Zeca Baleiro e Rita Benneditto gravam o reggae ‘Com o Afeto das Canções’, com mensagem de esperança

Artistas se juntam para dar voz ao reggae do poeta e compositor conterrâneo, Joãozinho Ribeiro

 

Ao invés de uma arma, uma canção; ao invés de um tiro, um poema; ao invés de uma convocação para a violência, uma singela demonstração de afeto. Foi com essa ideia na cabeça que Joãozinho Ribeiro compôs o reggae “Com o Afeto das Canções”, que chega nesta sexta (19 de março) nas plataformas digitais, na voz de Rita Benneditto e Zeca Baleiro. “Para cantar os afetos, nada melhor do que amigos queridos como Rita e Zeca, além de ter o produtor Zé Américo Bastos com a gente”, avalia Joãozinho.

 

Conterrâneos, Rita Benneditto, Zeca Baleiro e Joãozinho Ribeiro se conhecem desde suas primeiras aventuras criativas em São Luís do Maranhão, participando juntos em festivais, teatro e projetos coletivos como Oficina e Corre Beirada. Enquanto Joãozinho se manteve em atividade no Maranhão, os amigos levaram a cultura maranhense para outras paragens e começaram a carreira discográfica mais ou menos à mesma época.

 

Em seu primeiro disco, co-produzido por Zeca, Rita gravou várias de suas canções, incluindo “Lenha”, que viria a ser um de seus maiores sucessos. A voz de Rita também é ouvida nos primeiros discos de Baleiro, como nos vocais poderosos que abrem “Meu Amor, Meu Bem, Me Ame”. Mesmo distantes, sempre estiveram próximos, com várias colaborações artísticas ao longo dos anos, e agora se juntaram para registrar “Com o Afeto das Canções”.

 

Rita conta que recebeu “Com o Afeto das Canções” por whatsapp, junto a outras lindas   canções que Joãozinho selecionou para que ela conhecesse: “Ao ouvi-la me apaixonei de imediato e mostrei ao maestro Zé Américo Bastos”. Juntos resolveram incluí-la no repertório de algumas lives de Rita e a partir daí tiveram a certeza de que “Com o Afeto das Canções” deveria ser registrada. Compartilharam a ideia com Joãozinho, que aprovou de imediato e sugeriu convidar Zeca Baleiro para somar nos afetos.

 

Feita de forma virtual, a produção ficou a cargo do maestro Zé Américo, que fez o arranjo e convidou os músicos Israel Dantas (violão e guitarra), Fernando Fofão (contrabaixo), Moises Mota (bateria) e Carlos Pial (percussão), além de registrar piano, teclados e programações. A voz de Zeca foi gravada em São Paulo, enquanto Rita fez seu registro no Rio de Janeiro.

 

O lançamento do single “Com o Afeto das Canções” é uma parceria da Elza Ribeiro Produções,  Zap Music e Milhões de Uns, que chega nas plataformas digitais pela Saravá Discos, com distribuição da ONErpm.

 

“Em tempos tão sombrios, ‘Com o Afeto das Canções’ traz uma mensagem de esperança e liberdade, na certeza de que um outro mundo fraterno, justo e solidário, ainda é possível” Joãozinho Ribeiro .

 

Poeta, compositor e gestor cultural nascido em São Luís/MA, Joãozinho Ribeiro tem quase uma centena de registros fonográficos e o mesmo número de canções inéditas. Cantado, gravado e regravado por expoentes do cancioneiro local e nacional, completou 40 de produção musical em 2019, o que lhe rendeu merecidas homenagens, incluindo o Prêmio Papete pelo talento e contribuição à arte e a cultura popular maranhense. A comemoração também ganhou o país, com a turnê “Milhões de  Uns”, com apresentações no Rio de Janeiro, São Paulo e Brasília, além do Maranhão, recebendo um time de convidados especiais, entre eles Rita Benneditto, Zeca Baleiro, Betto Pereira, Tião  Carvalho, Carlos Pial, Josias Sobrinho, Nosly e Célia Maria.

 

Na condição de poeta, em 2006 lançou o livro  de poesias “Paisagem feita de Tempo”. Já como compositor, sua obra é caracterizada por uma diversidade imensa, que contempla os vários ritmos da cultura tradicional e pop, passando pelo bumba meu boi, tambor de crioula, carimbó, divino, ladainha de capoeira, bloco tradicional, reggae, rock, blues, salsa, bolero, samba, choro, frevo, baião, xote, coco, afoxé…

 

Em 2020, lançou um EP de Carnaval com destaque para as músicas “Frevo Desaforado” e “Chega de Sofrência”, interpretadas respectivamente por Zeca Baleiro e Alysson Ribeiro; compartilhou com o fotógrafo Marcellus Ribeiro a exposição de fotos-poemas “Cenas de Rua e Outras Interações Poéticas”; com Rita Benneditto e o maestro Zé Américo participou do lançamento do clipe “Amor Maior” (música de sua autoria); lançou o single e clipe do reggae “Ser o Mano”, com a interpretação de George  Gomes; e gravou o show/live “Choros, Sambas & Canções” no Teatro João do Vale. Mesmo em plena pandemia, Joãozinho não para! Em fevereiro de 2021, mais precisamente no último dia do Carnaval que não  aconteceu, lançou em parceria com Zeca Baleiro o vídeo com a música “Do Carnaval, nem Sinal”, que rapidamente atingiu milhares de visualizações.

 

[letra]

COM O AFETO DAS CANÇÕES [Joãozinho Ribeiro]

Deixar que o mundo se dane?

– Não!

Que o amor

Não nos abandone, em vão!

 

Essas pedras no caminho

Não me impedem o passo

Todo corpo tem seu prumo

Seu próprio compasso

Se a história traça o rumo

Da humanidade

Com responsa, meu destino

Eu mesmo é que faço

 

Deixar que o mundo se dane?

– Não!

Que o amor

Não nos abandone, em vão!

 

Toda aranha tem na teia

Ciência e capricho

Toda abelha no seu mel

Doçura de bicho

Se no afeto das canções

Eu me embaraço

Presa fácil das paixões

Eu viro em teus braços

 

[ficha técnica]

 

Joãozinho Ribeiro – composição

Rita Benneditto – voz

Zeca Baleiro – voz

Zé Américo Bastos -arranjo,  piano, órgão e clavinet

Israel Dantas – guitarra e violão

Fernando Fofão – baixo

Moisés Mota – bateria

Carlos Pial – percussão

 

Produzido, Mixado e Masterizado por Zé Américo Bastos

Produção fonográfica – Ponto de Bala, Elza Ribeiro Produções e ZAP.

Lançamento – Saravá Discos, com distribuição da ONErpm.

 

 

 

Informações para a imprensa: Adriana Bueno