Diogo Nogueira completa a trilogia audiovisual “Samba de Verão” com lançamento do álbum “Céu” nesta sexta, dia 05/03

A trilogia “Samba de Verão”, projeto audiovisual do cantor Diogo Nogueira se completa com a chegada do álbum “Lua”.

 

Após o lançamento dos álbuns Sol” e Céu, que contaram com a participação especial de Zeca Pagodinho e do Grupo Fundo de Quintal, agora é a vez do álbum “Lua”, que terá lançamento nas plataformas digitais e no canal do youtube do Diogo (diogo.no/youtube) nessa sexta, dia 05/03.

 

O projeto Samba de Verão”, gravado numa balsa, na Baía de Guanabara, ganhará um especial com os melhores momentos dos álbuns “Sol”, “Céu” e “Lua” no Canal Multishow, que serão exibidos no dia 06/03, sábado, às 16h. No dia 12/03 será apresentado na íntegra no Canal Bis, às 19h.

 

“Ah, meu irmão Diogo, como a gente tava precisada disso!” – escreveu Pedro Bial na apresentação do projeto. “Precisava você para nos lembrar que vivemos no Rio, onde bate o coração do Brasil. Um Brasil de saúde e alegria, paz e amor – tudo que parece andar em falta… É isso, o samba de Diogo Nogueira: onde estava escuro, clareia; onde triste, sorri; onde mudo, solta a voz. Não é licença poética, é constatação: em tempos de doença, chama a saúde de volta, entre tanta morte, canta a vida”.

 

O álbum “Lua” tem nove músicas no total de 24 canções de todo o projeto e abre com a eletrizante “Vai Embora Não”, inédita dos feras Rodrigo Leite e Claudemir, faixa que promete ser sucesso nas pistas e nas rodas de samba. O álbum traz mais uma novidade, “Cadê?”, a primeira parceria de Diogo com Moacyr Luz que traz a singeleza da sua poesia para o “Samba de Verão”.

 

“Nosso samba fala de amor. Da paixão que está perto da gente e a gente não vê”, conta Moacyr Luz. “Assisti a gravação do projeto todo numa sala envidraçada de frente pra Baía de Guanabara e não consegui disfarçar a ansiedade. Ela seria a 17ª de um roteiro de atrações, o que me deixou roendo as unhas feito um adolescente no Méier. Pensei no Diogo cantando desde cedo, três vezes cada samba, em como estaria a sua voz… E surge da alma uma interpretação só possível ao artista consagrado. Ainda me acenou com o seu sorriso generoso, falou meu nome e o coração disparou. É coisa pra nunca mais esquecer…”

 

Se o projeto já tinha citações a Beth Carvalho, Jovelina Pérola Negra, Luiz Carlos da Vila, Fundo de Quintal e Zeca Pagodinho, o álbum “Lua”“Aquele Abraço” em Gilberto Gil, no poeta Jorge Aragão, celebrado no medley de “Ontem”, “Minta Meu Sonho” e “Já é”. O repertório fica completo com as inéditas “Patrimônio Mais Nobre” (Gabrielzinho de Irajá e Waltis Zacarias) e “Um Pedido” (Sombra e Carlos Caetano), além de sambas que reverência mestres como Reinaldo em ”Onde Está?”, além dos caciqueanos Arlindo Cruz, Sombrinha e Zeca em “São José de Madureira” e “Nascente da Paz”.

 

Em toda sua trajetória Diogo sempre teve um olhar para o futuro, trazendo novidades, sem esquecer o passado e traz com carinho e propriedade todos os gêneros do samba.

 

“‘Lua’ fecha a trilogia e abre nossos corações para a noite quente e acolhedora, em que os olhos de Diogo Nogueira nos sinalizam novos tempos, mais suaves, mais amigos, hora de reconciliação entre Brasil e brasileiros”, completou Bial.

 

Este repertório será mostrado brevemente em shows. Os cariocas serão os primeiros a assistir ao show já programado no Vivo Rio para o dia 10 de abril, casa em que já gravou dois DVDs e cantou inúmeras vezes. No dia 03 de julho será a vez dos paulistas assistirem o show no Unimed Hall em São Paulo.

 

 

 

Com informações: Debs Comunicação