APÓS ESTREIA COMO CANTORA, FERNANDA MISAILIDIS LANÇA SEGUNDO SINGLE: SETE CANTOS

Ouça aqui: https://open.spotify.com/album/6TmJTuxUaHKAXp8bvOWLVW?si=HBGMHsAOTd6hr6AJmuV4Dw

 

O lançamento é pelo Selo Caravela e tem distribuição da Warner Music Brasil

 

“GRITA PARA OS SETE CANTOS QUAL É O TEU ESPANTO EM PODER DIZER: EU SOU FELIZ!”   (Trecho de ‘SETE CANTOS’)

  

“Essa música é um conselho; um grito de liberdade para quem precisa deixar os seus fantasmas para trás”, comenta a atriz e cantora Fernanda Misailidis, que lança no dia 21 de maio, em todas as plataformas de streaming digitais, o seu segundo single: “SETE CANTOS”. O lançamento é pelo Selo Caravela, com distribuição da Warner Music Brasil, e virá acompanhado de videoclipe. “A depressão, a sensação de claustrofobia da cidade grande, o excesso de trabalho que a sociedade induz e a cultura da produtividade desenfreada, foram a minha inspiração para essa música”, acrescenta a carioca de 27 anos. O clipe estará disponível no canal oficial da cantora no Youtube.

 

“Hoje em dia é muito comum ouvir que alguém está em depressão. É a doença do século. Embora muitas pessoas que estejam neste lugar não enxerguem, existe luz.

 

Eu quero através da música impactar positivamente a vida das pessoas, e no caso de “SETE CANTOS”, quero estender a mão para que os que estão no “escuro” possam dar seu grito de liberdade”, detalha Mis.

 

Com melodia leve e alto astral, “SETE CANTOS” acompanha a mesma linha musical de “VEM CÁ”, seu primeiro lançamento, “só que com uma batida mais pop e dentro do novo MPB”, pontua Misailidis.

 

”Eu quis fazer algo totalmente diferente da minha estreia”, comenta a cantora sobre o single “VEM CÁ”, que no futuro, pretende intitular o álbum das suas composições. “Por conta da pandemia, havíamos optado em não fazer clipe, apenas ter fotos do single, e com equipe extremamente reduzida. Mas, durante a sessão de fotos, tivemos a ideia de gravar exatamente como estava; distorcido, bonito ou não, deixando as texturas falarem por si só. Transformamos tudo em uma grande aquarela de retalhos, assim como é a nossa mente, um labirinto. Para isso, exploramos alguns elementos da cidade grande: o cimento, o asfalto, o cinza, o grafite desbotado pela sujeira… A escolha por uma fotografia totalmente urbana, recheada de paredes grafitadas e com a paleta de cores características de uma metrópole reflete as dores da psique humana”, revela Fernanda.

 

Assista o clipe aqui: https://www.youtube.com/watch?v=KqXk-6flxrg

 

O projeto é totalmente colaborativo e conta com artistas respeitados do meio musical: Cássio Acioli (bateria), Luiz Lopez (guitarras), Marcio Eduardo Melo  (teclado), Rodrigo Gregory (acordeón) e Vinicius Veloso (baixo), que já tocaram com grandes nomes da música brasileira: Erasmo Carlos, Daniela Mercury, Roberto Menescal, Jorge Vercillo, entre outros. “Eu conheci a Fê há alguns anos atrás, nos ensaios do espetáculo ‘O Mar Serenou’, e sempre me encantava com sua força e vigor, eu ouvi sua voz por muitas vezes ecoando pelo teatro como um canto de liberdade, trazendo pro público e para mim a emoção de sentir a paixão de quem é a apaixonada pelo que faz”, detalha Márcio Eduardo Melo, que também é produtor e diretor musical do single.

 

No backstage: Adriana Milhomem, Areias Herbert, Djalma Amaral, Marcos Carvalho e Nano Max. “Produzir música é como produzir teatro, não há como fazer nada sozinho. Sou muito grata por ter essa equipe de primeira comigo nesse projeto feito inteiramente na garra”, declara Mis.

 

Filha de bailarinos, Fernanda Misailidis, teve seu último trabalho teatral ao lado do diretor Tadeu Aguiar e do autor e produtor Eduardo Bakr, com a peça “Poeira de Estrelas”. O projeto levava o espetáculo para escolas do Brasil inteiro, facilitando o acesso de jovens que nunca tinham ido a um teatro. “Foi um projeto lindo e muito importante na minha vida. Meu personagem trazia diretamente o tema da depressão, e ali pude ver o quanto isso está mais presente do que pensamos, inclusive em jovens. Ali percebi o quanto a arte salva”, comenta a atriz que está há quase dois anos sem pisar nos palcos.

 

Neste momento, Mis está se dedicando plenamente à carreira musical, além de dar aulas de canto e estudar jornalismo. “Eu sei o que é estar nessa escuridão que a depressão envolve. É uma névoa que veda os nossos olhos, mas tive pessoas muito especiais que me fizeram ver além. E é exatamente isso que quero poder fazer também”, comenta. “Para mim é uma vitória conseguir fazer arte diantedos tempos atuais. É sempre motivo de comemoração. Desta vez a celebração será em dose dupla, já que no dia seguinte do lançamento faço aniversário”, finaliza.

 

Ficha técnica

 

Artista: Mis – Fernanda Misailidis

Música: Sete Cantos

Direção: Djalma Amaral

Roteiro: Adriana Milhomem e Djalma Amaral

Direção de Produção: Luz em Formas

Edição e finalização: Rodrigo Resende Coutinho

Câmera: Adriana Milhomem, Areias Herbert e Nano Max

Visagismo e Beleza: Beleza de Areia

Produção: Arte de Areia e Nano Max

Realização: Luz em Formas

Stylist: Adriana Milhomem e Fernanda Misailidis

Design Gráfico: Folha Verde

Apoio: Marcos Carvalho

Assessoria de Imprensa: Julie Duarte (Duarte Comunicação)

Músicos: Cássio Acioli (bateria), Luiz Lopez (guitarra), Márcio Eduardo Melo

(teclado), Rodrigo Gregory (acordeón), Vinicius Veloso (baixo)

Produção Musical – Cassio Acioli, Fernanda Misailidis, Luiz Lopez, Márcio Eduardo Melo e Vinicius Veloso

 

Letra

 

Você diz pra mim

Que nunca viveu uma forte emoção

E de longe assim

Se esconde nos escombros da escuridão

Larga essa dor para trás

E traz só a leveza na mala de mão

Levanta a cabeça e entrega

Vai que o mundo te espera

Solta o cabelo no vento

Cola a cara no sol

E vem rodopiar

Longe do cimento

Grita para os sete cantos

Qual é o teu espanto em poder dizer:

Eu sou Feliz!

Você diz pra mim

Que nunca viveu uma forte emoção

E de longe assim

Se esconde nos escombros da escuridão

Larga essa dor para trás

E traz só a leveza na mala de mão

Levanta a cabeça e entrega

Vai que o mundo te espera

Solta o cabelo no vento

Cola a cara no sol

E vem rodopiar

Longe do cimento

Grita para os sete cantos

Qual é o teu espanto em poder dizer:

Eu sou Feliz!

 

 

 

 

Com informações: Duarte Comunicação