Cartas de tarot e astrologia conduzem Clara Castro em single inédito com participação de Laura Jannuzzi

A Torre está disponível em todos os aplicativos de música

 

Após dar início à divulgação do EP Ana, com o single Fome de Gritar, a multiartista Clara Castro, natural de Barbacena (MG), atualmente baseada em São Paulo (SP), lança nesta sexta (02), sua segunda faixa de trabalho, A Torre, com distribuição pela Tratore. Desta vez, a compositora convidou a parceira Laura Jannuzzi para dividir a criação, os vocais e arranjos da música, que vem ao mundo com um videoclipe com interação entre as multilinguagens apresentadas na obra, assista aqui.

 

A canção foi uma das últimas a entrar no repertório, e assim como as outras faixas do disco, foi gravada em take único (voz e violão). A faísca da criação surgiu após uma chamada de vídeo entre as duas artistas, Clara revela: “Laura e eu temos muito em comum e essa identificação facilitou o processo criativo. Eu nunca havia feito uma música online em tempo real e em nosso primeiro encontro, travei. Laura já tinha uma base de violão na cabeça e começou a cantarolar uma letra ali mesmo. Saímos desse encontro com a composição encaminhada e depois disso, criamos algumas coisas separadamente. Me identifiquei muito com tudo o que havia sido proposto ali e desenvolver a canção já não foi tão difícil“.

 

O fio condutor de todo o contexto artístico do álbum, surgiu através de um jogo de tarot e do estudo do seu próprio mapa astral. “Uma das cartas que fez mais sentido pra mim naquele momento foi ‘A Torre’, que representa o desabamento das estruturas que nos prendem, o rompimento com formas desnecessariamente rígidas. Podem ser vistas na carta, figuras que saltam no vazio com expressões tranquilas. Esse reencontro com a leveza, já fazia parte também das minhas buscas, por isso trouxe essa carta como referência para começarmos a criação da música”, completa Clara.

 

Capa

 

A parceria com Fernando Fernandes foi mantida para criação de mais uma capa da obra. Dialogando com a arte do single sucedido, figurada pelo rosto de Glória – mãe de Clara -, a imagem de A Torre mostra as duas mãos da artista segurando a mão de sua progenitora através de uma projeção, pontuando a presença da mãe como uma espécie de amuleto e simbolizando sua descoberta dentro da ancestralidade. “Conhecendo a minha própria história, sinto-me mais inteira, pronta para me lançar aos novos espaços e descobertas que os pontos de vista alheios podem despertar. (Re)conhecendo-me, tenho algo a oferecer. E sendo atravessada por outras pessoas e experiências, me transformo. São os encontros que trazem magia à essência”, pontua Clara.

 

Clipe

 

A chama de Clara atravessou Fome de Gritar e foi parar no videoclipe da canção A Torre.  A dança entre os jogos de cartas, magia, universo e o tal fogo fátuo, azul e efêmero descrito na letra, surge logo nos primeiros segundos do vídeo, dando continuidade à narrativa do clipe anterior.

 

Clara revela: “O clipe busca reforçar a ideia do fim que dá lugar ao recomeço. As imagens da projeção, trazem o ambiente retratado na música: vejo nossos corpos flutuando no escuro, no fluxo dos astros, nos traços do tarot(…)

 

Gravado em plano sequência (vídeo, vozes e violões ao vivo), com imagens projetadas ao fundo do cenário, o vídeo, que foi dirigido por Ananda Banhatto e roteirizado junto de Clara, trabalha a  intersecção de linguagens, fator que contribui para a proposta de enriquecimento sensorial. Sendo assim, o momento presente é evidenciado, ilustrando o cenário ideal para a conversação de todos os elementos acontecendo simultaneamente e transcendendo a conexão entre eles e a dupla Clara e Laura. “Por isso, de tudo, o principal é o encontro em si, visto que nossa presença se transforma quando compartilhada, e é exatamente nesse ‘espaço entre’ que surge o inesperado e as fagulhas de uma passam a acender e modificar as fagulhas da outra”, finaliza Clara.

