Beto Mejía une música e literatura no projeto infantil “Onde o infinito é som”

“Funky” é o primeiro single, que pretente fazer com que as crianças se sensibilizem ao mundo sonoro. 

 

foto: Calu Corazzi

 

Como explicar às crianças conceitos abstratos como som e vibração? Será que tudo nesse mundo tem algum som? Ou então: como criar canções e imagens que nos ajudem a lidar com sentimentos que ainda estão nascendo e sendo compreendidos pelas crianças? Estas perguntas que rodeiam os nossos ouvidos serão respondidas no novo projeto do cantor, compositor e produtor Beto Mejía.

 

No dia 23 de agosto ele mergulha no universo infantil lançando o disco Onde o infinito é som – a primeira parte do projeto multimídia, que ainda contará com um livro, uma série de espetáculos interativos e vivências sonoras para crianças com deficiência visual.

 

Antes disso, nesta sexta (9), Beto lança (em todas as plataformas de streaming e compra de música digital) o primeiro single: “Funky”. A letra da canção reflete bem o conceito do projeto, que é fazer da música uma grande amiga para todos os momentos.

 

Escute “Funky”: https://youtu.be/39w-qEtVne0

 

Diversão, alegria, respeito e inclusão, valores essenciais ao produtor musical, estão em “Onde o infinito é som”. As canções despertam questionamentos e reflexões sobre temas universais como: biodiversidade, sustentabilidade e o respeito à diversidade. O objetivo é fazer famílias e crianças se conectarem e se ouvirem melhor individualmente, musicalmente e socialmente.

Beto Mejía ficou conhecido em todo o Brasil através da extinta banda Móveis Coloniais de Acaju (DF), na qual tocava flauta. Em 2012, estreou sua carreira solo com o EP Abraço e, em 2016, lançou o disco Wahyoob, cuja arrecadação pelos downloads no site teve renda revertida para dois projetos sociais.

 

DISCO – Onde O Infinito É Som

 

Lançamento digital: dia 23 de agosto. Seu repertório é composto por elementos brasileiros que mostrarão de forma didática o que é mais característico das melodias, ritmos e energia da nossa cultura e tradição. A concepção deste disco está baseada em referências que resgatam parte da história e memória da música infantil brasileira como os discos “Arca de Noé” e “Saltimbancos”.

Com 11 faixas o disco conta com participações de cantores como: André Abujamra, Ellen Oléria, André Gonzales, Mauricio Pereira e o duo de música infantil Mundo Aflora.

 

LIVRO – Funky e Maia: Onde O Infinito É Som

 

Lançamento: outubro de 2019. O livro é uma parceria de Beto com a escritora brasiliense Daya Sisson. Na prática, para complementar e unir o discurso de cada canção do disco, os personagens Funky e Maia foram criados para fortalecer a história contada nas músicas do álbum. Tudo com muita loucura, alegria, imaginação e surrealismo.

 

ESPETÁCULO – Onde O Infinito É Som

Os shows brincantes são verdadeiros entretenimentos para toda a família. Um convite a adultos e crianças para embarcar em histórias interativas e divertidas. As primeiras datas serão nos dias 28 e 31 de agosto, no CCJ Butantã. E no dia 14 de setembro, no Centro Cultural do Grajaú.

Cinco shows do projeto serão realizados em equipamentos da Prefeitura de São Paulo e contam com atividades de troca de brinquedos entre crianças. A ideia é a construção de interações positivas e novos modelos de comportamento altruístas entre as pequenas, assim como a sensibilização sobre a questão do desapego e o acúmulo de itens materiais.

Acredito que esse projeto possa servir também como
referência e bibliografia para pais e educadores que se interessam
por atividades de musicalização. Quero que esse disco seja não
apenas uma ferramenta pedagógica, mas que também crie
conexões emocionais entre pessoas, espera Beto Mejía.

 

O projeto Onde o Infinito É Som foi realizado através do Edital de Apoio à Criação Artística – Linguagem Música da Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo.

 

Beto Mejía é compositor, músico, produtor musical e cultural. Nasceu no Equador e se mudou para Brasília aos 5 anos de idade. Aos 6, começa seus estudos na Escola de Música de Brasilia onde se forma em flauta transversal sob a orientação do professor Sidnei Maia. Na escola de música também cursou piano, canto e composição. Trabalha como educador musical desde os 16 anos em escolas e com aulas particulares. Tocou em diferentes tipos de grupos musicais, desde orquestras sinfônicas até bandas de rock.

 

Compor e tocar flauta na banda Móveis Coloniais de Acaju (DF) foi o seu projeto mais notável, que durou 18 anos. Com os Móveis, lançou três discos, diversos clipes e um longa-metragem. Tocou em todo o Brasil, ganhou diversos prêmios como: Prêmio Multishow, Video Music Brasil MTV, Prêmio Orixalé do Afroreggae, entre outros. Teve a oportunidade de tocar com músicos como: André Abujamra, Fernanda Takai, Hamilton de Holanda, Yamandu Costa, Letieres Leite, Lenine, entre tantos outros. Como produtor cultural, produziu em Brasília o Festival de Música Móveis Convida de 2005 a 2015.

 

Como artista solo, Beto Mejía tem dois lançamentos. O EP Abraço (2012) e o disco Wahyoob (2016). Morando em São Paulo há 6 anos, Beto atua como produtor de trilhas para projetos institucionais e publicitários e está se especializando em musicalização infantil.

 

Instagram /betomejia/

facebook.com/bto.mjia

youtube /betomejiamusica

twitter /betomejia

 

Assessoria de Imprensa Beto Mejía – Tropi Press