PETER GABRIEL lança seu novo álbum “I/O”

Seu primeiro álbum de material inédito em mais de 20 anos

 

A obra com 12 faixas está disponível em duas mixagens estereofônicas diferentes

 

 “A composição é a chave… aquela voz melodiosa e as sequências de acordes com extraordinário peso emocional se combinam com efeito avassalado” — Álbum da Semana – Cotação 4/5, The Sunday Times

 

“Big hooks, big choruses, big juicy bass lines and very big themes. Peter Gabriel’s cracker is worth the wait” Cotação 5/5, Mail on Sunday

 

“Há canções aqui tão boas quanto ‘Solsbury Hill’ e ‘Sledgehammer’”

Nota 8/10, Uncut

 

“Substancioso… profundamente concebido” – Cotação 4/5, “MOJO

 

“O disco mais consistente e coeso de Gabriel pós-anos 80 — e o mais filosófico de sua vida” — “Classic Rock

 

“‘i/o’ é um despertar impecável” – Cotação 4/5, “Record Collector 

 

“O melhor momento pop puro de Gabriel desde ‘Sledgehammer’” 

Cotação 4/5, “Rolling Stone UK”

 

“Ele ainda sabe escrever canções que acendem a mente e mexem com o coração. Reafirma seu lugar como o decano do art-pop cerebral”

— “Prog magazine”

 

“Ele tem poucos concorrentes à altura no poder espiritual da conexão

entre mente, corpo e terra. Vai encantar os fãs”

– Cotação 4/5, The Arts Desk

 

“Mais uma obra-prima de Gabriel” – Louder Than War

 

Hoje, depois de um ano lançando uma nova canção a cada lua cheia e se apresentando ao vivo de forma arrebatadora no Reino Unido, na Europa e na América do Norte, Peter Gabriel está lançando seu aguardadíssimo novo álbum de estúdio, “i/o”

 

Ouça e baixe aqui: https://lnk.to/PG21 .

 

“i/o” são 12 faixas com graça, gravidade e grande beleza que oferecem uma bem-vinda confirmação não apenas da capacidade contínua de Peter de compor músicas que fazem você parar tudo para ouvir, mas também da voz emocionante, que continua perfeita e deliciosamente intacta. Ao longo do álbum, as canções inteligentes e reflexivas (e que também provocam reflexão) abordam a vida e o universo. Nossa conexão com o mundo ao nosso redor — “I’m just a part of everything” (“sou apenas uma parte de tudo”), canta Peter na faixa-título, “i/o”.  É um tema recorrente do álbum, assim como a passagem do tempo, a mortalidade e o luto, e também temas como injustiça, vigilância e as raízes do terrorismo. Mas não se trata de um disco solene. Embora seja reflexivo, o clima nunca é de desânimo; “i/o” é musicalmente venturoso, muitas vezes alegre e, em última análise, cheio de esperança, coroado com a música de encerramento excitantemente otimista, “Live and Let Live”.

 

Gravado em sua maior parte no Real World Studios e no estúdio caseiro de Peter, em uma longa gestação, “i/o” reúne um elenco considerável. Peter manteve seu fiel círculo interno de músicos por perto, o que significa que o guitarrista David Rhodes, o baixista Tony Levin e o baterista Manu Katché são presenças marcantes em todo o álbum. Várias músicas trazem as impressões digitais do velho parceiro Brian Eno, enquanto há contribuições notáveis de Richard Russell, do pianista Tom Cawley, dos trompetistas Josh Shpak e Paolo Fresu, da violoncelista Linnea Olsson e do tecladista Don E. A filha de Peter Gabriel, Melanie, contribui com vocais de apoio calorosos, assim como Ríoghnach Connolly, do The Breath. Richard Chappell, Oli Jacobs, Katie May e Richard Evans, frequentadores assíduos do Real World, cuidam da programação e tocam vários instrumentos. O Soweto Gospel Choir e o coral masculino sueco Oprhei Drängar emprestam suas magníficas harmonias vocais a algumas faixas, e a seção de cordas da New Blood Orchestra, liderada por John Metcalfe, acalma e eleva.

