Ney Matogrosso lança Bloco na Rua

Álbum sobe hoje nas plataformas digitais, junto com o DVD, que estreia no canal You Tube do artista

Ouça no link abaixo o álbum digital e o video de “O Beco”. A partir de hoje, o DVD estará disponível na íntegra.

 

https://SomLivre.lnk.to/Bloco_Na_Rua_Deluxe

 

Fotos: capa Marcos Hermes/ em anexo: Marcia Hack

 

Depois de mais de 5 anos ininterruptos à frente da turnê “Atento aos sinais” – temporada longa até para os seus padrões -, Ney Matogrosso lança hoje, no formato digital, álbum e DVD Bloco na rua (Som Livre/MP,B discos), espetáculo que estreou em janeiro de 2019 e já é um estrondoso sucesso de crítica e público.

 

 

O álbum reúne 20 canções (disponível a partir de hoje nas plataformas digitais) e o DVD poderá ser assistido na íntegra neste final de semana (de 22 a 24/11), no canal You Tube de Ney Matogrosso: futuramente, os vídeos serão disponibilizados novamente, um a um.

 

 

Gravado em julho deste ano, o DVD partiu de uma concepção que o aproxima de um registro cinematográfico. “O Felipe Nepomuceno, que dirigiu o DVD, teve muita liberdade. O que a gente vê não é a reprodução de um show, apenas, mas uma outra coisa, muito interessante. Tanto que eu fiz para o Felipe e sua equipe gravarem, não para uma plateia. Eles tiveram total liberdade de entrar e filmar como nunca ninguém filmou. O resultado está mais para cinema do que para o registro de um show, o que me agrada muito”, pontua Ney.

 

 

Formado por canções em sua maioria lançadas na barra pesada da década de 1970, como o tema de Sergio Sampaio citado no título do espetáculo (de 1972), o repertório ganha unidade no roteiro traçado por Ney Matogrosso, há mais de um ano. “Nunca fiz discursos politizados nos meus shows, não faço política partidária: as letras das canções dão os seus recados”.  Além da já citada “Eu quero é botar meu bloco na rua”, “Jardins da Babilônia”(Rita Lee e Lee Marcucci), “A Maçã”(Paulo Coelho/Marcelo Motta/Raul Seixas), “Álcool (Bolero Filosófico), do DJ Dolores ,“O Beco” (Herbert Vianna/Bi Ribeiro), “Pavão Mysteriozo” (Ednardo) e “Mulher Barriguda”, do primeiro álbum dos Secos e Molhados, de 1973 (Solano Trindade e João Ricardo), estão na seleção.

 

 

Chico Buarque, presença constante na discografia de Ney, aparece em dois momentos: como versionista de “Yolanda”, clássico do cubano Pablo Milanés, e em “Tua Cantiga” (parceria com Cristóvão Bastos). Duas canções foram pinçadas do compacto duplo Ney Matogrosso e Fagner, de 1975: “Postal do Amor” (Fagner/Fausto Nilo/Ricardo Bezerra) e “Ponta do Lápis” (Clodô/Rodger Rogerio). De Itamar Assumpção surgem “Já sei” (Alzira Espíndola/Alice Ruiz/Itamar) e “Já que tem que” (Alzira/Itamar). “Como 2 e 2”, de Caetano Veloso, Ney nunca havia cantado; já “Sangue Latino”, sucesso dos Secos e Molhados, ganhou arranjo mais pop.  

 

 

O figurino é do estilista Lino Villaventura e a banda afiada a mesma que o acompanha há 5 anos: Sacha Amback (direção musical, arranjos e teclados), Marcos Suzano e Felipe Roseno (percussão), Dunga (baixo), Mauricio Negão (guitarra), Aquiles Moraes (trompete) e Everson Moraes (trombone).

 

 

Dirigido por Felipe Nepomuceno, com direção de fotografia de Pablo Baião, o DVD dialoga e interage com a luz criada por Arthur Farinon e Juarez Farinon, e com o vídeo-cenário do espetáculo, de Luiz Stein e Marcus Paulista.

 

Agenda completa da turnê “Bloco na Rua” em:
http://neymatogrosso.com.br/

 

Instagram: @neymatogrosso

Facebook: neymatogrossooficial

 

 Assessoria Ney MP, B Discos – Ney Matogrosso

Coringa Comunicação

 

Sobre a Som Livre

 

De 1969 para cá o mercado fonográfico mudou, assim como a forma de se consumir música. Hoje, 50 anos depois de sua criação, a Som Livre é muito mais do que uma gravadora, é o espelho musical do país. Uma empresa 100% nacional voltada para a música, seja qual for a sua plataforma e que reflete, através de seus lançamentos, o gosto e o hábito de consumo do brasileiro.

 

 

A Som Livre possui diversas frentes de negócios: venda física, digital, shows, licenciamento e editora. Em seu time são mais de 100 artistas e sua editora é uma das mais importantes do país, representando os direitos de compositores nacionais e internacionais. Na linha de shows, a empresa aposta em festivais de música, que acontecem por todo o país, com as marcas Festeja, Viva Mais Música e Arena Pop.

 

Somlivre.com

facebook.com/somlivre

instagram.com/somlivre

twitter.com/somlivre

 

 

Assessoria de comunicação Som Livre – In Press Porter Novelli