 

 

ASSISTA AO CLIPE AQUI

 

SMARTLINK AQUI

 

 

FICHA TÉCNICA (música e clipe)

Composição: Clara Castro, Laura Jannuzzi

 

Áudio

 

Direção e produção musical | Nathan Itaborahy

Produção musical | Clara Castro

Captação de áudio | Bernardo Merhy

Mixagem e masterização | Luiz Otávio

 

Vídeo

 

Roteiro, voz e violão | Clara Castro

Direção | Ananda Banhatto

Diretor de fotografia e câmera | Leandro Mockdece

Segunda câmera | Ciro Cavalcanti

Terceira câmera | Rodrigo Ferreira

Produção | Esther Assis

Still | Ciro Cavalcanti e Rodrigo Ferreira

 

Cenografia & Montagem

 

Cenografia | Fernando Fernandes

Luminárias da Coleção Guarda Luz | F-Studio Design

Produção executiva | Glória Bittar, Esther Assis, Ananda Banhatto

Estrutura | Nestlé Artmontagens

Coordenação de montagem | Luís Cláudio da Silva Salgueiro (Nestlé)

Painéis de LED | Franklim Simões (Holofote)

Iluminação e gerador | Darlan Oliveira (Top Mais)

Montagem | Wallace da Silva Santos e André da Costa Lima

 

Imagens Externas e Projetadas

 

Elenco | Clara Castro

Roteiro | Ananda Banhatto e Clara Castro

Direção | Ananda Banhatto

Direção de fotografia e câmera | Leandro Mockdece

Produção executiva | Esther Assis

Figurinos | Lívia Almeida

Capa do single Fome de Gritar por Fernando Fernandes

 

Catering

 

Plante a Terra Nova

Mega Pizza Quadrada

Vovó Zita

Margarete de Fátima da Cunha Alvino

Pesque Pague Rio Claro

Márcia Gehara

 

Agradecimentos

 

Ana Clara Banhatto

Anas Obaid

Augusto Pompeu

F-Studio Design

Glória Bittar

Inhamis

Osvaldo Fernandes

Vera Leitão

Vj Thutha

 

Gravado em Outubro de 2020.

Imagens ao vivo: Estúdio LáDoBê, Juiz de Fora (MG);

Imagens externas e projetadas: Fazenda Santa Elenice, Monte Verde (MG).

*Todos os protocolos de segurança em razão do COVID-19 foram seguidos.

 

LINKS

 

Facebook
Instagram
Youtube
Spotify

 

SOBRE CLARA CASTRO

 

Natural de Barbacena (MG), a cantora, compositora e atriz Clara Castro já demonstrava forte inclinação musical desde muito cedo. Aos 12 anos foi introduzida na música através de aulas de violão e logo teve sinais de sua veia compositora dois anos mais tarde, quando presenteou uma amiga com a canção ‘Sol’. Com apenas 17 anos, lançou ‘Quarto Crescente’, seu primeiro álbum com composições autorais.

 

Formada em Canto pela Universidade de Música Popular, a artista fez residência artística no Grupo Teatral Ponto de Partida (MG), atuando em espetáculos do grupo pelo país. Em 2013 se mudou para Juiz de Fora (MG), onde entrou de cabeça na cena alternativa autoral da cidade e iniciou laços e conexões que a acompanharam na estrada por diversas regiões e também marcou o encontro com parceiros de composições presentes em suas obras até os dias de hoje. Em 2018, a artista rodou o Brasil com a turnê do álbum “Caostrofobia“, que foi produzido por Rodrigo Campello no Ministério Studios (RJ) e distribuído pela Som Livre.

 

Atualmente, em fase final do curso de Ciências Sociais e dedicando-se também ao curso técnico de Teatro, a compositora baseada em São Paulo (SP) se prepara para o lançamento de seu novo trabalho: Ana, que será lançado em julho.

 

 

 

 

 

 

 

Com informações: CAFÉ 8 ASSESSORIA DE IMPRENSA