Dulce Quental lança single

A cantora e compositora carioca Dulce Quental lança o single Vagalumes Fugidios que integra seu novo álbum autoral, Sob o Signo do Amor, que será lançado em março de 2022. A faixa está disponível no site da artista – dulcequental.com.br – e chega às plataformas digitais no dia 10 de dezembro.

 

Desde 2004, Dulce não entrava em estúdio.  Em 2016, lançou o LP/CD Música e Maresia em edição especial com gravações feitas nos anos 1990.

 

Trafegando entre o erotismo e a política embalada ao som de um tango, do desejo sublimado à citação dos Escritos Corsários do cineasta italiano Pasolini, a canção lampeja acendendo os pensamentos que Dulce pretende iluminar: É possível manter a inocência diante do horror? Imaginar pode ser uma maneira de fazer política?

 

Vagalumes são pequenas luzes de desejo e resistência, experiências de vida que com suas luzes intermitentes e discretas continuam por aí. Assim como Dulce Quental e sua música atemporal, situada no improvável das aberturas, nos impossíveis, nos lampejos, apesar de tudo.

 

Vagalumes Fugidios / Dulce Quental

 

Link para single: https://dulcequental.com.br/single/47462/vagalumes-fugidios.

 

Nas plataformas: dia 10 de dezembro de 2021

 

Produzido por Jonas Sá & Pedro Sá

Arranjado por Jonas, Pedro & Dulce Quental

Mixado por Duda Mello

Masterizado por Ricardo Garcia

Capa: Rodrigo Sommer

Foto: Nana Moraes

Produção de arte & visage: Rodrigo Bastos

Assessoria de imprensa: Eliane Verbena

Lançamento: Cafezinho Edições & Produções Musicais

 

Dulce Quental Voz

Pedro Sá   Baixo & Guitarras

Jonas Sá   MPC, Chocalho, Garrafas, Pandeirolas, Reco-reco, Corda De Violão, Sintetizadores Minimoog & Korg Mono/Poly

Jaques Morelenbaum   Cellos

Mariano González   Bandoneón & Percussão De Bandoneón

Itamar Assiere   Piano

 

Vagalumes Fugidios  (Dulce Quental)

 

já que não posso ter você

levei todos os seus livros para a cama

dormi abraçada aos seus poemas

sonhei com musas assaltando sonhos

vagalumes fugidios nas montanhas de Pasolini

ao vislumbrar o fim da nossa humanidade

o fascismo das massas chegando ao poder

o fim da inocência e do amor

dancei pelada toda a noite

no lampejo daquela consciência acesa

antes do túnel que nos levou

 

estar com você

é como voltar a ser de novo um vagalume

copulando sons e poemas de acasalamento

em mensagens trocadas ao luar

música para traçar linhas de fuga

no lusco-fusco das noites imemoriais

 

 

DULCE QUENTAL (perfil)

 

Como se renovar sem se tornar cinza?

 

Dulce Quental é mãe, cantora e compositora (não nessa ordem). Cronista em busca da poesia esquecida destes dias perdidos, Dulce (sobre) viveu (há) os anos 80, e procura uma forma de se renovar sem se tornar cinza. Ela ouve a voz da chuva, acredita no poder do desejo, e brinca de amar o cinema, a música e a vida. Gravou cinco discotecas: “Avião de Combate” (CBS-1984), “Délica” (EMI-1985), “Voz Azul” (EMI-1988), “Dulce Quental” (EMI-1989) e “Beleza Roubada” (Cafezinho Música / Sony Music – 2004). Formada em comunicação social, colaborou com resenhas de livros para o Caderno Ideias do Jornal do Brasil e artigos para a Revista de Estudos Femininos da UFRJ.

 

Destacou-se principalmente como compositora tendo sido gravada por artistas dos mais variados segmentos. Realizou belas parcerias com Roberto Frejat, George Israel, Paulinho Moska, Ana Carolina, Zélia Duncan, Toni Garrido, Celso Fonseca, Zé Manoel e Paulo Monarco, entre outros. O quinto disco de carreira, “Música e Maresia”, saiu em LP, em 2016, e registra gravações realizadas nos anos 90. O LP lançado no mesmo ano virou especial de TV no Canal Brasil. Nele Dulce faz uma  retrospectiva da carreira. Em 2012 reuniu em um livro as “Caleidoscópicas”, mais de 40 crônicas escritas para o site paulista Scream & Yell, que depois virou coluna no iG e seguiu seu caminho pelas ruas da internet.

 

A artista se apresenta pelo país não só como cantora, mas também como palestrante, em seminários, jornadas literárias e congressos, quando narra a sua experiência como compositora, autora e pesquisadora das palavras. Participou da V Jornada Internacional de Mulheres Escritoras, do I Congresso Nacional de Literatura e Gênero, e do Seminário de encerramento do Pacto Nacional pela Educação na Idade Certa. Trabalha também como profissional de música independente assessorando artistas e prestando serviços para o mercado de música independente.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Com informações: Verbena Comunicação

#SIGA NO INSTAGRAM