Brune transforma alegrias, desejos, tristezas e autoconhecimento em EP

“Ametista” é o seu trabalho de estreia

 

MPB, pop, R&B, soul, pagode e poesia se misturam em um mergulho intenso na alma em “Ametista”, EP de estreia de Brune. As músicas criam camadas metafísicas para dialogar alegrias, tristezas, desejos e identidades. O EP está disponível em todas as plataformas de música digital.

 

Ouça “Ametista”: https://tratore.ffm.to/ametista

 

Cantando sobre amores e descobertas internas, ao mesmo tempo que reflete sobre o caos do mundo lá fora, Brune convida a uma jornada intensa e pessoal. Os singles “Estrelas de Neon” e “Amargo Sabor” se apresentam como lovesongs, porém representando um amor que machuca. “Tormenta” é a chuva que vem pra limpar, “Medusa” reflete sobre desvendar o infinito da canção mesmo quando parece não dar pé, seguida por “Vênus Peregrina” e “Ametista”, ambas abrindo caminho para o renascimento.

 

“Escrevia poesia desde os 15 anos e também sempre cantei, mas eu não pensava que poderia compor, por nunca ter estudado música formalmente. E por isso, sempre me relacionei com pessoas da música, e a maior parte desses relacionamentos foram abusivos e, por vezes, agressivos. E de certa forma, eu também sempre ficava esperando uma certa aprovação externa desses relacionamentos. Alguns anos atrás, eu não entendia porque sempre estava perto de músicos e hoje entendo que é porque queria estar fazendo aquilo, existia uma admiração da minha parte. É isso que o ‘Ametista’ representa para mim, uma jornada de cura, de descoberta, de construir algo que é meu, de acreditar em mim e na minha voz”, contra Brune.

 

A inspiração de seu EP vem também de experiências vividas por caminhos do Uruguai, Argentina, Bolívia, Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais, Bahia e Pernambuco, sempre como artista de rua. Percorrer o sertão e as estradas latinoamericanas serviram de autoconhecimento e bagagem para informar suas criações poéticas.

 

Assista ao clipe “Estrelas de Neón”: https://youtu.be/KSOpbz4G66E 

 

O trabalho serve para fincar as raízes de Brune e mostrar os próximos passos de seu processo criativo, onde se dedica à poesia, composição, performance e organização de encontros culturais como o Constelar Sarau Colaborativo e o Erótico Sarau. Em 2020, lançou o intenso single de estreia “Lua Azul”, onde surge a temática tão atual da destruição ambiental. Mas mesmo em assuntos tão espinhosos e universais, Brune traz o seu olhar único e pessoal.

 

Assista ao clipe “Lua Azul”: https://youtu.be/rhUo1i8ZTgc

 

Agora, além do EP, Brune se prepara para lançar “Sei que nada disso é real mas não suportaria a verdade”, seu primeiro livro de poesias, que será publicado pela editora Urutau.  Com produção musical de Leonardo Gumiero, “Ametista” está disponível em todos os streamings de música.

 

Ouça “Ametista”: https://tratore.ffm.to/ametista

 

Ficha técnica:

 

Produção musical, arranjos, captação, mix e master: Leonardo Gumiero

 

Participações especiais:

Bruna Krauze (backing vocal em “Estrelas de Neon”)

Day Battisti (cello em “Tormenta” e “Medusa”),

Francisco Okabe (flauta em “Vênus Peregrina”)

Matheus Motta (backing vocal  em “Vênus Peregrina”)

Klüber (backing vocal e teclado em “Medusa” e “Amargo Sabor”)

Kelvin de Souza (pandeiro e cavaco em “Vênus Peregrina”)

Yuri Grigoletii (sax em “Estrelas de Neon”)

 

Apoio:

 

Fotografia: Ácida Produtora

Cenário: Juliana Janeiro

Preparação vocal: Klüber

 

Acompanhe Brune:

 

https://www.instagram.com/brupoesia/

https://www.youtube.com/channel/UCmr8MmcEWSwZAa9OmA0ZsAw

https://www.facebook.com/brunarafaela.motta/

https://www.deezer.com/br/profile/4060758342

https://brunemotta.bandcamp.com/

 

 

 

 

 

 

 

Com informações: Nathália Pandeló Corrêa – Build Up Media – http://www.buildupmedia.com.br