Luiz Caldas lança “Playlist Brasileira 1”

Álbum, no formato voz e violão, valoriza a faceta de intérprete do artista baiano 

 

Ouça o álbum

 

Assista ao clipe de “A Lua e Eu”

 

O cantor e compositor baiano Luiz Caldas escolheu revisitar algumas de suas canções favoritas fazendo uma homenagem carinhosa e trazendo seu olhar peculiar para cada obra. Tudo começou no início da quarentena. Sem poder fazer shows, Luiz Caldas teve a ideia de cantar e tocar violão na sua casa e postar nas redes sociais. Daí veio o convite de Rafael Ramos, diretor artístico da gravadora Deck, para registrar as gravações em estúdio.

 

O próprio Luiz Caldas produziu e tocou essas versões intimistas para músicas que fazem parte de seu universo afetivo. “Tudo é baseado no que eu gosto de cantar. Há muita verdade nessas interpretações justamente por isso” – disse ele. Assim sendo, o álbum “Playlist Brasileira 1” traz compositores diversos, como Fábio Jr., Cassiano, Ronaldo Bastos, Beto Guedes, Marcos Sabino, João Ricardo, Paulo Diniz e outros.

 

Algumas das canções são do tempo em que o multi-instrumentista tocava em bailes, atividade que exerceu dos 7 aos 16 anos, como “A Lua e Eu” (Cassiano/ Paulinho Motoka). “Cassiano é um compositor maravilhoso, a música brasileira deve demais a ele. Desde que começou tendo suas canções gravadas por Tim Maia, ele espalha sucessos. E essa música é um clássico, eu sempre tocava nos bailes e quem não estava apaixonado se apaixonava” – relembra Luiz Caldas.

 

“Reluz” (Marcos Sabino), que fez muito sucesso nos anos 80, também remete a esses tempos. “Quando eu estava gravando meus primeiros discos, essa música era um hit em todo o país. O Marcos Sabino é um artista incrível, uma voz suave. Para mim foi muito legal revivê-la porque ela remete muito ao baile, à pista de dança. Me traz recordações maravilhosas” – comenta ele.

 

Dos anos 70, Luiz Caldas pinçou “Sangue Latino” (João Ricardo/ Paulinho Mendonça). “Quando essa música foi lançada, deixou todo mundo de boca aberta. A interpretação de Ney e o surgimento do Secos & Molhados abriram a cabeça e a forma de se enxergar um artista no palco, a forma de se vestir, a performance, a voz aguda de Ney. Foi um marco. Acho essa canção belíssima e por isso fiz questão de incluir no disco”.

 

Além dessas, fazem parte do álbum “A Força do Amor” (Cleberson Horsth/ Ronaldo Bastos), “Deslizes” (Michael Sullivan/ Paulo Massadas), “Caçador de Mim” (Luiz Carlos Sá/ Sérgio Magrão), “O Que É Que Há?” (Fábio Jr./ Sérgio Sá), “Pingos de Amor” (Paulo Diniz/ Odibar), “Sol de Primavera” (Beto Guedes/ Ronaldo Bastos), “Frisson” (Sérgio Natureza/ Tunai), “Caminhos de Sol” (Herman Torres/ Salgado Magrão) e “Espanhola” (Flávio Venturini/ Guarabyra).

 

 

As 12 faixas do álbum, que estreou hoje nos aplicativos de música, são um passeio não só pelos afetos musicais de Luiz Caldas, como também pelas memórias que o público tem dessas canções e pelas lembranças que elas despertam em cada um.

 

“Playlist Brasileira 1” é o 137º álbum gravado por Luiz Caldas ao longo dos seus mais de 50 anos de carreira, número este que não para de crescer, uma vez que o cantor e compositor lança, desde 2013, um álbum a cada mês, passeando pelos mais diversos estilos musicais. Um dos lançados no primeiro semestre de 2021, “Sambadeiras”, rendeu ao artista a indicação ao Grammy Latino na categoria Melhor Álbum de Música de Raízes em Língua Portuguesa. O disco é um mergulho no samba de roda do recôncavo baiano, reconhecido pela Unesco como Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade, e homenageia os artistas da região, em especial o cantor, compositor, violonista e grande conhecedor da cultura popular da Bahia, Roberto Mendes. Todos os álbuns do projeto de lançamentos mensais estão disponíveis para download gratuito no site www.luizcaldas.com.br

 

Ficha Técnica

 

Produzido por Luiz Caldas

Gravado por Raphael Sousa
Mixado por Vitor Farias
Masterizado por Fábio Roberto (Deck)
A&R: João Augusto e Rafael Ramos
Produção Executiva: Alan Barboza
Fotos: André Fofano
Arte: Pedro Hansen

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Com informações: BATUCADA Comunicação