulo Gracindo, no Gama (DF), e pelo Teatro Marília, em Belo Horizonte (MG). Em julho, “Super Só…” estará no Festival Internacional de Teatro Cena Contemporânea

 

Super Só & Outros Videoclipes mistura música e humor para contar histórias de pessoas simples de grandes cidades. Música radiofônica, emoção e humor são os ingredientes principais da produção, com texto que coloca em evidência as vidas de tipos que vivem à margem da notoriedade. 

 

Quatro tipos de solidão vivenciadas por quatro pessoas pouco notadas em uma grande cidade: esse é o fio que conduz o espetáculo Super Só & Outros Videoclipes, que faz curtíssima temporada no Centro Cultural São Paulo dias 10, 11 e 12 de junho, sábado e domingo, 21h; e domingo, 19h. A peça tem trilha sonora de pop rock composta por Miriam Virna, que também atua, canta e dirige a montagem, em parceria com o diretor William Ferreira. No elenco estão os atores Elisa Carneiro e Lupe Leal.

 

Realizado com apoio do Fundo de Apoio à Cultura do Distrito Federal (FAC-DF), a montagem, que integra o repertório da Supersônica Cia. de Teatro, é reencenada após um hiato de cinco anos. No primeiro semestre de 2022, o espetáculo realizou uma circulação que já passou pelo Teatro SESC Paulo Gracindo, no Gama (DF), e pelo Teatro Marília, em Belo Horizonte (MG). Em julho, a obra vai para Brasília com apresentações no Festival Internacional de Teatro Cena Contemporânea.

 

Os quatro personagens de Super Só & Outros Videoclipes são pessoas comuns. “Não são heróis nem heroínas, não são belas nem têm notoriedade, mas elas têm muito valor. Esse valor que vemos só quando observamos com cuidado as pessoas que permeiam o nosso cotidiano”, define a autora Miriam Virna. Ela reforça que a intenção do espetáculo é o de “revelar a beleza das pessoas que o mundo não enxerga”.

 

Na peça, o indesejado super-herói às avessas Super Só dá relevo à solidão, medo, angústias, sonhos e desejos dos personagens de uma quadra comercial de Brasília e suas quitinetes. Marienilde é uma simples mãe trabalhadora, que mal é notada pelo marido e está em crise existencial. Fred é uma pessoa tímida que tem dificuldades para a vida social. Já Otacílio é um sujeito bonachão com o qual a vida não costuma ser generosa. Para fechar o quarteto, Drielly é uma menina sonhadora, que adora um videokê e se depara com a dureza que é trabalhar como opera

 

A compositora e autora do espetáculo, Miriam Virna, conta que teve como ponto de partida um álbum inteiro de músicas que compôs num rompante criativo. “Fiz as oito canções que falam de diferentes maneiras de se sentir sozinho no mundo e elas formam o álbum chamado Super Só. Todas elas ajudam a contar a história desses personagens”, explica.

 

Sobre a companhia

 

Com trajetória iniciada em 2001, a Supersônica Cia. de Teatro é dirigida pela multiartista Miriam Virna e tem no repertório espetáculos adultos e infantis. Sempre presente nas montagens da companhia, estão a música, o humor e o trabalho corporal coreografado. Na lista de espetáculos da Supersônica estão “Decamerão – Histórias quase santas”, “Abigail e a Girafa”, “Admirável e só para Selvagens”, “Propriedade Condenada” e “Lavanderia Bailarina”.

 

Sinopse

 

Nos noticiários da cidade, a notícia é sobre a presença de um super-herói indesejado. As informações circulam e chegam até uma quadra comercial de Brasília e suas quitinetes.  Até então protegidos em suas “caixas de morar”, os habitantes e trabalhadores da região têm suas vidas cruzadas e alteradas por novos acontecimentos.

 

Solidão, medo, angústias, sonhos, desejos, são alguns dos aspectos humanos que são vivenciados nesse condomínio com a chegada do Super Só, uma espécie de super-herói às avessas. A cada janela da comercial que se abre no palco, um universo da realidade se revela e faz de Super Só & Outros Videoclipes, um espetáculo que celebra e reflete as relações humanas com humor, fantasia e muita música.

 

FICHA TÉCNICA

 

Textos e Canções: Miriam Virna
Direção: Miriam Virna e William Ferreira
Elenco: Elisa Carneiro, Lupe Leal e Miriam Virna
Direção Musical, Arranjos e Sonoplastia: Samuel Mota
Arranjos da faixa Super Só: Sascha Kratzer
Vídeos e projeções: João Angelini
Assistência de vídeo e imagens: Marcela Campos
Consultoria multimídia: Aníbal Alexandre
Direção de Arte e Cenário: Maíra Carvalho
Figurino: Maíra Carvalho e Marcus Barozzi
Visagismo: Marcus Barozzi
Iluminação: Dalton Camargos
Operação de luz: Ana Quintas
Preparação corporal: Mar Rosa
Coreografias: Mar Rosa (Lavanderia Bailarina) e Gustavo Letruta (Quem tem medo de Virginia Wolf)
Dramaturgista: Daniela Diniz
Arte gráfica: Jana Ferreira
Fotografia: Diego Bresani
Coordenação de comunicação: Lambada Comunicação
Assessoria de imprensa: Márcia Marques
Direção de produção: Aline Cardoso
Produção: Burburinho Cultural

 

Participações especiais:

 

ÁUDIO
Notícias de rádio e TV: Celso Araújo
Vitinho: William Ferreira
Sussurros da mãe da Rebeka: Adriana Lodi

 

VÍDEO
Vitinho: Brad Pinsher

 

SERVIÇO
Super Só & Outros Videoclipes

 

Temporada: Dias 10, 11 e 12* de junho de 2022
Sexta e sábado, às 21h; domingo, 19h
*Dia 12 de junho, a sessão terá tradução em LIBRAS
Ingressos: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia-entrada)
Disponível para venda pelo site da Sympla
Local: Centro Cultural São Paulo – Sala Jardel Filho
Rua Vergueiro, 1000 – Paraíso, São Paulo – SP
Capacidade: 321 lugares
Classificação indicativa: 14 anos
Informações: (11) 3397-4002

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Com informações: Canal Aberto Assessoria de Imprensa