The Neighbourhood lança novo álbum e anuncia turnê mundial remarcada para 2021

“Chip Chrome & The Mono-Tones” está disponível agora pela Columbia Records

 

 

arte de capa fotografada por Adam Alessi

 

The Neighbourhood – Chip Chrome & The Mono-Tones

Columbia Records – 25 de setembro de 2020

 

1.Chip Chrome

2.Pretty Boy

3.Lost in Translation

4.Devil’s Advocate

5.Hell or High Water

6.Cherry Flavoured

7.The Mono-Tones

8.BooHoo

9.Silver Lining

10.Tobacco Sunburst

11.Middle of Somewhere

 

Sobre o The Neighbourhood:

 

Se você fugir do seu mundo, você tem a chance de possivelmente torná-lo um pouco melhor ao voltar.

 

Em vez de ir para algum local remoto ou refúgio exótico, o vocalista do The Neighbourhood, Jesse Rutherford, fugiu para um lugar diferente. No caso dele, o retiro aconteceu localmente, onde o Chip Chrome reside.

 

Pintado com tinta prateada e exibindo dentes de diamante brilhantes, ele se apresenta no quarto álbum completo do The Neighbourhood, Chip Chrome & The Mono-Tones [Columbia Records].

 

Grandes perguntas permanecem não respondidas…

 

Continua sendo o The Neighbourhood?

 

Chip e o vocalista Jesse Rutherford são a mesma pessoa?

 

E o que vem a seguir?

 

“Eu queria falar de uma maneira diferente com a música”, explica Jesse. “No final, tenho tentado descobrir o que isso realmente significa. Às vezes, é difícil expressar em palavras, embora este seja meu trabalho com a letra. Chip me ajudou a encontrar essa voz. Ele é o melhor líder que eu poderia ser para este projeto, para os meninos e para os meus amigos. Os Mono-Tons são as vozes constantes na minha cabeça. Eles podem ser um pouco assustadores e me manter acordado à noite, mas confio no seu gosto. Da mesma forma que quero fazer os caras felizes, quero fazer os fãs felizes. Para fazer isso, isolei-me, sentei sozinho, encontrei o que me faz feliz e descobri minha voz. O engraçado é que me irrita por ser tão sério. Não quero ficar matutando. Muitas dessas músicas são baseadas em acordes maiores, então pode ser uma versão mais feliz do “The Neighbourhood”.

 

Chip Chrome sempre esteve em algum lugar nos bastidores quando o The Neighbourhood ganhou destaque. Desde 2011, o quinteto do sul da Califórnia — Jesse, Zach [guitarra], Jeremy [guitarra], Mikey [baixo] e Brandon [bateria] — tem consistentemente quebrado padrões e superado expectativas. Após o sucesso de sua estreia de platina I Love You., impulsionada pelo certificado de 5x platina por “Sweater Weather”, eles colaboraram com todos, de YG a Denzel Curry e agraciaram os palcos dos melhores festivais, como Coachella, e apresentações noturnas na televisão, incluindo Jimmy Kimmel LIVE! Além de mais de 1 bilhão de streams e visualizações, eles ganharam aclamação da crítica. Do álbum autointitulado de 2018, revista Atwood escreveu: “No The Neighbourhood, o The Neighbourhood traz 42 minutes de brilho e resiliência, permanecendo lucidamente transparente sobre as maiores labutas emocionais da vida”.

 

No entanto, Chip entrou nos holofotes no single “Middle of Somewhere”, de 2019.

 

“Começamos muito bem com “Sweater Weather”, mas não conseguia parar de me perguntar: “Como posso fazer isso novamente?”, admite Jesse. “Não queria fazer isso desta vez; queria fazer algo totalmente novo. Tínhamos um plano de fazer o videoclipe de “Middle of Somewhere” e, então, eu apareci vestindo um macacão de elastano prateado e com o rosto pintado! Para minha surpresa, foi a melhor jogada que eu poderia ter feito com a banda, porque eles acabaram gostando de como era maluco e interessante. No processo, ainda tive que representar o Jesse ao máximo. Chip foi uma maneira de eu dizer: “Vou ser eu mesmo. Você não vai me impedir””.

 

No auge de 2020, ele se desconectou e incorporou o Chip. Como Jesse diz, ele “saiu da internet, pegou um violão, tocou até [seus] dedos sangrarem e aprendeu a escrever músicas de uma nova maneira”.

 

Isso nos leva ao primeiro single “Cherry Flavoured”. Ao som do violão e de uma batida vibrante, ele admite: “Vendi minha alma há muito tempo. Eu me sinto como um fantasma agora”.

 

“Cherry Flavoured Conversations” significa exatamente o que parece”, ele continua. “É algo que parece muito bom e agradável quando você está falando sobre isso, mas pode não ser possível na realidade. Acabei me retraindo, mas estou de volta. Eu percebi, “Talvez eu seja o único que esteja contribuindo para essas conversas?” Eu precisava olhar para mim mesmo”.

 

Enquanto isso, “Devils Advocate” depende de uma melodia na guitarra marcada por bipes e falsetes alternados.

 

“É sobre voltar a ser um homem simples em vez de ser prisioneiro de uma marca”, diz ele. “Sou atraído por coisas de marca, diamantes e a boa vida, mas não há nada como encontrar grandeza nas coisas simples.”

 

Depois, há “Pretty Boy”. O som da guitarra surf toca sobre o pandeiro e uma delicada melodia no baixo enquanto ele canta uma música romântica apocalíptica em homenagem ao seu cão.

 

“Depois desses dois terremotos no ano passado, eu estava tocando guitarra no sofá, com meu cachorro de um lado e minha garota do outro”, lembra. “Eu pensei, “Se está tudo aqui, não é um final ruim”. Isso me fez apreciar o que eu tenho. Estamos nisto juntos e é um momento verdadeiro.”

 

Baseado em “uma amostra de fogoque Brandon tirou das caixas”, a efervescente “Lost In Translation” sai de um ritmo de pistas de dança dos anos 70 para fazer um gancho sobre “como há tanto barulho e é tão difícil ser ouvido ou até mesmo ouvir qualquer coisa”.

 

Enquanto isso, o disco fecha com “Tobacco Sunburst”. Seria a primeira música que Mikey contribuiu para o grupo na guitarra. O zumbido no início veio de um avião decolando perto da casa do Coldwater Canyon, que eles compartilharam durante a composição. Conclui em um refrão curto e marcante.

 

“O álbum originalmente se chamaria “Tobacco, Sunburst”, porque eu queria que fosse baseado na guitarra”, revela Jesse. “A música é um momento especial. Há uma vibração esmaecida nisso. Sugere qual seria o futuro desta banda. Poderíamos lançá-la quando tivermos quarenta anos e ainda seria um sucesso.”

 

Por mais que Chip tenha afetado o The Neighbourhood, Chip também tem o poder de afetar os ouvintes em todos os lugares.

 

“Acho que Chip falariaNão sabemos o que vai acontecer, mas você nunca saberá o que esperar de nós, porque podemos mudar isso”, ele finaliza. “No final das contas, este é um projeto de arte. Deve ser divertido. Sinto que os meninos e eu estamos mais próximos do que nunca. É incrível vivermos essa vida de música juntos. Se ainda tivermos uma voz no mundo, vamos usá-la. Chip Chrome & The Mono-Tones ajudaram a definir minha voz. Quanto mais ouço, mais penso: “Isso é uma música do The Neighbourhood”.

 

Assessoria de Imprensa – Sony Music –  Perfexx Assessoria – www.perfexx.com.br