Videoclipe coroa álbum de estreia de Marcello Rangel (PE)

Marcello Rangel: poesia e musicalidade mais atual e conceitual do que nunca

 

1º ano de vida do disco “Quanto mais eu vou eu fico” gera registro em videoclipe para a canção “Cinemascópio”, 1º clipe oficial do álbum

 

Os caminhos que o poeta percorre e sua relação com o viajar são premissas que embasam o disco de estreia solo do cantor e compositor pernambucano Marcello Rangel, “Quanto mais eu vou eu fico”. Lançado há exatamente um ano, o álbum segue contemporâneo, dialogando e alcançando reconhecimento com o público, e, por isso, ganha registro complementar inédito em vídeo. O artista lançou no último sábado (12/09) o videoclipe para a canção “Cinemascópio”, abrindo o ciclo de comemorações do aniversário do disco.

 

Poético e inventivo, o clipe compila fotos e vídeos de Rangel transitando por cenários entre Porto Alegre (RS) e Chapada Diamantina (BA), últimas viagens do artista antes do início da pandemia. As imagens cruas ganharam intervenções e montagem pela artista visual Virgínia Di Lauro, baiana radicada na capital gaúcha. Colagens, linhas, curvas e uma edição perspicaz ressaltam um olhar único e sensível sobre o conceito que o artista evoca em sua obra – o perder-se por estradas e paisagens para chegar ao íntimo de si mesmo.

 

A trilha sonora do clipe é “Cinemascópio”, canção do artista que mais repercutiu nas plataformas digitais nesse último ano. “É justamente a música que abre o disco e sintetiza a mensagem de todo o álbum”, observa Marcello. A faixa, uma composição coletiva de Rangel com Juliano Holanda, Clara Torres, Isadora Melo e PC Silva, bateu 13 mil execuções no Spotify, o dobro de “Não É Easy”, por exemplo, a faixa mais “pop” do álbum, tipo cartão de visita, que cola fácil na boca do povo. “Sinal que o público está bem sintonizado com a mensagem que eu quero passar”, percebe o artista.

 

O videoclipe é o primeiro registro oficial de “Quanto mais eu vou eu fico” e já pode ser assistido no canal do artista no YouTube. A celebração do primeiro ano de vida do disco segue setembro a dentro, com mais novidades. Rangel solta nas próximas semanas conteúdos especiais em suas redes sociais – novas interpretações de canções do disco e também informações audiovisuais sobre a construção da obra.

 

 

MAIS CONCEITO, MAIS CANÇÃO – Quando Marcello Rangel subiu ao palco do Teatro Apolo, no Recife, dia 25 de setembro de 2019, para lançar “Quanto mais eu vou eu fico” ao vivo, não esperava tamanha repercussão. Com trajetória de mais de 10 anos na música autoral, incluindo passagem avassaladora pela banda pernambucana Araçá Blu (2009 – 2014), o artista defendeu bem seu status de expoente da música pernambucana, mas não imaginava tamanho retorno do público para um álbum com forte pegada conceitual.

 

“Mesmo após tantos meses de lançamento, continuo recebendo mensagens de pessoas que dizem se identificar com as letras, que se veem nas mensagens por trás das canções… Isso é muito gratificante”, afirma o cantautor. Trazendo uma forte narrativa imagética e muito lirismo, como os bons álbuns típicos da nova canção brasileira, “Quanto mais eu vou eu fico” reúne 10 faixas coproduzidas por Iuri Brainer, Rogério Samico e Ricardo Fraga. Juntas, elas atingem quase 60 mil execuções apenas no Spotify, números animadores para um disco de música independente.

 

“O clipe vem justamente para coroar esse momento. Se o público tem recebido bem o álbum, é meu dever corresponde-los e seguir produzindo”, pontua Marcello. “Quanto mais eu vou eu fico” fala das viagens internas e externas que fazemos; dos locais mentais e físicos pelos quais a arte nos conduz. É cinema, narrativa e, sobretudo, poesia, que transita entre imagem e som. Música atemporal e não territorial, do mundo para o mundo.

 

De 2019 para cá, Marcello também cumula conquistas para além do projeto solo – circulou por shows com a Mostra Reverbo; assinou a composição do frevo “Quer mais o quê?”, cantando ao lado da tradicional Banda de Pau e Corda; e viu “Quanto mais eu vou eu fico” ganhar os palcos de Pernambuco e Rio de Janeiro em adaptação cênica da Bubuia Companhia de Teatro, com direito a “Cinemascópio” na trilha sonora do espetáculo. Um verdadeiro artista das canções, cujas palavras abrigam e revelam sensações que transcendem as melodias e suscitam o imaginar, o sentir e o traduzir de novas histórias.

 

Confira “Cinemascópio”, primeiro clipe oficial de Marcello Rangel:

https://youtu.be/mhznvJpgIGE

 

Ouça “Quanto mais eu vou eu fico”, de Marcello Rangel:

Spotify | Deezer | iTunes

 

Acompanhe novidades nas redes sociais:

Facebook | Instagram

 

Ficha técnica do disco:

 

Produção musical: Iuri Brainer

Coprodução musical: Rogério Samico e Ricardo Fraga

Edição e mixagem: Rogério Samico

Masterização: Junior Evangelista

Técnica de som: Bruno Lins, Rogério Samico e Vinícius Aquino

Assistência técnica de gravação: Renato Barros, Marco Melo, Leandro Lima e Mateus Alves.

Fotografia: Iuri Brainer e Ju Menezes

Capa original e projeto gráfico: Priscila Lins

Produção executiva: Marcello Rangel

 

 

Com informações: Milton Raulino – 1000 Tons Comunica