Em parceria com a Natura Musical, Frank Jorge & Kassin lançam Nunca Fomos Tão Lindos

Projeto de Frank Jorge e Kassin apresenta uma mistura de ritmos e estilos com sonoridade eletrônica

 

 

O gaúcho Frank Jorge e o carioca Kassin, lançam hoje, (05), o álbum Nunca Fomos Tão Lindos, patrocinado pela Natura Musical através da Lei de Incentivo à Cultura (financiado pelo Governo do Estado – Secretaria da Cultura, Turismo, Esporte e Lazer – Pró-cultura RS LIC, Lei n.o 13.490/10). Com 13 músicas, Frank Jorge assina a composição das faixas, enquanto Kassin assina a produção musical. Ouça aqui e assista ao minidoc aqui.

 

 

O disco transita entre referências diversas, devido à extensa bagagem de ambos. Vai desde uma pegada pop ao brega, passando pelo samba-jazz, e ainda mistura música eletrônica com boas doses de rock’n’roll. Pode-se dizer que Nunca Fomos Tão Lindos é uma celebração da diversidade de ritmos que Frank e Kassin já trabalharam ao longo dos anos, atualizados por temas que a sociedade se depara hoje em dia, como o comportamento obsessivo pela exposição da imagem em redes sociais, a cultura do cancelamento, e, claro, assuntos do coração.

 

 

Nunca Fomos Tão Lindos foi selecionado pelo Edital Natura Musical, por meio da lei estadual de incentivo à cultura do Rio Grande do Sul (Pró-Cultura), ao lado de projetos como Vitor Ramil, Zudizilla e Tem Preto no Sul, por exemplo. No Estado, a plataforma já ofereceu recursos para 30 projetos até 2019, como Filipe Catto, Bloco da Laje, Borguetti e Yamandu, Musa Híbrida, Sons que Vem da Serra e Thiago Ramil.

 

 

“Os curadores de Natura Musical selecionaram o projeto Nunca Fomos Tão Lindos, de Frank Jorge e Kassin, por entenderem que a obra gera impacto positivo ao contribuir para discussões socioculturais importantes para a construção de um futuro melhor para todos nós”, diz Fernanda Paiva, Head of Global Cultural Branding.

 

Foto e capa  por Vitória Proença

 

Live de lançamento

 

No dia 12 de Março, Frank vai apresentar as músicas do disco em uma live que será transmitida pelo canal do projeto no YouTube, a partir das 20h.

 

Faixa a faixa

 

Furto da Energia abre o álbum com uma mistura de ritmos brasileiros com o pop do africano Fela Kuti. Gilberto Gil é citado na canção, assim como Arnaldo Dias Baptista (ex-Os Mutantes) com sua frase “onde é que está o meu rock’n roll“, ambos artistas referenciais para o Frank. “A letra foi inspirada numa matéria de jornal que trazia este tema, ‘furto de energia’, e também, traz um forte apelo à arte e à cultura como fontes importantes para pautar nossas vidas”, explica o artista natural de Porto Alegre (RS).

 

Com participação do trombonista Marlon Sette, Não Faz Mal é um samba-jazz que aborda a necessidade de pensar as relações contemporâneas entre as pessoas numa sociedade de urgências, negacionismos e cancelamentos.

 

Segundo single apresentado do disco, Tô Negativado tem influência direta dos ritmos do Pará: carimbó, tecnobrega e a música brega em geral. “A música brega fala sobre romances, encontros, desencontros, amores, paixões, assim como letras que abordam o cotidiano e as mazelas da vida, gerando por vezes um efeito cômico pelo inusitado da situação descrita”, conta a dupla. Nessa canção, ele compara a busca para conquistar um amor com a tentativa de limpar o nome na praça.

