Zeca Baleiro lança ‘O Tempo Não Espera’

Em projeto inédito no Brasil, fãs se tornaram coprodutores do single ao adquirir tokens da música via tecnologia blockchain

 

Recentemente, chegou às plataformas digitais “O Tempo Não Espera”, novo single de Zeca Baleiro. Lançado via tecnologia blockchain, o projeto inovador disponibilizou cotas tokenizadas de “O Tempo Não Espera”. Assim como se compra qualquer criptomoeda, os fãs puderam adquirir pela internet os tokens desenvolvidos em blockchain e operados pela Tune Traders, e se tornar coprodutores do single. A cada vez que “O Tempo Não Espera” tocar em algum serviço de streaming, os fãs coprodutores estarão ganhando royalties.

 

“O Tempo Não Espera” é um reggaeton composto durante a pandemia especialmente para esse projeto. “É uma reflexão sobre este tempo de dor e incerteza em que estamos mergulhados, e da necessidade de, de certo modo, ‘reconstruir o mundo’, o de fora e o de dentro. Apesar do texto reflexivo, a música é um convite à dança, à alegria e à esperança por dias melhores. Vamos dançar sobre as cinzas”, comenta Baleiro.

 

Com a diluição do mercado fonográfico, que foi modelo de trabalho eficaz por muitos anos, novos mercados e modelos estão surgindo para os artistas da música. Projetos audaciosos como a tokenização de artistas, músicas e obras, oferecem um formato inovador que alia o financiamento coletivo à tecnologia blockchain e possibilita uma maior conexão entre o artista e seu fã. Atento a esse novo cenário, Baleiro resolveu lançar “O Tempo Não Espera” em parceria com a plataforma TuneTraders, um projeto inédito no Brasil que tornou fãs coprodutores de seu novo single.

 

Nesse projeto, o fã coprodutor tem um papel importante no processo de divulgação e performance da música, influenciando no resultado para si e para o artista. “É muito bom que estejam surgindo novas formas de divulgar e comercializar a produção dos artistas da música. Novas picadas vão se abrir deste casamento entre tecnologia e música, o futuro da arte aponta para esse caminho”, avalia Zeca Baleiro.

 

[letra]

O TEMPO NÃO ESPERA (Zeca Baleiro)

 

Pra onde sopra o vento agora

Pra onde vamos depois que o sol se pôr

E tudo for só medo, dúvida e escuridão

Qual a estrada a seguir

Se não há luz no céu, farol no mar

Nenhuma estrela guia o meu passo agora

O dia ainda demora

 

Vamos dançar sobre as cinzas e os escombros desse mundo

Quero mergulhar no fundo e voltar a respirar

Replantar as flores esmagadas na avenida

Ver a vida dizendo “o tempo não espera”

 

Como fazer viver o sonho

Na aridez do deserto

O que restará depois

Se esquecemos de acalentar a ilusão

Qual a estrada a seguir

Se não há luz no céu, farol no mar

Nenhuma estrela guia o meu passo agora

O dia ainda demora

 

Vamos dançar sobre as cinzas e os escombros desse mundo

Quero mergulhar no fundo e voltar a respirar

Replantar as flores esmagadas na avenida

Ver a vida dizendo “o tempo não espera”

 

Quem saber ver, verá

Quem sabe um dia

A claridade vem

 

[ficha técnica]

Zeca Baleiro – voz, synths e vocais

Érico Theobaldo – programação e synths

Pedro Cunha – teclados

Tiquinho – trombones

Hugo Hori – sax e flauta

 

* produzida por Érico Theobaldo e Zeca Baleiro

 

crédito foto: Silvia Zamboni

 

Ouça nas plataformas digitais

 

 

 

 

 

 

Com informações: Assessoria de imprensa –  Adriana Bueno