 

Expressão de um artista renomado por derrubar fronteiras, “i/o” não é uma simples coleção com uma dúzia de canções. Todas as 12 faixas estão apresentadas em duas mixagens diferentes em estéreo: a Bright-Side Mix, feita por Mark ‘Spike’ Stent, e a Dark-Side Mix, remodelada por Tchad Blake. “Temos dois dos melhores mixadores do mundo, Tchad e Spike, e eles efetivamente trazem características diferentes para as músicas. Tchad é um escultor que constrói uma viagem com som e drama. Spike adora sons e adora compor imagens, é mais um pintor.” As versões estão incluídas no pacote de CD duplo e também estão disponíveis separadamente como álbuns de vinil duplo. E isso não é tudo. Uma terceira versão, a In-Side Mix, em Dolby Atmos, está incluída no conjunto de três discos, incluindo o Blu-ray — ela é cortesia de Hans-Martin Buff, “que faz um trabalho maravilhoso gerando essas mixagens muito mais tridimensionais”.

 

Dando continuidade à ideia desenvolvida para os álbuns “US” e “UP”, Peter convidou novamente uma série de artistas visuais para contribuir com uma obra para acompanhar a música. Cada uma das 12 músicas de “i/o” foi entregue a um artista de renome mundial para criar uma obra relacionada, seja pintura, fotografia, escultura ou mesmo um trabalho em plasticina (massa de modelar). Os doze artistas formam uma equipe de colaboradores extremamente impressionante: Ai Weiwei, Nick Cave, Olafur Eliasson, Henry Hudson, Annette Messager, Antony Micallef, David Moreno, Cornelia Parker, Megan Rooney, Tim Shaw, David Spriggs e Barthélémy Toguo.

 

Outra ligação visual com os trabalhos anteriores de Peter é a foto da capa. Tirada pelo fotógrafo Nadav Kander, ela remete às capas de seus álbuns anteriores, com a imagem do artista presente, mas, com exceção de “So”, sempre intrigantemente obscurecida ou manipulada.

 

Esses ecos do passado não fazem com que “i/o” deixe de ser fundamentalmente um álbum de — e para — o aqui e agora. Muitos de seus temas podem ser atemporais, mas também são avisos de que estamos vivendo com os dias contados, tanto como planeta quanto como indivíduos. Como Peter canta na divina “So Much”, “esta edição é limitada”.

 

A espera valeu cada minuto. “i/o” é um novo triunfo na carreira de Peter Gabriel.

 

Lista de faixas:

 

Digital

 

  1. Panopticom
  2. The Court
  3. Playing for Time
  4. i/o
  5. Four Kinds of Horses
  6. Road to Joy
  7. So Much
  8. Olive Tree
  9. Love Can Heal
  10. This Is Home
  11. And Still
  12. Live And Let Live

 

Os maiores sucessos do cantor estão na playlist da UMusic Playhttps://umusicplay.lnk.to/SoftRock

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Com informações: www.universalmusic.com.br

 Universal Music Brasil :: Departamento de Imprensa e Comunicação / PR

#SIGA NO INSTAGRAM
@colinhay @midiorama
Hoje (19/02), é aniversário da jovem atriz Millie Bob Brown @milliebobbybrown que completa 20 anos.

#milliebobbybrown #boomerangmusic #happybirthday #strangerthings
Hoje (19/02), é aniversário do cantor, compositor e ator Evandro Mesquita @evandromesquita que completa 72 anos.

Vocalista da banda Blitz @blitzoficial 

#evandromesquita #Blitz #happybirthday #boomerangmusic
Hoje (19/02), é aniversário do cantor e compositor Seal @seal que completa 61 anos.

Um dos maiores nomes da música pop.

#seal #happybirthday #boomerangmusic
Se preparem que em agosto vai rolar o Australian Connection Festival @australianconnectionfestival com grandes bandas da Surf Music 

Hoodoo Gurus @hoodoogurus_official 
GangGajang @ganggajang 
SpyS 

Em breve passamos mais informações pra vocês!!

#hoodoogurus #australianconnectionfestival #Surfmusic #boomerangmusic
Lançado em 1984, o filme Footloose completa 40 anos.

O filme conta a história do recém-chegado de Chicago, o jovem Ren McCormak fica frustrado quando descobre que a pequena cidade do interior para a qual se mudou proíbe a dança e a música pop. Com a ajuda de seu novo amigo Willard e da adolescente rebelde Ariel, ele enfrenta uma árdua batalha para mudar a situação local. Mas o reverendo Shaw Moore, pai de Ariel, acaba se transformando em um grande obstáculo.

Dirigido por Herbert Ross e que conta com Kevin Bacon @kevinbacon Lori Singer, Sarah Jessica Parker @sarahjessicaparker John Lithgow e Diane West no elenco.

Clássico dos anos 80.

#footloose #boomerangmusic #40years