Pedro Mann mescla canções intimistas em voz e violão com orquestras de cordas e sopros em novo disco, “Salineiras”

Terceiro trabalho de estúdio do músico carioca tem produção de Rodrigo Vidal

 

Pedro Mann faz um retorno às suas origens ao mesmo tempo que dá um passo adiante no seu mais novo disco, “Salineiras”. O cantor e compositor carioca remonta às canções pessoais de sua estreia, “O Mundo Mora Logo Ali” (2013), e constrói sobre a maturidade sonora de “Cidade Copacabana” (2016) para criar um trabalho onde as letras intimistas, de grande entrega e vulnerabilidade, são embaladas por instrumentos acústicos em arranjos sofisiticados. O trabalho já está disponível para streaming.

 

Ouça “Salineiras”: https://tratore.ffm.to/salineiras

 

O amor continua guiando o cancioneiro de Pedro Mann, que desde sua estreia solo surge na temática das canções, sejam elas minimalistas, sejam potencializando sua vocação pop. Essa visão urbana e moderna dos relacionamentos ganha em “Salineiras” um olhar sob o prisma de uma reflexão sobre as idas e vindas das marés, sobre dar a volta por cima e sobreviver às arrebentações. Convidando o ouvinte a navegar pelas ondas – ora de tormenta, ora de calmaria -, Mann embarca em uma jornada sobre sua própria busca por um norte.

 

“‘Salineiras’ é um disco muito íntimo e autoral, 8 canções muito pessoais que foram registradas do jeitinho que sempre quis – com cordas, sopros e uma banda maravilhosa. Nunca consegui separar minhas vivências pessoais da minha arte e ‘Salineiras’ vem curando algumas feridas antigas, tem alguma coisa que descansa, que decanta. É também sobre delicadeza, sobre um processo de amadurecimento importante pra mim, uma jornada interna de navegar além pra depois voltar para casa. É necessário tempo para que esse resgate aconteça, essa volta pra dentro de si. Pra saborear o sal é preciso deixar que a água evapore e esperar que o sol seque o mar”, analisa o artista.

 

A passagem do tempo é o catalisador de todo esse processo criativo. Indo além da MPB e rock do primeiro disco, do clima eletrônico e moderno do segundo, o novo trabalho bebe do folk e de ritmos tradicionais brasileiros, usando de orquestras de sopro e cordas para criar novas texturas até então inéditas em sua sonoridade, aqui fortemente embalada pelo violão. “Salineiras” encontra na água o seu simbolismo renovador, e no sal o realçador de sabores e dissabores da vida. Tudo foi guiado pelo produtor Rodrigo Vidal (Marisa Monte, Maria Gadú, Paulinho da Viola).

 

O trabalho vem para coroar uma trajetória já de destaque no cenário nacional da nova música brasileira. Conhecido por projetos como o Bondesom, Pedro é um baixista que já dividiu o palco com Gilberto Gil, Roberta Sá, Forróçacana e Geraldo Azevedo. Seu primeiro disco solo foi lançado em 2013. “O Mundo Mora Logo Ali” trazia canções autobiográficas e tratava de questões interiores.

 

Assista a “Nó”: https://youtu.be/gqBUSylBV6E

 

Assista a “Faz Tempo”: https://youtu.be/tHK8bll-KCE

 

No seu segundo lançamento, “Cidade Copacabana” (2016), Mann olhava para o entorno em canções urbanas que remontam ao imaginário de um bairro com dimensões de cidade, onde passou a infância e escolheu voltar. Ao longo do último ano, o artista revelou aos poucos algumas canções de “Salineiras”, como “Todo fim é recomeço”, “Nó” e “Faz Tempo”, além do single “Pela Janela”, onde reflete sobre o período de isolamento atual, bem como um remix de Marcelinho da Lua para a sua faixa “Onda do Mar”, que também ganhou um clipe.

 

Assista a “Pela janela”: https://youtu.be/tubV7HFSwpo

 

Assista a “Onda do mar”: https://youtu.be/eBYYzcoUMA4

 

Agora, “Salineiras” costura todos esses caminhos e inaugura um novo capítulo para Pedro Mann. O álbum marca sua primeira colaboração com o produtor Rodrigo Vidal e recebe participações especiais de músicos de destaque no cenário carioca. O disco já está disponível nos principais serviços de streaming de música através do selo Pomar.

 

Ouça “Salineiras”: https://tratore.ffm.to/salineiras

 

Crédito: Fernando Young

 

Ficha técnica

 

Salineiras foi gravado no estúdio Casa do Mato (RJ) entre janeiro e agosto de 2019. Produzido, gravado e mixado por Rodrigo Vidal.

Gravações adicionais: Ronaldo Lima. Assistente de gravação: Erik Valentim

 

Banda:

Pedro Mann: Voz e baixo elétrico

Ricardo Rito: Teclado

Pedro Silveira: Guitarra e violão de aço

Carlos Sales: Bateria

Joana Queiroz: Clarinete

Antonio Guerra: arranjo e regência de cordas*

Quarteto Atlas: Cordas

Violão: Ricardo Amado Da Silva

Violino:Carlos Roberto Mendes

Viola: José Ricardo Vöelker Taboada

Violoncelo: Pablo de Sá

Gilson Santos:  Trompete

Yuri Villar: Sax tenor

Jonas Hocherman: Trombone

Fernando Caneca: Violão Tenor

Marcelo Cebukin: Flauta

Tiago Didac: Percussão

Pablo de Sá: Violoncelo

Aline Gonçalves: Flauta

Luis Barcelos: Bandolim

Aquiles Moraes: Fluegel

 

Selo: Pomar

Fotos: Fernando Young

Projeto Gráfico: Cubículo

 

 

Com informações: Nathália Pandeló Corrêa – Build Up Media – http://www.buildupmedia.com.br