Sergiopí recria música de Ivan Lins com produção de Wado

Sergiopí segue se desafiando e revelando canções que estarão em seu novo disco, “Praeteritum”, previsto para 20/01. O trabalho coloca em destaque o lado de intérprete do cantor e compositor, apresentando versões para obras do cancioneiro brasileiro. Após revisitar “Preciso Me Encontrar”, de Candeia, agora Sergiopí mostra sua versatilidade em “Nada Sem Você”, já disponível para streaming.

 

Ouça aqui: https://sergiopi.lnk.to/NadaSemVoce   

 

“Nada Sem Você” é daquelas músicas que transbordam melancolia. Em um arranjo que une o moderno com o tradicional, o cantor cria paisagens subjetivas ao entoar o luto impossível que a letra propõe.

 

Idealizada por Sergiopí, a nova gravação tem produção musical do cantor e compositor Wado. “Há uma leve desconstrução de xote e baião, partindo principalmente das pesquisas de Mauro Refosco (Atoms for Peace, Thom Yorke) no Forró in the Dark – uma espécie de olhar gringo para o Nordeste mais profundo”, diz o produtor.

 

Dinho Zampier tocou os pianos e Jair Donato mixou e pilotou os sintetizadores, programações e guitarras direto de Maceió, enquanto as vozes do artista foram gravadas por Tuta Macedo, no Rio de Janeiro. Carlos Freitas masterizou de Miami.

 

De autoria Ivan Lins, Celso Viáfora e Ivano Fossati, “Nada Sem Você” foi originalmente lançada por Ivan Lins em 2000, no álbum “A Cor do Pôr do Sol”.

 

Após transitar pelo pop soul dançante em “Meu Pop É Black Power” (2015) e pelo indie pop no 100% autoral “Auradelic” (2020), Sergiopí reflete em “Praeteritum” a memória afetiva musical em uma coleção de faixas que vai de Marina Lima a Chico Buarque, de Gonzaguinha até Milton Nascimento. O novo disco sai em 20 de janeiro, dia de São Sebastião, protetor do artista.

 

Letra

 

Sem você sou inutilidade

Nuvem negra ao fim da tarde

Escondendo o pôr-do-sol

Sem você e tudo são naufrágios

Onde eu sou o foco frágil

De um estúpido farol

Sem você é tudo tão difuso

Uma hora em outro fuso

Arco-íris de uma só cor

Sem você é o frio do dilúvio

Onde o olho do Vesúvio

Que sou eu, já se apagou

 

Coisa linda

Coisa linda

Coisa linda

Fica, por favor

 

Sem você sou a desalegria

No espelho da alegoria

Que ficou no barracão

Nada, sem você sou uma bobagem

Uma falsa tatuagem

Que desmancha no sabão

Sem você é tudo revirado

O futuro do passado

De onde nada se guardou

 

O silêncio que quebrou o rádio

E ficou no chão do estádio

Quando o jogo terminou

 

Coisa linda

Coisa linda

Minha linda

Fica, por favor

 

Siga Sergiopí:

 

https://www.instagram.com/iamsergiopi

https://www.facebook.com/sergiopioficial

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Com informações: PRESS LAB 344