Toots and the Maytals lançam o aguardado Got to be Tough

O primeiro disco de estúdio em uma década será lançado nesta sexta-feira, 28 de agosto, através do selo Trojan Jamaica / BMG

 

 

Foto: Hugh Wright

 

ESCUTE “GOT TO BE TOUGH” – https://toots.lnk.to/GotToBeTough

 

Em tempos de incertezas políticas e sociais, a volta da voz de Toots Hibbert não poderia ser mais do que bem-vinda. Voz essa que ressoa desde o início do ska, durante o movimento pelos direitos civis na América e a independência da Jamaica nos anos 60. Nessa época, Toots cantou icônicas verdades como “Monkey Man” e “54-46 Was My Number” – uma irônica resposta para sua injusta prisão por ganja. Desde então, ele ganhou uma visão certeira sobre os sistemas corruptos que tentam dominar populações e essa característica está em todas as suas letras. Ganhador (e múltiplas vezes indicado) de Grammys, Toots Hibbert é mestre em criar um tipo de música de resistência, que harmoniza raiva e sensibilidade chamando atenção para as injustiças sociais. Got To Be Tough é um reflexo disso.

 

Este novo álbum que sai via Trojan Jamaica / BMG Records conta com produção do próprio Toots Hibbert, que também toca muitos dos instrumentos e assina o arranjo do naipe de metais. A guitarra principal é de Zak Starkey (co-fundador do selo Trojan Jamaica ao lado de Sharna “Sshh” Liguz e baterista do The Who), a bateria é do mestre Sly Dunbar (da dupla Sly & Robbie) e a percussão do ícone de Nova Orleans, Cyril Neville.

 

Falando em percussão, vale lembrar que o ex-Beatle Ringo Starr assina a mesma na releitura de “Three Little Birds”, de Bob Marley. A faixa clássica ganhou ares de ska e ainda conta com a participação especial de Ziggy Marley na voz.

 

O disco Got To Be Tough  vem para renovar a carreira de quase seis décadas do homem que lançou um novo som e gênero musical com seu hit de 1968 “Do The Reggay”. Sim, Toots Hibbert cunhou o termo “reggay”, que depois passou a se referir ao estilo musical, derivado do ska e do rocksteady, que surgiu na Jamaica no final dos anos 60.

 

Nesta sexta, 28 de agosto, o legendário artista jamaicano Frederick “Toots” Hibbert mostra que por suas veias criativas correm todas as raízes da diáspora negra: blues, soul, r&b, funk, jazz, reggae… Toots honra e incorpora essas sonoridades, enquanto busca sobreviver e prosperar entre nossos desafios terrestres.

 

“É preciso ser forte quando as coisas ficam difíceis”, avisa o frontman desta instituição do reggae mundial que é a Toots and The Maytals.

 

Escute “GOT TO BE TOUGH” –  https://toots.lnk.to/GotToBeTough

 

Clipe “Got to be Tough” – https://youtu.be/7nYjZLmjxlM

 

Clipe “Warning, Warning” https://youtu.be/rBHSb8m8I48

 

 

‘GOT TO BE TOUGH’ TRACK LIST

 

Drop Off Head

Just Brutal

Got To Be Tough

Freedom Train

Warning Warning

Good Thing That You Call

Stand Accuse

Three Little Birds Ft. Ziggy Marley

Having A Party

Struggle

 

 

Siga Toots and The Maytals:

 

https://www.facebook.com/tootsandthemaytals/

https://twitter.com/tootsmaytals

https://www.instagram.com/tootsmaytalsofficial/

https://youtu.be/NHN02jV5ozU

 

 

TROJAN JAMAICA

 

O selo Trojan Jamaica chega para explorar o diverso legado musical da Jamaica, desde suas raízes africanas até as infinitas inspirações vindas da música negra norte-americana como a soul music, R&B e blues. Com esse objetivo em mente, seu primeiro lançamento em julho de 2019, a coletânea Red, Gold, Green & Blue reúne estrelas como Big Youth, Mykal Rose, Andrew Tosh e Toots & The Maytals, assumindo eternas canções de nomes como Muddy Waters, Robert Johnson, Willie Dixon, Fleetwood Mac, entre outros.

 

A gravadora BMG assinou um contrato mundial com este novo selo, que representa a música produzida atualmente na Jamaica. A BMG é co-fundadora do Trojan Jamaica, portanto, licenciou o nome do famoso selo Trojan Records, que também faz parte de seu catálogo e de onde saiu a inspiração para este novo empreendimento. Enquanto alguns dos artistas se sobrepõem ao catálogo da Trojan Records, o Trojan Jamaica é uma marca de linha de frente totalmente independente.

 

A história do Trojan Jamaica começou em 2016, quando Zak Starkey – conhecido por seu trabalho como baterista do The Who, Oasis, Johnny Marr and the Healers e outros grupos – e a artista e produtora australiana Sharna “Sshh” Liguz uniram-se no projeto SSHH para reinventar o hit de Bob Marley e Peter Tosh “Get Up Stand Up” ao lado de Eddie Vedder com Carlton “Santa” Davis, Goerge “Full” Fullwood e Tony Chin, estes últimos três membros da banda jamaicana Soul Syndicate. Um vídeo dessa performance chegou ao empresário jamaicano Kingsley Cooper, que convidou o SSHH para se apresentar na inauguração do Museu Peter Tosh, em Kingston, em 2016. Em seguida, a dupla se inspirou a trabalhar no que logo se chamaria Trojan Jamaica. O anúncio do selo aconteceu em fevereiro de 2019. Com distribuição global pela gravadora BMG, sua missão é apresentar ao mundo a nova música produzida na Jamaica.

 

Siga Trojan Jamaica:

 

https://www.facebook.com/trojan.jamaica/

 

https://twitter.com/JamaicaTrojan

 

https://www.instagram.com/trojanjamaica/

 

https://www.youtube.com/channel/UCz4gyIa-iWthYlgAkYCzjDw

 

https://trojanjamaica.com

 

 

Com informações: Tropi Press