LoreB questiona padrões no single “Se fosse normal ser louco?”, em parceria com Cris Braun

Cantora revelação da música alagoana lança faixas inéditas após EP

 

Depois de chamar atenção no cenário nacional com seu EP de estreia, “Etéreo”, considerado um dos melhores lançamentos de 2019 pela imprensa especializada, a cantora e compositora alagoana LoreB prepara o caminho para seu primeiro álbum completo. O single “Se fosse normal ser louco?” mescla tons de bossa e elementos eletrônicos para questionar padrões sociais e se une a uma sequência de lançamentos da artista, que recebe nessa faixa a participação especial de Cris Braun.

 

Ouça “Se Fosse Normal Ser Louco?”:  https://tratore.ffm.to/loreb

 

A nova canção surgiu em parceria com Gustavo Granja a partir de seus próprios diálogos sobre uma sociedade que impõe padrões de “normalidade”, sem se importar com o que cada pessoa traz de único. Musicalmente, “Se fosse normal ser louco?” também foge dos padrões ao mesclar um instrumental clássico com um viés moderno, incorporando beats à brasilidade de LoreB. Nada melhor para receber nessa faixa a participação de uma artista que também desafia regras.

 

“Durante uma conversa com Gustavo Granja, um amigo músico, eu o questionei: ‘se fosse normal ser louco?’. A conclusão que tivemos foi que não existe normal e  que o mundo seria muito mais diverso, não haveria régua para medir a normalidade das pessoas. A personalidade da Cris fala por si só, ela não tenta se enquadrar em nenhuma caixa, foge de todos os padrões possíveis. Além de tudo isso, é uma mulher que sempre fui fã, e que tem uma história incrível na música brasileira. Por ter a sorte de ser conterrânea dela, resolvi fazer o convite e ela topou!”, recorda LoreB.

 

A artista é uma das revelações da nova e efervescente geração alagoana dos últimos anos. Atuando na música desde 2013, ela integrou o grupo Ô.seis e a Bandinha, que acompanha desde 2017. Em 2019, lançou o EP de estreia, “Etéreo”, e no ano seguinte começou a revelar uma sequência de faixas inéditas. Os singles “Haja cor”, “Sem pressa”, “A parte que falta” e “Deixo-me ir” entregaram novas nuances para a sonoridade da artista. Nesses primeiros passos de sua carreira, LoreB já conta com parcerias com nomes como Wado, Júnior Almeida, Fernando Nunes, Maju Shanii, Pedro Soares (Unidade Nova Praia), Felipe de Vas, Andrea Lais e outros.

 

 

Agora, LoreB abre os caminhos para seu primeiro disco com um cartão de visitas do seu potencial autoral. Enquanto isso, “Se fosse normal ser louco?” está disponível nas principais plataformas de música.

 

Ficha técnica

 

Produção Musical – LoreB, Júnior Bragazion, Pedro Soares, Diogo Rezende

Obra – Gustavo Granja e LoreB

Intérprete – LoreB e Cris Braun

Teclado, synth, violão – Júnior Bragazion

Baixo – Fernando Nunes

Bateria – Rudson França

Percussão – Pedro Soares

Mixagem – Diogo Rezende

Master – Jair Donato

Crédito: Woulthamberg Rodrigues

 

Letra

 

se fosse normal ser louco

a diferença, amor

riria de uma régua geral

 

se fosse normal ser louco

um mar no sonho

vem da brisa

e empurra o litoral

 

se fosse normal ser louco

se fosse normal (2x)

Hm

 

se fosse normal, não

se fosse um nó, nem sei

fosse o normal em você

Se fosse normal

Se fosse normal

 

não há normal nem por que(2x)

Não há normal

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Com informações: BUILD UP MEDIA