Confira a Programação do Sesc Pompeia de março

Segue abaixo, maiores informações em www.sescsp.org.br

 

Corpo Feminino – da invisibilidade ao protagonismo 

 

 Série de ações que trazem para o debate as questões do feminino nas práticas esportivas e de atividade física, como acesso, oportunidades, opressão e 

racismo.  

 

 

Programação completa  

 

Bate-papo 

Corpo Feminino: da invisibilidade ao protagonismo 

Com a jogadora de futebol Cacau Fernandes e a psicóloga Elânia Francisca. Mediação: Ana Carolina Toledo.  

9/3. Quarta, às 19h30 

Área de Convivência 

Grátis 

Livre 

 

Bate-papo  

Entre ataques e defesas 

Com as mesatenistas Maíra Ranzeiro e Bruna Alexandre. Mediação: Melina Barbosa da Silva. 

13/3. Domingo, às 15h 

Ginásio do 2º andar 

Grátis 

Livre 

 

Aula 

Ginástica Multifuncional para Mulheres 

9 e 10/3. Quarta e quinta, às 10h30, 14h30 e 19h30 (com Luis Claúdio Bossi) 

16 e 17/3. Quarta e quinta, às 9h30, 11h30 e 14h30 (com Patrícia Gocho) 

Sala de Ginástica Multifuncional 

Grátis (para alunas matriculadas)  

 

 

Aula  

Biodança 

Com Nelci Fátima Zanetti 

23 e 24/3. Quarta e quinta, às 9h30, 11h30 e 14h30 

Sala de Ginástica Multifuncional 

Grátis (para alunas matriculadas) 

 

Bate-papo  

Corpo feminino, capacitismo e o conceito de corpo ideal 

Com Evelyn Oliveira, Desiree Cassale e Andresa Caravage de Andrade. Mediação de Cátia Rocha.  

23/3. Quarta, às 19h30 

Ginásio do 4º andar 

Grátis 

Livre 

 

Aula 

Yamas 

Com Carol Rojo e Stefanie Samara 

30/3. Quarta, às 9h30, 15h30 e 19h30.  

31/3. Quinta, às 7h30, 11h30 e 15h30. 

Sala do 10º andar do Conjunto Esportivo 

Grátis (para alunas matriculadas) 

 

Aula  

Tai Chi Chuan  

Com Eliete Ramos 

30/3. Quarta, às 11h30. 

31/3. Quinta, às 9h30. 

Sala do 11º andar do Conjunto Esportivo 

Grátis (para alunas matriculadas) 

 

Bate-papo 

Homenagem a Terezinha Guilhermina 

Com a velocista paralímpica Terezinha Guilhermina.  

30/3. Quarta, às 19h30 

Ginásio do 4º andar 

Grátis 

Livre 

 

Manhã Zen 

Aulas abertas com práticas meditativas e relaxantes 

6 a 27/3. Domingos, às 10h30 

Conjunto Esportivo 

Grátis 

Livre 

 

 Música 

 

Odair José 

 

Quem já passou dos 30 anos se lembra. Ele surgiu no cenário musical brasileiro na rica década de 70 como um furacão. Odair José, o cantor da pílula, o Bob Dylan da Central do Brasil. Estes foram algumas das expressões criadas pelos jornalistas da época para tentar definir o então novo fenômeno. Contudo, nenhum dos epítetos criados pela imprensa – e foram tantos que alguns até se perderam no tempo -, consegue traduzir o que realmente significa Odair José. A melhor tradução é do próprio Odair: “um cantor, compositor e músico, mas, acima de tudo, um artista totalmente identificado com a cultura popular brasileira”.  

 

SERVIÇO:  

Dias 01 e 02 de março, terça e quarta, às 21h. 

Classificação indicativa: 12 anos 

Ingressos: R$20 (credencial plena/trabalhador no comércio e serviços matriculado no Sesc e dependentes), R$20 (pessoas com +60 anos, estudantes e professores da rede pública de ensino) e R$40 (inteira). 

Local: Teatro 

 

 Marina Sena 

 

 “De primeira” é o álbum de estreia da carreira solo de Marina Sena. Ele é sobre desejo, romance e paixão, elementos que fervem na personalidade desta típica libriana, nascida em Taiobeiras, norte de Minas Gerais. O disco sai em parceria entre os selos Alá e Quadrilha, com distribuição da Altafonte. O pop, o samba, o axé e a MPB falam mais alto na sonoridade de Marina. Mas, há ali também reggae, dancehall e doses cavalares de modernidade. Os arranjos se encontram feito alquimia com as letras.     

