Alice Glass lança disco de estreia e divulga vídeo de ‘Everybody Else’

Canadense que já fez feat com Pabllo Vittar, lança ‘Prey //IV’, seu processo de cura após o tratamento abusivo que ela sobreviveu como metade de Crystal Castles

  

Videoclipe: https://www.youtube.com/watch?v=ElUXeOQrYE8.

 

No streaming: https://ffm.to/preyiv.

 

A cantora canadense Alice Glass acaba de lançar via Eating Glass Records o primeiro álbum de estúdio, intitulado ‘PREY//IV’. O registro inclui os singles lançados anteriormente, “Love Is Violence”, “Fair Game”, “Baby Teeth” além de “Suffer and Swallow”, este último descrito pela Paper Magazine como “um lembrete de seu status como um dos maiores nomes da música eletrônica”.

 

Ouça PREY//IV nas plataformas digitais: https://ffm.to/preyiv.

 

O disco, o segundo trabalho solo de Alice – após o aclamado EP autointitulado, de 2017 – sai junto a um novo videoclipe, com estética preto e branca, para a faixa “Everybody Else”.

 

Assista ao clipe aqui: https://www.youtube.com/watch?v=ElUXeOQrYE8.

 

Como destaca a artista, PREY//IV é a continuação do processo de cura após o tratamento abusivo que ela sobreviveu como metade de Crystal Castles. PREY//IV é, ainda, um esforço colaborativo de Alice com produtor e músico Jupiter io, que se uniram nos últimos quatro anos para compor e gravar – confinados em um porão.

 

Com camadas de noise-pop, nuances de electro e ritmos emborrachados saltando sob sintetizadores, PREY//IV continua a missão pessoal de Alice de compartilhar sua música vital para qualquer um com quem ela forneça um refúgio necessário.

 

Alice comenta sobre o disco e as mensagens de muitas das músicas:

 

“Espero que este disco alcance aqueles que precisam saber que não estão sozinhos neste mundo – que precisam saber que está tudo bem estar sofrendo”, ela destaca. “Espero, para alguns, que isso lhes dê coragem para encontrar um caminho para longe das situações tóxicas que estão enfrentando.”

 

A divulgação no Brasil é exclusividade da Brain Productions Booking.

Sobre Alice Glass e PREY/IV

 

O álbum de estreia de Alice Glass é uma explosão singular e eletrizante de emoção crua que é inconfundivelmente dela – o resultado de uma vida inteira empunhando os objetos pontiagudos necessários para sobreviver após traumas e abusos.

 

“É realmente difícil se curar do sofrimento no ritmo que todo mundo quer que você faça”, ela afirma enquanto discute a mentalidade emocional por trás de PREY//IV.

 

“Recebo mensagens de pessoas o tempo todo sobre o que aconteceu comigo, e sempre existe esse clichê da vítima superando e se tornando ‘a sobrevivente’. É unidimensional. Finais idealistas não representam a realidade. Há muitas maneiras diferentes pelas quais as pessoas vivem suas vidas, e a minha é uma delas.”

 

No período entre o EP autointitulado, de 2017 e PREY//IV, a cantora e compositora continuou o processo de cura após o tratamento abusivo que ela sobreviveu como metade de Crystal Castles, incluindo receber um diagnóstico de Transtorno de Estresse Pós-Traumático Complexo.

 

“Passei muito tempo processando tudo e sinto que tenho uma compreensão muito melhor das coisas agora”, afirma ela. “Às vezes você não sabe o quão perdido você realmente está até começar a encontrar o seu caminho”.

 

Alice também fala da confiança que tem em Jupiter e enaltece a produção criativa e positiva neste disco. “Ser capaz de ficar confortável e entrar em um estado no estúdio em que não estou sendo julgado me faz perceber que esse processo também pode ser catártico. Não é uma música feliz, mas neste momento não tenho escolha a não ser escrever músicas assim.”

 

Como título do álbum, PREY//IV não apenas descreve as experiências pessoais de Alice, mas o que as mulheres enfrentam estatisticamente na sociedade regularmente. “No mundo moderno, você tem a escolha de ser ou não um predador, mas não tem escolha se é a presa”, explica ela.

 

“Há inocência roubada e você sente que sua humanidade foi sugada por uma pessoa. Mas abraçar esse sentimento de não ter mais nada a perder foi realmente libertador, artisticamente.”

 

Por exemplo, o pop pulsante de “Baby Teeth” aborda o abuso e a violência que se pode experimentar para dentro. “Os homens são assustadores”, ela afirma. “A violência contra as mulheres faz parte da sociedade e sempre será, mas você não pode me machucar, porque estou me machucando ainda mais. Então eu venci você.”

 

Sob a música rave e dark de “Love Is Violence”, Alice detalha a toxicidade do amor como crença, bem como as maneiras pelas quais ele pode se transformar em pura manipulação: “O amor pode destruir completamente sua vida, e as pessoas podem ser implacáveis quando eles afirmam que estão apaixonados, é perigoso e a violência se manifesta de muitas maneiras diferentes.”

 

A peça central do álbum é “Fair Game”, com uma perspectiva totalmente diferente, refletindo as palavras dolorosas uma vez dirigidas a ela enquanto ela as repete sobre um ruído melódico áspero e crescente.

 

“É uma música em que estou me iluminando com frases específicas que me disseram”, descreve ela. “Na época, funcionou completamente comigo, e eu acreditava que eram fatos inegáveis. Mas olhando para aquelas frases fora de contexto, elas vinham de alguém que é patético e manipulador. Foi catártico escrever porque pude ouvir o quão ridículas essas coisas realmente soam, mas quando estávamos construindo estruturalmente, foi realmente desencadeante, e eu não consegui ouvir por muito tempo.

 

Agora eu danço junto e rio.”

 

Com o disco lançado, Alice agora está focada em compartilhar essa música vital para aqueles que desejam ouvi-la e para quem ainda precisa chegar até suas composições, como um tipo de caminho à salvação, um refúgio.

 

Feat com Pabllo Vittar

 

Alice tem um feat com ninguém menos que Pabllo Vittar. Elas cantam juntas na remix de Rajadão.

 

Assista ao clipe: https://youtu.be/J13z6pCiH4o

 

 O disco Prey // IV

 

Prey//IV

 

1. “Prey”
2. “Pinned Beneath Limbs”
3. “Love Is Violence”
4. “Baby Teeth”
5. “Everybody Else”
6. “The Hunted”
7. “Fair Game”
8. “Witch Hunt”
9. “Suffer and Swallow”
10. “Suffer in Peace”
11. “Animosity”
12. “I Trusted You”
13. “Sorrow Ends”

 

Alice Glass nas redes

 

www.instagram.com/_alice_glass

twitter.com/ALICEGLASS

www.facebook.com/aliceglass

www.alice-glass.com

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Com informações: Tedesco Comunicação & Mídia