Cantora Gabi Doti lança seu novo álbum “Outra Razão”

“Outra razão” – Gabi Doti

 

Surpresa tem sido um estímulo fundamental para quem há quatro décadas faz do escrever sobre música sua profissão. Ingrediente raro num mundo saturado de informação e referências, é essencial para nos manter antenados, abertos ao novo e ao verdadeiro. Boas surpresas, como as de “Outra razão”, álbum da até então desconhecida (para esse batucador de teclas) cantora e compositora Gabi Doti, com dez canções autorais que dosam invenção, apelo pop e refinada produção.

 

Ela transita por um terreno também pra lá de congestionado e esbanja conteúdo e identidade em sua música. Padrão internacional, até na banda estelar que gravou o disco, no lendário estúdio EastWest Recording, em Los Angeles, mas com o natural sotaque latino-brasileiro de uma brasiliense de adoção, nascida em Montevidéu (Uruguai). Em uma das faixas, “Silêncio Capital”, enquanto questiona a Lei do Silêncio no Distrito Federal que poda a vida noturna e a atuação dos artistas candangos, ela autodefine o que ouvimos: um “funk-samba-jazz”, um “funk abrasileirado”, que respira “seca e jazz”.  Através do álbum, passando por pop rock, funk, r&b, balada, Gabi Doti deixa mais marcas de suas fortes digitais.

 

“Outra razão” começou a nascer há quase dois anos, após o encontro de Gabi com Moogie Canazio, produtor carioca radicado há quatro décadas em Los Angeles e cujo currículo inclui trabalhos com João Gilberto, Maria Bethânia, Caetano Veloso,   Rita Lee, Sérgio Mendes, Simone, Ivan Lins, Sandy & Junior, Xuxa,  Nathan East, Luis Miguel… Acertadas as agendas, durante os primeiros meses de 2019, ela se dedicou ao que encarou como a prova decisiva para suas ambições artísticas. A partir de centenas de rascunhos e ideias acumuladas nos últimos dois anos, chegou a 31 composições. Destas, 15 ganharam arranjos e, após a peneira final, dez integram o disco que agora chega às plataformas.  Os arranjos de base foram criados por Gabi, Moogie (que também foi o engenheiro de som nas sessões de gravação) e Daniel Baker – este, um músico (piano, Fender Rhodes e sintetizadores) que já vinha atuando como diretor musical de Gabi em Brasília.

 

Repertório e arranjos definidos, Gabi  Doti (voz) e Daniel Baker (teclados) se cercaram  de um time de sonhos:  Tim Pierce (guitarrista em discos e shows de Michael Jackson, Roger Waters e Phil Collins), Jamie Wollam (atual baterista do Tears For Fears, que já passou por grupos de Michael Jackson e David Crosby) e Sean Hurley (baixista de John Mayer, também presente em gravações de Ringo Starr, Annie Lennox e Alanis Morissette). Em cinco faixas, o percussionista cubano Rafael Padilla (que já trabalhou com Shakira, Gloria Estefan, Thomas Dolby, Diana Ross, Matt Bianco) reforça o sotaque latino-americano. Enquanto pontuais participações completam a paleta sonora do álbum: o percussionista Felipe Fraga (curitibano radicado em Los Angeles) botou pandeiro e repique em “Silêncio Capital”; os irmãos cariocas Felipe e Viny Melanio fazem backing vocals em “Nonsense” e “Iguais”; enquanto as canções “Nosso jeito” e “Iguais” contaram com a Orquestra de Saint Petersburg (sob a direção do maestro Kleber Augusto, a partir de arranjo de Daniel Baker).

 

Questões existenciais e pessoais (a balada “Nosso jeito”, o rock “Eco”);  celebração da vida sem amarras e preconceitos (o rock “Verdade ou mentira”, que abre o álbum; o pop-rock “Nonsense”; o funk à la Prince “Spotlight”); crônicas sobre o cada vez mais caótico mundo contemporâneo (o já citado funk-samba-jazz “Silêncio Capital”, a balada r&b “Iguais”) estão entre os temas de Gabi. São oito faixas em português (sem sotaque, pinta alguma de vir de uma uruguaia), uma no espanhol nativo – a cortante balada “Otra razón”, com letra que procura decifrar (e mostrar como conviver com) a síndrome de Alzheimer – e uma faixa-bônus em inglês, “Good times”. Esta, proporciona uma despedida suave, balada-lounge hipnótica, com mensagem de afirmação. Fecha “Outra razão” e nos dá muitas razões para voltar ao álbum. Com sua arte, a experiência acumulada como artista e produtora independente e cercada de um time que joga por música, Gabi é a surpresa e a certeza da vez nesse incerto 2020.

 

OUCA AQUI “OUTRA RAZAO”

https://www.gabidoti.com/outrarazao

 

Antônio Carlos Miguel

(jornalista especializado em música, ACM atua na imprensa desde os fins dos anos 1970, com passagens pelos principais jornais e revistas brasileiros. É membro da Academia Latina de Gravações/Grammy Latino e do conselho do Prêmio da Música Brasileira; autor de livros sobre a MPB e curador de séries e eventos artísticos)

 

ASSESSORIA DE IMPRENSA – ANA PAULA ROMEIRO