 

Carl Gustav Jung, um dos precursores da psicanálise junto com seu mentor Sigmund Freud, no início do Século XX, dá título à quarta faixa do álbum, que mistura música eletrônica com umas pitadas de rock’n’roll, resultando em pura psicodelia. “Jung ampliou as abordagens de interpretação de casos e patologias de ordem psicológica, assim como buscou entender outras culturas com seus ritos e práticas culturais e religiosas; assim, ele foi pioneiro em pesquisar culturas africanas e esteve junto com esta amiga íntima chamada Ruth Bailey, citada na música, em Uganda e no Kenya”, contextualiza Frank.

 

Uma das poucas faixas de cunho autobiográfico, Não Lembro o Nome do Meu Pai é uma homenagem de Frank Jorge ao pai, que ele perdeu com um pouco mais de 1 ano de idade. “A inspiração principal para a sonoridade desta canção é a disco music da segunda metade dos anos 1970, com direito a strings, Fender Rhodes. Mini-moog, tocados pelo convidado especial Rodrigo Tavares”, explica.

 

O Que Vou Postar Aqui foi o primeiro single lançado e ganhou clipe (assista aqui). A faixa é uma crítica à necessidade de ficar gerando conteúdo freneticamente nas redes sociais para tentar ser assunto ou apenas para mostrar que está vivo. A boa dose de humor e ironia também pode ser observado no videoclipe, que foi dirigido por Vinicius Angeli.

 

Canção que sintetiza a fusão de Frank Jorge com Kassin, Material Inédito, é descrita pelo duo como um “synth-pop-modernista-satírico”: originalmente um rock jovenguardiano que ganhou um tratamento com elementos eletrônicos. Fala sobre a tendência da supervalorização do inédito e que precisa ser feito.

 

Uma faixa inspirada nas sonoridades da segunda metade dos anos 1960 quando buscavam mesclar instrumentos de música pop como guitarra, baixo e bateria, com instrumentos de orquestra, e aqui, no álbum, é natural que a faixa tenha também sons e timbres eletrônicos”. Assim Frank descreve Foi Ontem, canção que preserva o amor e a esperança, apesar dos encontros e desencontros amorosos.

 

Criaturas Estranhas tem letra surrealista e traz mais uma vez a mistura do rock com música eletrônica. Segundo Frank, “fala através de metáforas sobre um mundo de mendigos, criaturas estranhas, casas abandonadas, litros de cachaça e um prato de comida. Pode não parecer, à primeira vista, mas é uma música que reflete sobre as condições de precariedade e miséria em que muitos vivem”.

 

Como o nome sugere, A Cobrança é uma canção que fala sobre as cobranças que recebemos, sejam elas de imposto, pessoais, de conduta, entre outras. “A faixa também dialoga com sonoridades bregas e que recebeu um tratamento – um arranjo – com ideias que fogem do padrão habitual deste tipo de música; uma batida incomum, quebrada, efeitos de percussão, baixo processado e com distorção”, conta o compositor gaúcho.

 

Inspirada nas baladas sertanejas que predominam na programação das rádios atuais, Complicado Jeito de Amar fala sobre como o ser humano ama, com suas inseguranças, desvios, carências, saudades, alguma esperança, algum amor no coração. “Kassin trouxe uma ideia bacana com instrumentação reduzida, reforçando assim o suspense e a dramaticidade da letra. Soa como um technopop dos Eurythmics dos anos 1980”, resume Frank.

 

E fechando o álbum, Sinceridade. “A faixa sintetiza super bem este imaginário percorrido de várias formas no decorrer do disco: música brega, música popular com elementos e efeitos eletrônicos, com letras questionadoras sobre a condição humana neste início de século XXI”. Na sequência, o disco termina com uma versão de karaokê para Não Lembro o Nome do Meu Pai.

 

OUÇA O DISCO AQUI

 

ASSISTA AO MINIDOC AQUI

 

SMARTLINK AQUI

 

  1. Furto de energia
  2. Não faz mal
  3. Tô Negativado
  4. Carl Gustav Jung
  5. Não lembro bem do meu pai
  6. O que vou postar aqui
  7. Material inédito
  8. Foi ontem
  9. Criaturas Estranhas
  10. A Cobrança
  11. Complicado jeito de amar
  12. Sinceridade
  13. Não lembro bem do meu pai (Karaokê)

 

FICHA TÉCNICA

 

DISCO

Todas as composições de autoria de Frank Jorge

 

Gravado por Beto Silva no estúdio Marquise 51

 

Mixagem e masterização: YokiSys

Produção, programações, baixo faixa 4: Kassin.

