Kléber Albuquerque e Flávvio Alves apresentam “Cantiga de Não Chegar”

Chega às plataformas de música “Cantigas de Não Chegar”, a canção que dá nome ao novo álbum do poeta Flávvio Alves com o compositor Kléber Albuquerque. Retomando a parceria iniciada com o cd “Outras Canções de Desvio”, seguem apresentando a série de canções que farão parte do álbum “Cantigas de Não Chegar”, que está sendo lançado faixa a faixa pela Sete Sóis com distribuição digital da Tratore.

 

Composta em 2016 no Caminho de Santiago de Compostela, quando os dois amigos trilharam a experiência juntos, “Cantiga de Não Chegar” é uma canção peregrina. “É uma guarânia com melodia de sabor antigo e letra de caráter introspectivo, que fala sobre buscas, caminhos e distâncias”, comenta Kleber. “O arranjo mescla acordeon, teclados e guitarra portuguesa para criar uma atmosfera setentista, com uma sonoridade que lembra algo como se Dominguinhos encontrasse Violeta Parra em uma sessão de xamanismo urbano”, completa Flávvio. “Cantiga de Não Chegar” conta com a participação especial de Luiz Waack na guitarra portuguesa.

 

Produzido por Flávvio Alves, Kléber Albuquerque e Ricardo Prado, o álbum “Cantigas de Não Chegar” foi gravado de forma remota durante o período de pandemia e traz uma experiência poética e musical que vai na contramão da música sensorial produzida atualmente. Serão seis faixas, lançadas mensalmente nas plataformas digitais, que trazem uma atmosfera inspirada na sonoridade folk dos anos setenta, misturando influências que vão de Antônio Marcos a Jehtro Tull, passando por Violeta Parra com doses extra de psicodelia.

 

Conheça aqui ‘Cantiga de Não Chegar’, a canção que dá título ao novo trabalho de  Kléber Albuquerque e Flávvio Alves

 

Cantiga de Não Chegar (Kléber Albuquerque / Flávvio Alves)

 

Só teu desejo acode

minha alma em degelo

a sorte de um acorde

belo ouví-lo e vê-lo

o Tejo que há em mim

cantigas de não chegar

sangue no cravo carmim

saudade peninsular

teu olhar

de além mar

A ode que se esconde

neste peito marinheiro

mil passos, tantos montes

peregrinos companheiros

a pátria cega a sangrar

com ódio de assombrar

sangue no cravo carmim

saudade peninsular

teu olhar

de além mar

teu olhar

Ao findar a jornada

vamos brindar com vinho

aos rebeldes que falharam (tombaram) aos irmãos do caminho

nos dias que há em mim

cantigas de não chegar

sangue no cravo carmim

saudade peninsular

teu olhar

de além mar

teu olhar

teu olhar

de além mar

teu olhar

 

[ficha técnica]

 

arranjada e produzida por Kléber Albuquerque, Flávvio Alves e Ricardo Prado

voz, teclado e violão Kléber Albuquerque

acordeon e piano Ricardo Prado

guitarra portuguesa Luiz Waack

 

Lançamento Sete Sóis / Distribuição digital Tratore

 

 

 

 

 

 

Com informações: Assessoria de Imprensa Adriana Bueno