Binarious reflete aflições da quarentena em versão de “Vidaloca”, da banda Tuyo

Girlband brasiliense saúda banda curitibana

 

 A solidão dentro de casa e a ansiedade com o mundo externo é o que move a versão de “Vidaloca”, música da banda Tuyo, feita pela girlband brasiliense Binarious. A faixa, que ganhou um clipe criado coletivamente, está disponível em todas as plataformas de música digital.

 

Assista ao clipe: https://youtu.be/yAjCwRqSygo

 

Ouça “Vidaloca”: https://smarturl.it/BinariousVidaloca

 

Baseada em Brasília, a Binarious é uma banda que une trip hop, indie folk e experimental. Transformando em música suas inseguranças e fragilidades, o grupo faz reflexões sobre sonhos, esperança, sexualidade, ciência e filosofia com forte postura girl power.

 

Binarious é formada atualmente pela fundadora da banda Andressa Munizo nos vocais e guitarras e pelas multi-instrumentistas Lídia Pessoa (baixo e vocais) e Clara Vidal (bateria). A sua discografia conta com o EP “Um Escape Fácil” com edição, mixagem e masterização do vencedor do Grammy Latino Ricardo Ponte. A versão da música lançada originalmente no disco “Pra Curar” (2018), da Tuyo, abre uma nova fase nessa carreira.

 

“Por mais que esse seja o momento em que os artistas estão trabalhando pra criar esperanças nas pessoas, e acreditamos que isso seja muito importante, a arte também existe pra questionar e protestar. Esse lançamento representa essa angústia que estamos vivendo na pandemia somada à pior liderança do mundo”, conta Lídia Pessoa.

 

A produção do novo single e do clipe foi feito inteiramente de modo colaborativo e a distância, cada um criando em sua casa, com integrantes da banda em estados diferentes. “Vidaloca” e “Um Escape Fácil” estão disponíveis em todos os serviços de streaming de música.

 

Assista ao clipe: https://youtu.be/yAjCwRqSygo

 

Ouça “Vidaloca”: https://smarturl.it/BinariousVidaloca

 

Ouça “Um Escape Fácil”: http://smarturl.it/UmEscapeFacilEP

 

 

Ficha Técnica:

Música – Tuyo

Interpretação e Arranjos – Binarious

Mixagem e Masterização – Andressa Munizo & André Morale

Direção de Arte – Lídia Pessoa

Edição – Andressa Munizo

Imagens Aéreas – Fábio Raposo

Agradecimento especial aos participantes – Amanda Lourenço, Bruno Setti, Dan Gustavo, Isis Tomaz (Noite Cinza), João Vitor Castro, LG, Natália Horta, Rafael Leão, Thandy Yung, Thiago Chaves (Stella Folks), Victor Birkett (Depois da Tempestade)

 

 

Letra:

A vida anda tão massa que eu fico bolada

Acho que tudo é armação

Tem câmera escondida dentro da minha casa

Pra filmar minha reação

A vida anda tão louca, tô encurralada

Com dilemas insolúveis

Porque agora eu sou grande, eu tô bem adulta

Tenho que pagar de normal

Um adjetivo bom pra vida é louca

Porque pra viver não pode bater bem

Se bem que no fim o mundo está morrendo

No final de tudo não sobra

Um adjetivo bom pra vida é louca

Porque pra viver não pode bater bem

Se bem que no fim o mundo está morrendo

No final de tudo não sobra

A vida anda tão chata que eu desejo a morte

Mas tô sem moral de morrer

Porque tem tanta coisa na minha agenda

Que eu tenho que resolver

Eu quero que se exploda a sociedade

E todos os seus malefícios

Porque a vida é pouca e eu não sou novinha

Quase pronta para partir

Um adjetivo bom pra vida é louca

Porque pra viver não pode bater bem

Se bem que no fim o mundo está morrendo

No final de tudo não sobra

Um adjetivo bom pra vida é louca

Porque pra viver não pode bater bem

Se bem que no fim o mundo está morrendo

No final de tudo não sobra

 

Siga Binarious:

 

Facebook: https://www.facebook.com/binariousband

Instagram: https://www.instagram.com/binariousband/

YouTube: http://hyperurl.co/BinariousYouTube

 

 

Com informações: Nathália Pandeló Corrêa – Build Up Media

http://www.buildupmedia.com.br