SERVIÇO:  

Dia 12 e 13 de março, sábado, às 21h, e domingo, às 18h 

Classificação indicativa: 12 anos 

Ingressos: R$20 (credencial plena/trabalhador no comércio e serviços matriculado no Sesc e dependentes), R$20 (pessoas com +60 anos, estudantes e professores da rede pública de ensino) e R$40 (inteira). 

Local: Teatro 

 

 Vanessa Bumagny 

 

 Vanessa Bumagny lança o álbum “Cinema Apocalipse”, quarto trabalho da carreira que já soma 30 anos, no dia 28 de janeiro de 2021 nas plataformas. Depois de dançar entre o bolero e o arrocha nas já mostradas faixas “Quem Ama Sofre”, parceria com Luiz Tatit, e “Cinema Ilusão”, que ganhou videoclipe e tem coautoria com Zeca Baleiro e que tem vozes de Zeca e Chico César; expor seu medo e incerteza em “Canção para Ninar o Apocalipse” e expressar sua ansiedade e desejo visceral com “Fome de Tudo”, também com Chico César, Vanessa apresenta mais seis faixas inéditas, dentre elas A Ousadia, ao lado de Fernanda Takai. No show de lançamento de “Cinema Apocalipse” serão feitas ao vivo as dez faixas do álbum. O show promete ser dançante, mas também convidar à reflexão.    

  

SERVIÇO:  

Dia 19 de março, sábado, às 21h 

Classificação indicativa: 12 anos 

Ingressos: R$20 (credencial plena/trabalhador no comércio e serviços matriculado no Sesc e dependentes), R$20 (pessoas com +60 anos, estudantes e professores da rede pública de ensino) e R$40 (inteira). 

Local: Teatro 

 

Kaê Guajajara 

 

Uma visão atual e afiada sobre a realidade dos povos indígenas no Brasil é amplificada no álbum “Kwarahy Tazyr”, novo trabalho lançado pela cantora, rapper, compositora, escritora, atriz, arte educadora e ativista Kaê Guajajara. O título inspiração para o álbum fala sobre a espiritualidade e personalidade de Kaê, “Filha do Sol”, sendo neste lugar que a multiartista reúne forças e energia vital para continuar sobrevivendo. Depois de ter denunciado o garimpo, o território, a igreja nos últimos Ep’s, Kaê viu a necessidade de se falar desse corpo-território que perambula pelo Brasil sendo marcado e demarcado pela colonização. Além do genocídio e etnocídio que denunciou na canção “Mãos vermelhas”, Kaê diz que é muito dificil pra um corpo-território sobreviver sem território e sem o acolhimento necessário depois de séculos de violências, por isso “Kwarahy Tazyr”. 

 

SERVIÇO:  

Dia 20 de março, domingo, às 18h 

Classificação indicativa: 12 anos 

Ingressos: R$20 (credencial plena/trabalhador no comércio e serviços matriculado no Sesc e dependentes), R$20 (pessoas com +60 anos, estudantes e professores da rede pública de ensino) e R$40 (inteira). 

Local: Teatro 

 

Duda Brack (foto destaque)

 

A jornada de Duda Brack até “Caco de Vidro” envolve decepções amorosas, abuso emocional e frustrações criativas. Como se movida por uma força invisível que a conduziu rumo à cura, a artista criou uma narrativa que vai na contramão de seus pensamentos àquela altura. Nestas 11 novas canções, 8 delas inéditas, Brack e o produtor Gabriel Ventura costuram uma colcha de referências e parceiros que atravessa a América Latina e constrói uma mensagem que se firma nas fusões do pop com ritmos singulares como cumbia, folk, funk e pagodão. Os destaques, além da parceria com Ney Matogrosso e Baiana System (“Ouro Lata”), uma ode ao caos latino-americano, está em faixas como “Esmigalhado” e a sensível releitura que faz de “Sueño con Serpientes”, eternizada na voz de Mercedes Sosa. 

 

SERVIÇO:  

Dia 24 e 25 de março, quinta-feira e sexta-feira, às 18h 

Classificação indicativa: 12 anos 

Ingressos: R$20 (credencial plena/trabalhador no comércio e serviços matriculado no Sesc e dependentes), R$20 (pessoas com +60 anos, estudantes e professores da rede pública de ensino) e R$40 (inteira). 

Local: Teatro 

 

Paulinho Moska 

 

Show Beleza e Medo, que estreou aqui no Sesc Pompeia em janeiro de 2019. Apresenta também os maiores sucesso de carreira do cantor.   

SERVIÇO:  

Dia 26 e 27 de março, sábado, às 21h, e domingo, às 18h 

Classificação indicativa: 18 anos 

Ingressos: R$20 (credencial plena/trabalhador no comércio e serviços matriculado no Sesc e dependentes), R$20 (pessoas com +60 anos, estudantes e professores da rede pública de ensino) e R$40 (inteira). 

