‘Ressignificar’ é o novo álbum autoral de ZéVitor

Como num quebra-cabeças, os singles foram se encaixando até fechar essa história com três novas canções e uma sequência de animações lançadas no youtube

 

ZéVitor lança nas plataformas digitais o álbum Ressignificar, que chega acompanhado de animações criadas por Lucas Paixão e já estão no canal do artista no youtube. Com arranjos e produção musical de Mayam Rodilhano, o álbum reúne oito canções inéditas de ZéVitor, exceto por Menina, registrada anteriormente no EP “Crônicas de um amor”, que ganhou novo registro com a participação de Tainá Nogueira nos vocais.

 

A sugestão é ouvir as canções na sequência do álbum, para conhecer essa história que vem sendo contada desde julho, quando o primeiro single chegou nas plataformas digitais. Com cores que se formam na retina do observador mais do que pela mistura de pigmentos, o álbum abarca desde a contemplação do feminino em Lua Em Escorpião, até o autorretrato, em O Jeito Que Fala, passando pelos tons claro-escuros da faixa-título Ressignificar, seguida de  Por Onde Começar, que parece ser uma síntese difusa do trabalho de ZéVitor, repleta de intertextualidades e sinestesias. A quinta faixa do álbum, Bagunça e Baderna, ajuda a dar sentido ao caos aparente das quatro anteriores, como um quebra-cabeça cuja imagem principal já se pode vislumbrar conforme as peças se encaixam. Trata-se do bom e velho amor, tema sobre o qual o compositor se debruça desde sempre.

 

Com o lançamento do álbum e das três canções que faltavam, a musa inspiradora finalmente se revela em Menina. Com sua voz suave, Tainá Nogueira divide os vocais com ZéVitor neste dueto. Gravada originalmente no EP Crônicas de um amor, Menina reaparece aqui com nova roupagem e devidamente amadurecida, não só pelo arranjo de piano, violão e contrabaixo, mas pela força da interpretação que distingue a paixão pueril do amor verdadeiro, dando mais colorido aos versos: “Pois você me inspirou/A compor pra nós, amor/Com liberdade e destemor”.

 

Porém, se a idealização romântica de Menina surge como o ponto central do que seria o roteiro do álbum, a letra de Sem Que Nos Percamos volta a flertar com a impossibilidade do amor descrito nas primeiras “cenas”. Talvez porque repleta de desafios, a realidade se impõe e torna a embaralhar as peças no exato momento em que pareciam se completar. Como o herói que se encaminha para o final trágico, ou simplesmente para fugir de um happy end clichê, ZéVitor opta pelo desfecho inesperado em Vê Se Não Demora.

 

Diferente dos outros trabalhos, que soavam um compilado de momentos e inspirações distintas, cada composição de Ressignificar parece dedicada à mesma musa – não à toa ela aparece representada nas ilustrações de Lucas Paixão para as capas dos singles e do álbum, e nas animações de cada canção, lançadas em sequência no youtube. Aliás, as animações revelam o sentido geral da obra como a fiel representação das palavras de ZéVitor em cores e formas.

 

O álbum Ressignificar chegou nas plataformas digitais nesta terça-feira, 27 de outubro, depois de duas bem sucedidas colaborações de ZéVitor com Kamaitachi (Bruxa) e Konai (Castelo de Areia), um dueto com Fagner (Versos Ardentes), vários singles e clipes, os EPs “Amor e Minimalismo” (2020) e “Crônicas de Um Amor” (2019), e o álbum “Cronológico” (2018).

 

 

ZéVitor começou a compor na adolescência, buscando sua identidade musical, integrando os estilos e influências de sua geração. Sua música tem uma pegada pop, com acento forte na rima, trazendo também influências do R&B e uma rica inspiração do universo popular. ZéVitor sempre teve a música presente em sua vida. Filho caçula do ator e cantador Jackson Antunes, aos 2 anos começou a frequentar os shows do pai, o que ajudou a forjar sua identidade musical, integrando influências e estilos de diferentes gerações.

 

Ouça aqui

 

Ressignificar

  1. Lua em Escorpião
  2. O Jeito que Fala
  3. Ressignificar
  4. Por Onde Começar
  5. Bagunça e Baderna
  6. Menina feat. Tainá Nogueira
  7. Sem Que Nos Percamos
  8. Vê se Não Demora

 

crédito foto Agência Secreta

 

 

Assessoria de Imprensa – Adriana Bueno