Violões, guitarras, baixo, teclados, voz principal, backing vocals: Frank Jorge

Teclados faixa 4: Rodrigo Tavares

Trombone faixa 2: Marlon Sette

 

Produção executiva: Lucas Hanke

 

MINI DOC

 

Direção por Vinícius Angeli / 229 visuais e Lucas Hanke

Montagem por Vinícius Angeli / 229 visuais

Direção de Fotografia por Vinícius Angeli / 229 visuais

Design Gráfico: Vitória Proença / 229 visuais

Roteiro: Lucas Hanke

 

SOBRE FRANK JORGE

 

Ao longo de sua carreira, Frank Jorge, natural de Porto Alegre (RS), participou como músico e compositor de bandas como Os Cascavelletes, Pére Lachaise, Black Master, Julio Reny Guitar Band, Cowboys Espirituais e Tenente Cascavel. Segue atuando com Graforréia Xilarmônica e com seu projeto autoral, Frank Jorge e Banda. Participou de shows de artistas como Zeca Baleiro, Maria do Relento, Pato Fu, Vanguart, Hard Working, Cachorro Grande, Wander Wildner, Os The Dharma Lovers, Os Efervescentes, Dingo Bells, Tess, Orquestra UNISINOS, Orquestra da ULBRA, Rock de Galpão e Bidê ou Balde. Teve suas composições gravadas pelo Pato Fu, Ira!, Tony Platão, Wander Wildner, Hard Working, Bidê ou Balde, Richard Serraria e Garota Verde. E em 2017, abriu o show do Paul McCartney, no Beira Rio.

 

Nestes últimos 200 e tantos dias da pandemia mundial pelo Covid-19, atuou em mais de 30 lives direto da sala de sua casa atopetada de livros, DVDs, CDs, Vinis e até VHS! Lançou seis novos singles  musicais nas plataformas digitais durante a pandemia (março a julho/2020) e também foi curador e gestor de dois festivais online com alunos da Unisinos e convidados.

 

Facebook

Instagram

Youtube

 

SOBRE KASSIN

 

Kassin começou na carreira artística na banda Acabou La Tequila , logo ali conheceu Frank, então integrante da Graforréia Xilarmônica, banda do mesmo selo. O Acabou La Tequila lançou dois discos. Depois com os amigos Moreno e Domenico fez um grupo mudando de cantor por álbum o nome do projeto é +2 , lançaram três discos, além de um trilha sonora para o Grupo Corpo. Kassin é idealizador e fundador da Orquestra Imperial, big band com dois discos lançados. Além disso, ele também tem dois discos solo “ Sonhando Devagar” e “ Relax” e lançou dois discos instrumentais: um com o Grupo Cometa e outro com a banda polonesa Mitch&Mitch&Kassin.

 

Site

Facebook

Instagram

Twitter

Youtube

 

SOBRE NATURA MUSICAL 

 

Natura Musical é a principal plataforma de patrocínio da marca Natura. Desde seu lançamento, em 2005, o programa investiu cerca de R$ 143 milhões no patrocínio de 460 projetos – entre CDs, DVDs, shows, livros, acervos digitais, documentários e projetos de fomento à cena. Os trabalhos artísticos renovam o repertório musical do País e são reconhecidos em listas e premiações nacionais e internacionais. Em 2020, o edital do programa selecionou 43 projetos em todo o Brasil. A plataforma digital do programa leva conteúdo inédito sobre música e comportamento para mais de meio milhão de seguidores nas redes sociais. Em São Paulo, a Casa Natura Musical se tornou uma vitrine permanente da música brasileira, realizando apresentações online, bate-papos e conteúdos exclusivos ao longo de 2020.

 

 

 

 

Com informações:  Assessoria de Imprensa Café 8 – Thais Pimenta