Inspirada em séries, Juliane Hooper dá vida ao clipe de “Wasting Away”

Na última faixa que antecede o EP, a cantora e compositora traz à tona a vontade de mudança dos seus sentimentos mais profundos. A entrega é vista através das lentes de Rodrigo Pysi no clipe que sai nesta sexta (22).

  

Luzes, cores e brilho marcam o novo clipe de “Wasting Away” de Juliane Hooper que sai nesta sexta (22). A faixa blues e soul é sensual, dançante e apresenta a cantora e compositora em uma fase de mudança que foi materializada no trabalho audiovisual dirigido por Rodrigo Pysi.

 

A caneta de Juliane não só passou na composição, mas também na elaboração das cenas do videoclipe que dá vida ao seu segundo trabalho que antecede o disco. Rodrigo Pysi entrou para auxiliar no roteiro e gravar.

 

Assista “Wasting Away”:   https://www.youtube.com/watch?v=FVO5OKx07Ew

 

O clipe de “Wasting Away” vem com algumas referências para os nerds: as luzes de led, cores e maquiagem foram inspiradas em “Euphoria”, já a banheira com água vermelha no clássico “Dexter” e as cores das roupas no mundo de magia mais famoso de todos os tempos: “Harry Potter”. As cores também são representadas como as fases de Juliane e a sua mudança.

 

Há cinco anos, Juliane escrevia o refrão de “Wasting Away”.  Sem gostar das estrofes que o acompanhavam, resolveu guardar para outra oportunidade. E ano passado, em um momento de inspiração, juntou o refrão com os novos versos. O encaixe virou a segunda música que antecede o EP e complementa a primeira lançada, “Soulless”.

 

Enquanto “Soulless” aborda os pensamentos sobre o vazio e o superficialismo da vida adulta enfrentados pela Juliane, “Wasting Away” apresenta três momentos: a persistência desse sentimento em vários momentos em que ela deveria estar feliz, a crítica do quanto o sistema capitalista não ajuda para que seja ao contrário e por último o reconhecimento de estar vulnerável com consciência de ser um estado temporário e necessário para por fim assumir novas responsabilidades, novas mudanças.

 

Escute:   https://ditto.fm/julianehooper-wastingaway

 

“Wasting Away” desafiou a voz da artista, marcada pelo grave e timbre visceral, para outras nuances como drive e falsete.

 

Ficha Técnica “Wasting Away”:

 

Clipe:

 

DIREÇÃO: Rodrigo Pysi
ROTEIRO: Juliane Hooper e Rodrigo Pysi
DIREÇÃO DE ARTE: Juliane Hooper e Rodrigo Pysi
PERFORMANCE: Juliane Hooper
ILUMINAÇÃO: Julio Anizio
FIGURINO: Hellen Honorato, Roseleine Honorato e Juliane Hooper
MAQUIAGEM: Thais Raquel Martins Araujo
FOTÓGRAFO: Evandro Feliciano

 

Música:

 

Composição: Juliane Hooper
Arranjo: Juliane Hooper e Julio Mossil
Produção musical: Julio Mossil
Direção vocal: Flavia K
Voz: Juliane Hooper
Baixo: Julio Mossil
Teclado: Flavia K
Guitarra: Stanley Wagner de Lima Melo
Bateria: José Renato de Lima Melo
Mix e master: Vander Carneiro

 

Juliane Hooper é cantora, compositora, letrista, musicista e intérprete. Escolheu o sobrenome “Hooper” por ter achado original e foi o marco de quando nasceu como artista.  Paranaense, a artista vem com influências de Soul, Blues, Jazz, Rock, R&B, Hip Hop e Ska. Com destaque para Lauryn Hill, Gil Scott-Heron, Marvin Gaye, Nina Simone, Etta James, Sharon Jones, Stevie Wonder e Thom Yorke.

 

Já morando em São Paulo, Juliane começou a receber incentivos de amigos sobre o potencial de sua voz. Em 2015 começou a cantar em uma banda de rock de Jundiaí. No ano de 2016, resolveu se aprofundar e estudar técnica vocal, onde notou um grande avanço em sua voz e se apaixonou pelo canto. Seu primeiro violão foi comprado e mesmo sozinha, aprendeu a tocá-lo.

 

Juliane ainda cantava Rock quando teve contato e escolheu ser abraçada pelo Blues, Soul e Jazz. A transição dos estilos foi o que precisava para sentir a necessidade de ter o próprio estilo, não estava mais satisfeita só com os covers e esse foi o passo para fazer a sua própria criação.

Sempre procuro ter identidade vocal e artística, isso é o mais importante pra mim. Sinto necessidade e um desejo muito forte de me expressar através das letras, melodias e sonoridades. Quero que os ouvintes se sintam tocados pelo som, quero que SINTAM.” conta Juliane.

 

Em 2017, mesmo sendo uma artista mulher e completamente independente, optou por seguir carreira solo. Os gastos, as tomadas de decisões e quais músicos o acompanhariam seriam a partir de agora de sua responsabilidade. Hooper continuou compondo, estudando música e realizando shows em bares e eventos.

 

E foi através desses estudos com o seu baixista Mateus Lima, que Juliane havia chegado em um nível de composição que se sentia pronta para lançar um trabalho autoral. Através de uma amiga encontrou o produtor Júlio Mossil no qual se identificou e fechou parceria.

 

 

O primeiro resultado foi “Soulless” e recebeu um clipe feito por Rodrigo Pysi. E agora, Juliane prepara o lançamento do segundo single “Wasting Away” e último que antecede o EP que sai neste semestre.

 

O caminho é muito mais longo e cheio de obstáculos quando se é mulher tentando ocupar espaços majoritariamente masculinos e onde enfrentamos ainda muito preconceito, direto e indireto. Qualquer minoria enfrenta estes desafios. Mas tem sido incrível poder realizar esse sonho, o processo está sendo muito mais divertido do que eu imaginei, e estou aproveitando cada etapa e aprendendo muito. Estou sim ansiosa pelo resultado, mas o processo já tem sido muito prazeroso.” finaliza Juliane.

 

Escute “Wasting Away”:   https://ditto.fm/julianehooper-wastingaway

 

Escute “Soulless”:   https://ditto.fm/julianehooper-soulless

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Com informações: Assessoria de imprensa Carolina Martins