Doze Flores Amarelas: Confira a entrevista com os Titãs

Novidade na música brasileira e no cenário do rock nacional, chega em todas as lojas do país a versão física do CD e DVD da ópera-rock “Doze Flores Amarelas – Ao Vivo”, que já está disponível em todas as plataformas digitais.

 

A ópera-rock é o 15º disco de estúdio dos Titãs e foi disponibilizado em três partes, entre os dias 27 de abril e 11 de maio deste ano. O trabalho é o primeiro lançamento da banda pela gravadora Universal Music.

 

Sinopse: Três Marias resolvem utilizar um aplicativo de match para aproveitarem melhor uma festa . Tudo dá errado e recorrem à magia das doze flores amarelas para solucionar. Este é o argumento da primeira ópera rock gravada por um conjunto brasileiro. A história é contada em 25 canções inéditas, interlúdios e textos em letras musicais.

 

Para esse musical, se juntaram a Sérgio Britto, Branco Mello e Tony Bellotto, o baterista Mario Fabre, o guitarrista Beto Lee e três vocalistas: Corina Sabbas, Cyntia Mendes e Yas Werneck, que fazem as três Marias do espetáculo. O grupo manteve o produtor Rafael Ramos, utilizou a colaboração em argumento, elaborada por Branco, Brito e Tony, de Hugo Possolo e Marcelo Rubens Paiva, convocaram Jaques Morelenbaum para arranjos de cordas e fecharam a escalação.

 

Por telefone, conversamos com o titã Sérgio Britto sobre as novidades de “Doze Flores Amarelas”, um bate papo sobre a agenda de shows e sobre a volta aos palcos do vocalista Branco Mello. Confira abaixo:

 

Boomerang Music- Aproximadamente quanto tempo vocês levaram desde a seleção de repertório, montagem, escolha dos cenários, das atrizes e ensaios até a gravação da ópera rock?

 

Sérgio Britto – Desde que começamos a conversar sobre a ópera, foram aproximadamente uns 2 anos e meio, fizemos a projeção do roteiro junto com as pessoas ligadas ao projeto, o Hugo Possolo, com o Marcelo Rubens Paiva depois teve a gravação do CD no estúdio, escolhemos as atrizes para a personagem das Três Marias, também a entrada do diretor Otavio Juliano, a Rita Lee fez a narração da peça, foram muitos ensaios até a gravação do DVD no Opus. Para nós mais um grande desafio que enfrentamos.

 

Boomerang Music – A partir de janeiro vocês irão rodar o país com o espetáculo de “Doze Flores amarelas”. E o show com os grandes sucessos da banda vai rolar também?

 

Sérgio Britto –  Sim, esperamos levar o show para as grandes capitais, a ópera rock traz mais custos, muito mais gente envolvida na equipe de produção, mas queremos levar o espetáculo para o maior número de pessoas.

Ainda estamos pensando o que podemos fazer em relação ao show com sucessos da banda, de repente trazer alguma coisa novidade para o espetáculo. Mas há ainda a possibilidade de separarmos essa configuração de shows da banda em dois– a ópera rock e o show com os clássicos dos Titãs.

 

Boomerang Music – O (s) temas abordados existentes em “Doze Flores Amarelas” como violência, estupro, ódio, assédio são bem atuais. Na opinião de vocês quais as medidas que deveriam ser tomadas para que isso acabasse? Talvez leis mais pesadas (severas)?

 

Sérgio Britto – Esse é um tema que não é só discutido no Brasil e sim em todo o mundo. E a gente precisa se manifestar contra isso, as mulheres já estão fazendo isso nessa luta, cito elas são exemplos.

Há algumas formas de se combater esses temas, posso dizer que arte, música, respeito, educação podem evitar muitas coisas em relação a isso, mas o princípio é que devemos sempre nos manifestar, para que um dia tudo isso acabe. A sociedade teve ser ativa quando a esses temas e sempre deve estar cobrando e se manifestando sobre isso.

 

Boomerang Music – As canções Disney Drugs e Weird Sisters ambas em inglês ficaram bem legais e caíram bem no repertório, essas letras eram para o espetáculo mesmo ou a ideia inicial era só usar letras em português na ópera?

 

Sérgio Britto – Não só essas acima, mas tem outras citações em outras canções. O inglês hoje está em todo lugar, em aplicativos de celular, eu que interpreto essas canções e elas caíram muito bem no repertorio da ópera pois são músicas com atitudes e funcionaram bem. No caso da Weird Sisters, a presença das meninas nos vocais caíram como uma luva, ficou ótimo.

 

Boomerang Music –  Novidades a parte na ópera, Tony Bellotto mandou muito bem em “A canção da vingança”, uma novidade para os fãs. Após a saída do Paulo da banda, o Titãs ganha com muito com o Tony nos vocais ou seria só mesmo em algumas canções em particular do repertório?

 

Sérgio Britto – O Tony é daqueles guitarristas que são multiuso em uma banda de rock. Nos shows da banda ele já esta cantando “Pra Dizer Adeus” e agora na ausência do Branco ele chegou a cantar outras canções se revezando comigo e o Beto nos vocais. Se ele topar participar e quiser cantar mais canções a gente topa com certeza. Esse é o diferencial da gente que sempre tivemos a cabeça aberta pra ouvir todos os integrantes da banda e respeitar o que cada um gostaria de fazer, sempre foi assim desde que éramos 8 integrantes.

 

Boomerang Music – Como foi cumprir a agenda de shows sem o Branco Mello nesses meses que se passaram? Tudo mundo ficou muito preocupado e ansioso para que ele se recuperasse logo. E agora saber que já está novamente com vocês cheio de gás e energia.

 

Sérgio Britto – Eu acho que consegui dar conta do recado, pelo menos até agora ninguém reclamou, mas óbvio que não víamos a hora do Branco voltar, ele é muito importante para a banda e na interpretação de canções do nosso repertório. Graças a Deus ele passou por mais essa e já irá fazer seu primeiro show de volta neste fim de semana. Estamos juntos de novo, firmes e fortes!

 

Boomerang Music – Os Titãs possuem 36 anos de carreira, vocês possuem muito material inédito guardado? Em relação ao futuro e após a ópera rock vocês já têm algo planejado a longo prazo?

 

Sérgio Britto – Sempre nos perguntam isso (risos). Acabamos de lançar um material inédito com 25 novas canções, já é muita novidade pra gente (risos). Mas tínhamos sim a ideia junto com a Warner de lançarmos um material inédito para fãs mais isso não vingou. No momento estamos pensando apenas no “Doze Flores” e como vai ser a tour e os shows da ópera rock. Quem sabe no futuro possamos pensar em novidades, mas por enquanto não sabemos o que vai acontecer no futuro.

 

Boomerang Music – Este foi o projeto mais audacioso dos três integrantes remanescentes dos Titãs?

 

Sérgio Britto – Acredito que um deles, entre outros vários trabalhos dos Titãs. Se olharmos pra trás podemos dizer que o Acústico foi muito mais audacioso, na época ninguém apostava que ia dar tão certo, mas tem o Cabeça Dinossauro que naquele momento no rock nacional pelos temas apresentados como Polícia, Igreja, não achávamos que iria ser aquele sucesso que foi.

 

Agradecimentos especiais:  Perfexx Assessoria