Thedy Côrrea da banda Nenhum de Nós, lança álbum “O Apanhador”, nas plataformas digitais

O vocalista da banda Nenhum de Nós,  Thedy Côrrea, lançou o álbum O Apanhador”, em todas as plataformas de streaming.

 

Livremente inspirado na obra O Apanhador no Campo de Centeio, de J.D Salinger, o espetáculo tem direção musical de Thedy Corrêa, direção coreográfica de Carlota Albuquerque e direção cênica de Larissa Sanguiné e Fernanda Petit, com coordenação geral do ator e diretor Zé Adão Barbosa.

 

No álbum, houve ainda as participações especiais dos artistas Gabriela Lery, Thainá Gallo, Fernanda Petit, Manú Menezes, Gustavo Susin e Nícolas Vargas.

 

O musical teatral inspirado no livro O Apanhador no Campo de Centeio, do escritor americano J. D. Salinger.

 

Faixas:

 

  1. Boné Vermelho – 4:14
  2. Poemas nas Mãos – 3:38
  3. Jovem Encantador (ft. Gabriela Lery) – 4:09
  4. A Garota Ideal (ft. Thainá Gallo) – 3:22
  5. Damas Sem Completar (ft. Nícolas Vargas) – 3:16
  6. As Três Mulheres – 4:00
  7. Escola Preparatória (ft. Nícolas Vargas) – 4:27
  8. Radio City (ft. Fernanda Petit) – 2:57
  9. Dez! Dez! Dez! (ft. Manú Menezes, Gustavo Susin & Nícolas Vargas) – 2:20
  10. Atravessando Nyc – 4:48
  11. Boné Vermelho (Acústico) – 3:39
  12. Jovem Encantador (Demo)

 

O apanhador no Campo de Centeio – J.D Salinger

 

Sinopse:

 

À espera no centeio (O Apanhador no Campo de Centeio na edição brasileira) narra um fim-de-semana na vida de Holden Caulfield, jovem de 16 anos vindo de uma família abastada de Nova York. Holden, estudante de um reputado internato para rapazes, volta para casa mais cedo no inverno depois de ter recebido más notas em quase todas as matérias e ter sido expulso. No regresso a casa, decide fazer um périplo adiando assim o confronto com a família. Holden vai refletindo sobre a sua curta vida, repassa sua peculiar visão de mundo e tenta definir alguma diretriz para seu futuro. Antes de enfrentar os pais, procura algumas pessoas importantes para si (um professor, uma antiga namorada, a sua irmãzinha) e tenta explicar-lhes a confusão que passa pela sua cabeça. Foi este livro que criou a cultura-jovem, pois na época em que foi escrito, a adolescência era apenas considerada uma passagem entre a juventudade e a fase adulta, que não tinha importância. Mas esse livro mostrou o valor da adolescência, mostrando como os adolescentes pensam.

 

Redação Boomerang Music