Toots and the Maytals lança clipe “Warning Warning”

A “instituição” jamaicana que cunhou o termo “reggae” lança novo disco, em 28 de agosto, através do selo Trojan Jamaica / BMG.

 

O lendário grupo jamaicano Toots and the Maytals já deixou os fãs de reggae de antenas ligadas para seu novo disco de estúdio, o primeiro em uma década. Got To Be Tough chega ao mundo em 28 de agosto pelo selo Trojan Jamaica/ BMG Records. Hoje o frontman Toots Hibbert revela o segundo clipe deste disco: “Warning Warning”.

 

** Assista: https://youtu.be/rBHSb8m8I48

 

O vídeo animado, dirigido por Nick Franco, é um claro aviso, uma profecia sobre a destruição do planeta caso a humanidade não comece a tomar providências para cuidar do meio ambiente e das pessoas mais necessitadas.

 

 

Foto: Hugh Wright

 

Em tempos de incertezas políticas e sociais, a volta da voz de Toots Hibbert não poderia ser mais do que bem-vinda. Voz essa que ressoa desde o início do ska, durante o movimento pelos direitos civis na América e a independência da Jamaica nos anos 60. Nessa época, Toots cantou icônicas verdades como “Monkey Man” e “54-46 Was My Number” – uma irônica resposta para sua injusta prisão por ganja. Desde então, ele ganhou uma visão certeira sobre os sistemas corruptos que tentam dominar os esforços dos povos e essa característica está em todas as suas letras. Ganhador de Grammys, Toots Hibbert é mestre em criar um tipo de música de resistência, que harmoniza raiva e sensibilidade chamando atenção para as injustiças sociais. “Warning Warning” é um reflexo disso. É uma mensagem, um aviso para o mundo.

 

Em junho, a Toots and The Maytals lançou o primeiro single/clipe do disco Got To Be Tough. A faixa homônima ganhou massiva recepção global.

 

Este novo álbum que sai via Trojan Jamaica / BMG Records conta com produção do próprio Toots Hibbert. A guitarra é de Zak Starkey (co-fundador do selo Trojan Jamaica), a bateria é do mestre Sly Dunbar (Sly & Robbie) e a percussão do ícone de Nova Orleans, Cyril Neville.

 

O disco vem para renovar a carreira de quase seis décadas do homem que lançou um novo som e gênero musical com seu hit de 1968 “Do The Reggay”. Sim, Toots Hibbert cunhou o termo “reggay”, que depois passou a se referir ao estilo musical, derivado do ska e do rocksteady, que surgia na Jamaica no final dos anos 60.

 

 

Escute “Warning Warning” – https://toots.lnk.to/linkinbio

 

Links Toots and The Maytals:

 

https://www.facebook.com/tootsandthemaytals/

 

https://twitter.com/tootsmaytals

 

https://www.instagram.com/tootsmaytalsofficial/

 

https://youtu.be/NHN02jV5ozU

 

 

TROJAN JAMAICA

 

O selo Trojan Jamaica chega para explorar o diverso legado musical da Jamaica, desde suas raízes africanas até as infinitas inspirações vindas da música negra norte-americana como a soul music, R&B e blues. Com esse objetivo em mente, seu primeiro lançamento em julho de 2019, a coletânea Red, Gold, Green & Blue reúne estrelas como Big Youth, Mykal Rose, Andrew Tosh e Toots & The Maytals, assumindo eternas canções de nomes como Muddy Waters, Robert Johnson, Willie Dixon, Fleetwood Mac, entre outros.

 

A gravadora BMG assinou um contrato mundial com este novo selo, que representa a música produzida atualmente na Jamaica. A BMG é co-fundadora do Trojan Jamaica, portanto, licenciou o nome do famoso selo Trojan Records, que também faz parte de seu catálogo e de onde saiu a inspiração para este novo empreendimento. Enquanto alguns dos artistas se sobrepõem ao catálogo da Trojan Records, o Trojan Jamaica é uma marca de linha de frente totalmente independente.

 

A história do Trojan Jamaica começou em 2016, quando Zak Starkey – conhecido por seu trabalho como baterista do The Who, Oasis, Johnny Marr and the Healers e outros grupos – e a artista e produtora australiana Sharna “Sshh” Liguz uniram-se no projeto SSHH para reinventar o hit de Bob Marley e Peter Tosh “Get Up Stand Up” ao lado de Eddie Vedder com Carlton “Santa” Davis, Goerge “Full” Fullwood e Tony Chin, estes últimos três membros da banda jamaicana Soul Syndicate. Um vídeo dessa performance chegou ao empresário jamaicano Kingsley Cooper, que convidou o SSHH para se apresentar na inauguração do Museu Peter Tosh, em Kingston, em 2016. Em seguida, a dupla se inspirou a trabalhar no que logo se chamaria Trojan Jamaica. O anúncio do selo aconteceu em fevereiro de 2019. Com distribuição global pela gravadora BMG, sua missão é apresentar ao mundo a nova música produzida na Jamaica.

 

Links Trojan Jamaica:

 

https://www.facebook.com/trojan.jamaica/

https://twitter.com/JamaicaTrojan

https://www.instagram.com/trojanjamaica/

https://www.youtube.com/channel/UCz4gyIa-iWthYlgAkYCzjDw

https://trojanjamaica.com/

 

 

Com informações: Tropi Press