Local: Comedoria 

 

 Teatro 

 

Com os bolsos cheios de pão,  Com Donizeti Mazonas e Edgar Castro 

Um poço desativado. Um cachorro dentro do poço. Dois homens, migalhas de pão, muitas conjecturas de como o cachorro foi parar dentro do poço e nenhuma ação efetiva para retirá-lo de lá. O diálogo em torno do poço, alternadamente amistoso, absurdo, argumentativo, tranquilizador transforma-se em fábula política, social, humana. 

O texto retrata uma dupla de personagens – o Homem de Bengala e o Homem de Chapéu – diante de um poço onde um cachorro agoniza, ali atirado por mãos desconhecidas. Apesar da indignação que manifestam, não socorrem o animal, emaranhadas que estão em embates verbais e disputas personalistas. As personagens da peça se apresentam como potente metáfora para pensar o atual espaço social brasileiro, espaço esse que se encontra saturado por discursos semelhantes à carroça da fábula, carroça barulhenta porque estupidamente vazia. 

SERVIÇO:  

Dias 5 e 6/3. Sábado, às 21h. Domingo, às 18h.  

Dias 8, 9, 10 e 11/3. Terça a sexta, às 21h. 

Dias 15, 16, 17 e 18/3. Terça a sexta, às 21h. 

 

Classificação indicativa: 14 anos. 

Ingressos: R$20 (credencial plena/trabalhador no comércio e serviços matriculado no Sesc e dependentes), R$20 (pessoas com +60 anos, estudantes e professores da rede pública de ensino) e R$40 (inteira). 

Local: Teatro 

 

 Exposições 

 

Amazônia | Sebastião Salgado 

Após ter terminado o Gênesis, sua exploração fotográfica da natureza ainda intacta do nosso planeta, Sebastião Salgado orientou seu olhar em direção ao seu país natal, o Brasil, e mais precisamente a Amazônia. A fim de realizar esse novo projeto, ele passou longas temporadas junto com doze comunidades indígenas isoladas, navegou no gigantesco Rio Amazonas e seus afluentes e sobrevoou a densa floresta tropical com suas fronteiras montanhosas mais áridas. Foram seis anos de trabalho ao término dos quais todas as fotos e imagens ficaram prontas. A mostra conta com curadoria de Lélia Wanick Salgado e comportará um total de 205 fotografias inéditas no Brasil. 

 

A exposição Amazônia é patrocinada globalmente pelo Zurich Insurance Group que, desde 2020, é também patrocinador exclusivo do projeto de reflorestamento e biodiversidade no Brasil do Instituto Terra, liderado por Sebastião Salgado e Lélia Wanick Salgado. A mostra em São Paulo tem patrocínio master do Itaú e da Natura, empresas conectadas com a causa Amazônia, além das empresas Energisa e Banpará. Nesta edição, o projeto conta com Parceria Institucional do Sesc São Paulo 

 

SERVIÇO:  

De 15 de fevereiro a 31 de julho de 2022, Terça a sábado, das 10h30 às 21h (com entrada até as 19h30). Domingos e feriados, das 10h30 às 18h (com entrada até as 16h30). *Acesso sujeito à lotação do espaço expositivo 

Classificação indicativa: Livre. 

Local:  Área de Convivência  

Grátis.  

 

 Infantil 

  

Espaço de Brincar  

Grátis, mediante agendamento prévio pelo app Credencial Sesc SP. 

Sessões disponibilizadas a cada hora. Tempo de permanência do público no espaço: 50min. Capacidade: 16 pessoas por hora. 

Espaço voltado para bebês e crianças de até 6 anos. A partir dos 3 anos de idade, as crianças devem manter o uso de máscara durante toda a permanência no local. 

 

SERVIÇO: 

De 3 a 31 de março, terça a domingo, das 10h às 17h 

Classificação indicativa: livre. 

Local: Deck  

Grátis. 

 

Literatura 

 

Quadro a Quadro – Toinho, memória de um homem emocionado demais 

História em quadrinhos em 4 partes criada por Bruna Maia  

1º a 22/2. Terças, às 18h.  

ONLINE: Instagram @sescpompeia   

Livre  

  

Folhetim – “Tempo, tempo, tempo”  

Experimentação literária escrita por Daniel Munduruku  

16/2 a 23/3. Quartas, às 20h.  

ONLINE: folhetimsescpompeia.medium.com   

Livre 

 

 

 

 

 

 

 

Com informações: Assessoria de Imprensa SESC POMPEIA