Jorge Du Peixe, vocalista da Nação Zumbi, estreia o show do álbum “Baião Granfino” no Sesc Vila Mariana

O cantor e compositor pernambucano apresenta o repertório do disco onde interpreta músicas de Luiz Gonzaga

 

O show também é transmitido pelo canal do Sesc São Paulo no Youtube 

 

Ouça aqui: https://bfan.link/baiao-granfino 

 

De 26 a 28 de novembro, Jorge Du Peixe estreia em São Paulo o show do álbum “Baião Granfino”, no palco do Sesc Vila Mariana

 

. O vocalista do Nação Zumbi traz versões das músicas de Luiz Gonzaga com novas propostas sonoras e arranjos sofisticados. A venda de ingresso inicia no dia 23 pelo portal do Sesc SP e no dia 24 na unidade do Sesc Vila Mariana.  

 

No dia 28, domingo, o show também é transmitido na íntegra  pelo canal do Sesc São Paulo no Youtube 

 

Ao som de baião, forró, xaxado e maxixe, passando pelo maracatu, ska e bolero, Jorge Du Peixe mistura tudo em um show vibrante e dançante, com músicas de variadas fases da carreira do Rei do Baião, além de algumas surpresas.  

 

No repertório do show, entram clássicos como “O Fole Roncou”, “Sabiá”, “Pagode Russo”, “Qui Nem Jiló” e “Sanfona Sentida”, raridades como “Acácia Amarela” e “Baião Granfino”, e até músicas pouco conhecidas, como a maracatu-canção “Rei Bantu”, “Orélia” e “Assum Preto”. Além das faixas do disco, o artista compilou outras canções do mesmo universo como “Maria, Minha Maria” (Siba e Fuloresta), “Erva Rasteira” e “Festa” (Gonzaguinha) e “Pau de Arara” (Luiz Gonzaga/Guio de Moraes).  

 

Ao lado de Jorge Du Peixe (voz), a banda que o acompanha é formada por músicos que participaram da gravação de “Baião Granfino”, como Bruno Buarque (bateria), Lello Bezerra (guitarra), Sthe Araújo (percussão e voz), Victória dos Santos (percussão e voz) e Fábio Pinczowski (baixo), além de Nanda Guedes (sanfona).  

 

O disco “Baião Granfino” 

 

Jorge Du Peixe lançou no dia 16 de setembro o álbum “Baião Granfino” (selo Babel), com versões das músicas de Luiz Gonzaga. O disco tem 11 faixas como “Sabiá” (Luiz Gonzaga/Zé Dantas), “Qui nem Jiló” (Luiz Gonzaga/Humberto Teixeira), “Cacimba Nova” (Luiz Gonzaga/José Marcolino), “Acácia Amarela” (Luiz Gonzaga/Orlando Silveira), entre outras.  

 

Para Jorge Du Peixe é uma honra e um desejo antigo se concretizando: “Faz parte da minha memória afetiva. Quem é do Nordeste cresce ouvindo as melodias de Luiz Gonzaga. ”, diz.  

 

Participaram do disco os músicos Carlos Malta, Swami Jr., Siba Veloso, Pupillo, Mestrinho, Lello Bezerra, Bruno Buarque, Serginho Plim, Yaniel Matos, Gustavo Ruiz, Victor Rice, Bubu, Maria Beraldo, Lívia Nestrowski, Fábio Sá, Fábio Pinczowski, Sthe Araújo, Naloana Lima e Victória dos Santos, além da participação especial de Cátia de França. 

 

No texto de apresentação de “Baião Granfino”, o jornalista e escritor Xico Sá comenta a importância da obra: “Jorge Du Peixe, o homem da Nação Zumbi, bota no mundo mais do que uma homenagem ou um projeto paralelo na carreira. O que acontece neste álbum é um encontro espiritual entre ele e Luiz Gonzaga no jardim dos caminhos que se bifurcam. Bem ali no meio da viagem entre os sertões e os mares; os mares e os sertões. ” 

 

Biografia Jorge Du Peixe 

 

Jorge Du Peixe começou a sua carreira na música em 1993. O cantor e compositor pernambucano é vocalista da Nação Zumbi, uma das bandas mais importantes e da música brasileira. Nascida no início da década de 1990, a banda originalmente se chamava Chico Science e Nação Zumbi e era liderada por Chico Science, cantor, compositor e um dos principais representantes do movimento manguebeat. Depois da morte precoce de Chico, Du Peixe, que já era membro da banda, assumiu os vocais.  

 

Com a Nação Zumbi lançou 13 discos, fez parcerias com diversos artistas e shows em vários países. Algumas de suas músicas entraram em trilhas sonoras de filmes e novelas. O artista também integra outros projetos musicais, como a banda Los Sebosos Postizos, com quem lançou o disco “Los Sebosos Postizos Interpretam Jorge Ben Jor” (Deck), produzido por Mário Caldato Jr., e o grupo Afrobombas, que tem como vocalista, além de Du Peixe, Lula Lira, filha de Chico Science. 

 

Jorge também compõe trilhas para filmes nacionais. Em “Amarelo Manga” (2003), do diretor Cláudio Assis, assinou a trilha com Lúcio Maia. Em 2011, ganhou o prêmio no Festival de Paulínia de melhor trilha sonora pelo filme “Febre do Rato”, de Cláudio Assis. Em 2017, fez a direção musical do espetáculo “Cão Sem Plumas”, da Cia de Dança Deborah Colker, ao lado de Berna Cepas. Em 2019, fez a trilha do filme “Piedade”, também de Cláudio Assis, que foi premiada no 13º Los Angeles Brazil Film Festival. Lançou em 2020 o livro juvenil “A Nave Vai”, pela editora Barbatana. Em formato de compacto, a publicação conta com o texto e a narração de Jorge Du Peixe e as ilustrações do artista Rodrigo Visca. Recentemente, fez parcerias com os artistas Marcelo D2, na música “Pela Sombra”, e Edi Rock, na música e clipe “Vai”. 

 

 SERVIÇO 

Jorge Du Peixe – Show de lançamento do disco “Baião Granfino”

 

De 26 a 28 de novembro. 

Sexta e sábado, às 21h; domingo, às 18h 

Sesc Vila Mariana – Rua Pelotas, 141 – Vila Mariana. 

Ingressos: disponíveis a partir de 23/11 pelo portal Sesc SP e no dia 24/11 na unidade do Sesc Vila Mariana. R$ 20 (Credencial Plena, estudante, servidor de escola pública, idosos, aposentados e pessoas com deficiência) e R$ 40 (inteira) 

Classificação: 14 anos 


Comprovante de vacinação 

 

A partir do dia 04 de outubro, passa a ser necessário apresentar o comprovante de vacinação contra a Covid-19 (pelo menos a 1ª dose) e documento com foto para ingressar em todas as unidades do Sesc no estado de São Paulo. O público pode apresentar o comprovante de vacinação físico ou digital, recebido no ato da vacinação ou o comprovante digital, disponibilizado pelas plataformas VaciVida e ConecteSUS ou pelo aplicativo e-saúdeSP.  

 

Para mais informações, acesse:  http://www.sescsp.org.br/voltagradual. O distanciamento físico, a utilização de máscara cobrindo boca e nariz, assim como a medição de temperatura dos visitantes na entrada da unidade, seguem sendo obrigatórios. 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Com informações:  IMPRENSA SESC VILA MARIANA